Gisnei

Gisnei

A Copa das Nações Africanas prevista inicialmente para o ano que vem, foi adiada para  2022, devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19).  A decisão da Confederação Africana de Futebol (CAF) foi anunciada hoje (30) após reunião  por videoconferência. O evento estava programado para ocorrer entre janeiro e fevereiro de 2021 em Camarões, na África Central. O país está mantido como sede da competição. 

“Após consulta às partes interessadas e levando em consideração a atual situação global, o torneio foi remarcado para janeiro de 2022. A data do torneio final e as demais partidas dos qualificadores serão comunicadas oportunamente”, explicou a CAF, por meio de nota oficial

A edição 33 da Copa Africana envolverá 24 países e ainda faltam quatro rodadas de jogos eliminatórios para definir todos os classificados.

A CAF também cancelou nesta terça-feira (30) a realização de torneios femininos previstos para este ano. A Copa Africana de Mulheres ficou para 2021, também na República dos Camarões. De acordo com relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), o país registra 12.592 infectados e 313 mortes causadas pela covid-19. pela doença.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Por Rodrigo Ricardo - Repórter da Rádio Nacional 

A seis horas do fim do prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2020, 1.015.918 contribuintes haviam caído na malha fina, informou, há pouco, o secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto. Segundo Tostes, os principais motivos para a retenção do documento foram a omissão de rendimentos e problemas de dedução.

O prazo de entrega da declaração, que começou em 2 de março, acaba às 23h59min59s de hoje (30). Até as 18h, 30.950.184 pessoas haviam enviado o documento, o que equivale a 96,7% dos 32 milhões de declarações esperadas.

Sobre a omissão de rendimentos, responsável por 42,2% das declarações retidas, Tostes explicou que o principal problema foi a inconsistência nas informações sobre o salário. Responsáveis por 33,3% dos casos de inclusão em malha fina, os problemas de deduções de despesa concentraram-se nos gastos médicos, que representaram metade das retenções por esse motivo.

O secretário informou que o contribuinte pode verificar se caiu na malha fina no Centro de Atendimento Virtual da Receita (e-CAC). A ferramenta informa os problemas, que deverão ser corrigidos por meio de uma declaração retificadora ou pelo envio de documentos pedidos. A partir deste ano, o e-CAC permite o envio de documentos fotografados ou escaneados, a fim de evitar deslocamentos a unidades físicas da Receita em tempos de pandemia de covid-19.

Tostes informou que, a partir de quinta-feira (2), o e-CAC poderá ser acessado por meio do login único do Portal do Governo Federal (gov.br). Atualmente, a ferramenta pode ser acessada por meio de um código gerado após a digitação do número do recibo das duas últimas declarações enviadas ou por certificado digital.

Restituições

Em relação às restituições, o secretário especial da Receita Federal informou que, dos 32 milhões de declarações esperadas, o Fisco projeta que 19,14 milhões (59,8%) terão valores a receber, 6,03 milhões (18,8%) terão imposto a pagar e 6,83 milhões (21,4%) não terão imposto a pagar nem valores a receber. Com base nas declarações já entregues, a Receita estima que 14,1 milhões (44,1%) seguirão o modelo completo e 17,9 milhões (55,9%) seguirão o modelo simplificado.

A Receita Federal também divulgou as estimativas de quanto pagará nos próximos três lotes de restituições, que sairão em 30 de julho, 31 de agosto e 30 de setembro, com 4,9 milhões de contribuintes contemplados em cada lote. Serão desembolsados R$ 5,6 bilhões em julho, R$ 5,5 bilhões em agosto e R$ 5,3 bilhões em setembro.

O Fisco pagou R$ 2 bilhões a 901 mil contribuintes no primeiro lote, em 29 de maio, e R$ 5,7 bilhões a 3,3 milhões de contribuintes no segundo lote, depositado hoje. Neste ano, a Receita diminuiu de sete para cinco o número de lotes de restituição. Embora o prazo de entrega da declaração tenha sido adiado em dois meses por causa da pandemia do novo coronavírus, as datas originais da restituição foram mantidas.

