Gisnei

Gisnei

O Brasil encerrou a noite de terça-feira (30), sétimo dia de competições nos Jogos Pan-Americanos de Lima, com mais duas medalhas, uma de ouro e uma de bronze – no decorrer do dia, os brasileiros já tinham conquistado sete. O ouro veio do handebol feminino, após um clássico de tirar o fôlego entre Brasil e Argentina. As brasileiras confirmaram a hegemonia na modalidade vencendo as argentinas de virada, por 30 a 21, diante de um ginásio lotado. Além de faturar o ouro e o hexacampeonato no handebol, as brasileiras asseguraram presença nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

A noite terminou bem, mas o início foi difícil para as atletas brasileiras: o nervosismo marcou o começo do jogo e, em vários momentos, a seleção ficou atrás no placar. Além de falhas na defesa, o Brasil errou bolas fáceis no ataque e esbarrou na excelente atuação da goleira Mirasol Carratú. Apesar das dificuldades, a seleção conseguiu equilibrar a partida e foi para o intervalo com um empate em 12 a 12.

O segundo tempo foi totalmente diferente: as brasileiras voltaram à quadra determinadas e mostraram por que eram as  favoritas ao hexa. Logo aos 2 minutos, o Brasil assumiu a frente do placar, com um gol de Patrícia, e rapidamente ampliou a vantagem para 20 a 15. Daí em diante, o domínio foi verde e amarelo até a vitória final por 30 a 21.

Entre os destaques em quadra, brilharam a goleira Renata, de apenas 20 anos, e a jogadora Deonise, a única do elenco campeã em quatro edições do Pan.

Boxe em alta

A noite também  foi boa pra a boxeadora Beatriz Soarez Ferreira, que  já garantiu ao menos a medalha de prata. Beatriz classificou-se para a grande final na categoria 57-60Kg, após derrotar a norte-americana Rashida Ellis. A brasileira, que já conquistou uma medalha de bronze na última segunda-feira, é grande favorita ao ouro: a decisão do título será contra a argentina Dayana Sanches, na próxima sexta-feira (2), às 21h (horário de Brasília).

Outra boxeadora brasileira, Flávia Figueiredo, faturou a segunda medalha da noite desta terça: ela ficou com o  bronze na categoria 75Kg, depois de perder a luta para a norte-americana Naomi Graham.

Edição: Nádia Franco
Por Cláudia S. Rodrigues - Repórter da TV Brasil
 
Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

A tarde desta quarta-feira (31/7) no Palácio Piratini foi de incentivo a uma área importante para o desenvolvimento econômico e o crescimento do Rio Grande do Sul. Lançados com a presença do governador Eduardo Leite e do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, os programas Investe Turismo e +Turismo.RS impulsionarão o potencial turístico do Estado.

Além de exaltar o potencial turístico natural do Estado, que inclui as belezas regionais, o governador lembrou a importância do trabalho e da dedicação da iniciativa privada que, sem depender exclusivamente de incentivos governamentais, se esforça para gerar riquezas em cada uma das regiões turísticas.

“Queremos potencializar a vocação turística já existente. Com o apoio dos bancos de fomento e do Sebrae, serão elaborados projetos que identificam equipamentos culturais e urbanos que ajudarão a alavancar a exploração turística da localidade e, assim, viabilizar financiamentos”, explicou.

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 31/07/2019 -  Lançamento do projeto INVESTE TURISMO RS e do Programa + Turismo RS. Fotos: Itamar Aguiar/ Palácio Piratini
Lançamento dos programas Investe Turismo e +Turismo.RS ocorreu no Salão Alberto Pasqualini, no Palácio Piratini - Foto: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini

O +Turismo.RS é uma parceria entre a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo, o Ministério do Turismo, o Sebrae, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Badesul – Agência de Fomento e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). O programa, de caráter itinerante, oferecerá apoio técnico aos municípios selecionados interessados em aprimorar a estrutura para atrair turistas. A intenção do programa