Edição: Nádia Franco

Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil -

O presidente Jair Bolsonaro assinou na tarde desta terça-feira (30) o decreto que prorroga, por mais dois meses, o auxílio emergencial de R$ 600, destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos, desempregados e pessoas de baixa renda durante a pandemia da covid-19. Com isso, cerca de 65 milhões de pessoas que tiveram o benefício aprovado receberão mais duas parcelas, no mesmo valor.

"Obviamente, isso tudo não é apenas para deixar a economia funcionando, viva, mas dar o sustento para essas pessoas. Nós aqui que estamos presentes sabemos que R$ 600 é muito pouco, mas para quem não tem nada é muito", afirmou Bolsonaro em discurso no Palácio do Planalto.

A solenidade de prorrogação do programa foi acompanhada pelos presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado Federal, Davi Alcolumbre. Diversos ministros, além do vice-presidente, Hamilton Mourão, também participaram da cerimônia. Veja a íntegra do evento:

"São mais duas prestações e nós esperamos que, ao final dela, a economia já esteja reagindo, para que nós voltemos à normalidade o mais rapidamente possível", acrescentou o presidente.

A Lei 13.982/2020, que instituiu o auxílio emergencial, foi aprovada pelo Congresso Nacional em abril e previa a possibilidade de que um decreto presidencial prorrogasse os pagamentos, desde que mantidos os valores estabelecidos.

Até a semana passada, o governo federal avaliava estender o auxílio por mais três meses, mas reduzindo o valor de cada parcela de forma decrescente, para R$ 500, R$ 400 e R$ 300, respectivamente.

"Estamos aqui para anunciar, pelo presidente, que cumprindo o que o Congresso Nacional nos determinou, de que poderia, por ato do Poder Executivo, prorrogar as três parcelas emergenciais, e é o que o presidente está fazendo hoje, para garantir, por mais dois meses, a continuidade do programa, que é essa grande rede de proteção, que permitiu, junto com o BEM, que é o beneficio emergencial para aqueles que têm trabalho, que preservássemos mais de 10 milhões de empregos e estendêssemos essa rede de proteção a 65 milhões de pessoas", afirmou o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

O governo federal começou a pagar essa semana a terceira parcela do auxílio. 

De acordo com o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, não será necessário um novo cadastro para receber as novas parcelas do auxílio emergencial. Todos aqueles que tiverem o benefício aprovado receberão os pagamentos normalmente, tanto por meio das contas digitais, quanto pelos saques nas agências bancárias e casas lotéricas.

"Temos 65 milhões de pessoas aprovadas, temos um milhão de pessoas que a Dataprev ainda está analisando, então todas essas pessoas receberão não só as três parcelas, mas agora as cinco parcelas", afirmou a jornalistas, após a cerimônia no Palácio do Planalto. O calendário de pagamento das novas duas parcelas do programa ainda será anunciado pelo governo.

Para quem preenche os requisitos para obter o auxílio emergencial, o prazo para novos cadastros termina nesta quinta-feira, dia 2 de julho. Até agora, mais de 124 milhões de solicitações foram realizadas e cerca 65 milhões de pessoas foram consideradas elegíveis. Outras 41,5 milhões, segundo o Ministério da Cidadania, foram apontadas como inelegíveis, por não atenderem aos critérios do programa.

Matéria ampliada às 18h37

Edição: Liliane Farias/Denise Griesinger

Por Pedro Rafael Vilela e Wellton Máximo - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Na segunda-feira (29), integrantes das equipes de saúde de Livramento e Rivera reuniram-se na Prefeitura Municipal, a fim de avaliar as atividades desenvolvidas e projetar futuras ações conjuntamente.

Durante a reunião foram analisados os casos registrados na Fronteira e as ações de desinfecção que ocorreram pela parte da manhã e noite do último sábado.

Após avaliação dos trabalhos pelos integrantes das equipes, começaram a ser traçadas as próximas ações que serão desenvolvidas em conjunto para combater os avanços do coronavírus na Fronteira.

SINOPSE E DETALHES

Um Lugar Silencioso - Parte 2, logo após os acontecimentos mortais, a família Abbott precisa agora encarar o terror mundo afora, continuando a lutar para sobreviver em silêncio. Obrigados a se aventurar pelo desconhecido, eles rapidamente percebem que as criaturas que caçam pelo som não são as únicas ameaças que os observam pelo caminho de areia.

Confira a classificação indicativa no Portal Online da Cultura Digital.

Título original 

A Quiet Place Part II

Distribuidor PARAMOUNT PICTURES
 

"Julia Quinn é uma grande contadora de histórias. Com uma prosa viva e confiante, ela cria personagens que nos marcam para sempre." –Publishers Weekly

Ela tinha duas opções…
Georgiana Bridgerton nunca foi contra a ideia de se casar. Ela só achava que sua opinião seria levada em conta na hora de escolher o noivo. Mas quando sua reputação está por um fio, Georgie precisa decidir: ou aceita ser uma solteirona pelo resto da vida ou se casa com o vigarista que a sequestrou de olho em seu dote.
Mas de repente surge uma terceira opção...
Quarto filho de um conde, Nicholas Rokesby está estudando medicina em Edimburgo e não tem o menor interesse em arrumar uma esposa nesse momento. Mas quando descobre que Georgie, sua amiga de infância, corre o risco de ficar arruinada para sempre, ele sabe o que deve fazer.
Depois do escândalo...
Só que os dois sabem que nunca conseguiriam se ver como mais do que bons amigos. Não é?
Ao embarcarem num jogo de conquista nada convencional, repleto de diálogos impagáveis e coadjuvantes carismáticos – entre eles três gatos cheios de personalidade –, Nicholas e Georgie vão descobrir que muitos encantos da vida já estão bem na nossa frente.

Ficção / Literatura Estrangeira / Romance

no: 2020 / Páginas: 272
Idioma: português
Editora: Arqueiro

Esta empada de frango feita na xícara com massa podre fica simplesmente divina. O recheio de frango que preparei fica muitooo cremoso. Se você ama empadinha, vai com certeza adorar esta versão. Experimente e me conta nos comentários o que achou!

Eu adoro receitas que dá para aproveitas ingredientes de outra receita, ou que pode deixar pronto para consumir em outras ocasiões, e esta receita é tudo de bom por isso, ele pode os dois.

Fiz a receita com restos de frango ensopado que tinha feito dias anteriores, e depois de pronto as empadas, deixei na geladeira ainda 6 dias até consumir.

Mas se quiser pode deixar sem assar, bem embrulhado em plástico filme, dentro do congelador por até 1 mês. Assim você tem uma opção diferente para preparar quando estiver com pressa ou quiser algo rápido, que não vai te dar muito trabalho!

Mas chega de falar e vamos para a receita!

Ingredientes:

A massa eu usei a podre que foi a receita que postei semana passada. Você pode conferir CLICANDO AQUI.

Recheio:

  • 400g de frango desfiado (aproveite frango que sobrou de outro prato que preparou e sobrou, se o frango não tiver caldo, acrescente umas 2 colheres de sopa de água e acerte o tempero)
  • 3 colheres de sopa de milho verde
  • 150g de molho de tomate temperado (usei molho de tomate com manjericão)
  • 3 colheres de requeijão
  • 1 bisnaga pequena de requeijão Catupiry
  • 1 gema de ovo

Modo de Preparo:

Prepare a massa podre conforme a receita do outro post. CLIQUE AQUI PARA RECEITA DE MASSA PODRE.

Depois que a massa descansou na geladeira, você ira tirar um pedaço dela e abrir com um rolo. Abra até ela ficar bem fina. Pegue pedaços da massa aberta e vá moldando nas paredes das xícaras de chá, untadas com margarina. Aperte bem a massa, juntando todos os pedaços para que não fique buracos.

Abra outro pedaço de massa e com a xícara faça o molde das tampas da empada.

Prepare o recheio. Desfie o frango, no meu caso usei um resto de frango ensopado que tinha feito uns dias antes, então desfiei a carne que sobrou, e junto com o caldo preparei a receita. Se você tiver frango pronto mas ele é seco, desfiei ele, acrescente 2 colheres de água e acerte o tempero a seu gosto.

Coloque o frango desfiado em uma panela, deixe esquentar um pouco, então junte o milho verde, misture, acrescente o molho de tomate, misture e deixe cozinhar um pouco. Então coloque 2 colheres de sopa de requeijão, misture até ficar bem encorpado o molho. Acrescente mais uma colher de sopa de requeijão e misture. Desligue o fogo. Deixe o recheio esfriar um pouco antes de rechear as empadas.

Coloque o recheio nas xícaras que você montou com a massa. Não encha tanto pois irá colocar requeijão Catupiry por cima. Então pegue as tampinhas que fez com a massa, passe o rolo nelas para que fiquem um pouco maiores. Coloque em cima do Catupiry e pressione um pouco as laterais para fechar as empadas.

Com uma faca, faça uma cruz no meio da tampinha, para na hora de assar o ar ter por onde escapar. Então pincele as empadas com gema batida. Leve ao forno pré aquecido a 180ºC por 20 a 30 minutos, ou até ficar bem dourado.

Então as empadinhas estão prontas para serem saboreadas!

Fonte: https://comsaborperfeito.com/

Iniciou a segunda fase do diagnóstico nutricional dos ervais, nos cinco polos ervateiros do Rio Grande do Sul. O objetivo é verificar e compreender como está a situação nutricional da erva-mate, árvore símbolo do Estado, e o manejo adotado pelos produtores rurais na condução da atividade Esse trabalho está sendo feito em conjunto entre Emater/RS-Ascar e Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), dentro do Programa Gaúcho para a Qualidade e a Valorização da Erva-Mate.

Na primeira fase, foram coletadas cem amostragens de solo e cem amostragens de folhas, em 20 propriedades rurais de cada um dos cinco polos ervateiros. Nesta segunda fase, essas amostras serão analisadas no Laboratório de Química Agrícola do Departamento de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária (DDPA), da Seapdr.

De acordo com o engenheiro agrônomo, coordenador do projeto e pesquisador da Seapdr, Bruno Brito Lisboa, estão envolvidos neste trabalho sete pesquisadores do DDPA das áreas de Fertilidade do Solo e Desenvolvimento Rural, além do corpo técnico do laboratório de Química Agrícola.

Lisboa explica que em virtude da pandemia da Covid-19, o trabalho no laboratório sofreu alterações em sua rotina. A expectativa é de concluir até o fim do ano as análises, a interpretação dos dados e o processamento estatístico. “As análises de solo retornarão aos produtores na medida em que vão sendo realizadas”, acrescenta. 

O engenheiro florestal da Seapdr, Jackson Freitas Brilhante, explica que “os resultados das análises em relação à disponibilidade de nutrientes no solo e os teores desses elementos nas folhas serão cruzados com os dados de produtividade, o que permitirá a identificação de prováveis deficiências, ou até mesmo excessos de algum desses nutrientes”.

O engenheiro florestal destaca ainda que o estudo está sendo realizado em ervais com diferentes sistemas de manejo, como pleno sol, sombreado e sistema agroflorestal. Também estão sendo levantadas, por meio dos extensionistas da Emater/RS-Ascar, informações como área, participação da cultura na renda da propriedade e visão dos produtores sobre os principais gargalos da cadeia.

"Tendo em vista que a erva-mate é uma cultura perene e, nas colheitas, são removidos grandes volumes de material vegetal, entre talos e folhas, uma elevada quantidade de nutrientes é transportada. Então, a necessidade de reposição dos mesmos vai depender de vários fatores relacionados ao manejo de solo, intensidade de poda, manejo de resíduos vegetais e clima. Assim, a realização desta pesquisa também irá contribuir para um melhor entendimento dessa dinâmica nutricional”, avalia Brilhante. 

De acordo com o coordenador do Programa Gaúcho para a Qualidade e a Valorização da Erva-Mate e engenheiro florestal da Emater/RS-Ascar, Antônio Carlos Leite de Borba, pretende-se ampliar o número de amostras de solos e folhas para o diagnóstico. “Esta ampliação da amostragem, para mais cem beneficiários visa a qualificar ainda mais as informações sobre a fertilidade e nutrição dos ervais nos cinco polos ervateiros do Estado. Também, pretende-se neste segundo semestre, através de laudos emitidos pelo DDPA da Seapdr, realizar a devolução das informações, mediante visitas técnicas dos extensionistas rurais, que terão mais este subsídio de informações qualificadas para sua atuação, no sentido de fazer recomendações técnicas de manejo e correção da fertilidade, conforme os resultados das análises realizadas”, esclarece Borba.

Outro trabalho que se buscará, após as restrições causadas pela pandemia, é realizar atividades com grupos de produtores, como dias de campo, oficinas e seminários, para levar as informações aos agricultores, às comunidades, às lideranças e aos tomadores de decisão, dentro da cadeia produtiva da erva-mate nos cinco polos ervateiros do RS.

Na opinião da produtora e presidente da Associação dos Produtores de Erva-mate de Machadinho (Apromate), Sélia Felizari, com esses dados, novos investimentos poderão se concretizar, com ganhos para a cultura. “Com a melhoria dos ervais, haverá maior geração de renda e empregos na agricultura familiar”, avalia. Ela reforça que a Apromate é parceira nesse projeto. “Promover um manejo adequado e nutrição equilibrada são premissas básicas na melhoria da produtividade e qualidade do produto erva-mate”, conclui. 

Também colaboram com o projeto a Embrapa Florestas, o Sindimate/RS, o Ibramate e as associações de produtores, como Associação dos Ervateiros do Polo Planalto Missões (Aeplam), Associação dos Produtores de Erva-mate dos Vales (Aspemva), Associação dos Produtores de Erva-mate do Alto Uruguai (Aspemate) e Associação dos Amigos e Parceiros da Erva-Mate do Polo do Alto Taquari.

Por: EMATER - RS

Fonte: https://www.agrolink.com.br/

Imagem: Marcel Oliveira

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), após reunião virtual com dirigentes de 40 clubes, chegou à data provável de início do Campeonato Brasieleiro. A primeira partida da Série A  pode ocorrer no dia 9 de agosto (domingo), e o jogo de abertura da Série B, um dia antes: 8 de agosto. O acordo quanto às datas saiu após reunião virtual, realizada ontem (25), com a participação de representantes da CBF, da Comissão Nacional de Clubes (CNC) e de dirigentes das 40 agremiações que integram o Brasileirão.

Em nota oficial, a CBF afirmou que houve acordo quanto a algumas questões relacionadas às competições, mas ressaltou que os torneios seguem dependendo do aval do poder público para serem realizados. "O retorno do futebol depende da autorização das autoridades de saúde. Mas, dezenove dos vinte clubes da Série A se dispuseram a jogar fora das suas cidades, em última instância, caso até lá seus municípios não estejam liberados pelas autoridades de saúde a realizar jogos. Foi um sinal de apoio à realização da competição pela CBF", diz a nota da entidade. Apenas o Athlético Paranaense votou contra.

Houve consenso em relação a itens como a manutenção do formato da competição: "todos contra todos", totalizando 38 rodadas. Caso a realização do campeonato seja de fato autorizada, as primeiras partidas ocorrerão sem a presença de público, e o campeonato só terminará em fevereiro de 2021.

Também ficou decidido que a Copa do Brasil deve retornar na primeira quinzena de agosto. Com as duas competições ocorrendo concomitantemente, a intenção é que as equipes façam dois jogos por semana, com exceção das datas Fifa, previstas para serem retomadas em setembro. 

Indefinições nos Estaduais 

As prováveis datas anunciadas pela CBF para o retorno das principais competições nacionais,  podem acabar coincidindo com partidas dos campeonatos estaduais. Em São Paulo, por exemplo, os clubes só podem retomar os treinamentos com bola no dia 1º de julho. A possibilidade de antecipar o retorno do torneio depende do Governo do Estado.

No Rio Grande do Sul, a situação é parecida. No último dia 19, a Federação Estadual de Futebol entregou ao governo estadual um protocolo com todas as ações de saúde propostas para a retomada do Gauchão. A entidade ainda aguarda posicionamento do poder executivo. 

Procurada pela Agência Brasil, a assessoria da CBF informou que "a entidade desconhece qualquer insatisfação de forma oficial e recebeu apoio de todos os clubes na reunião".

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Por Juliano Justo - Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional - São Paulo

Página 1 de 428
Topo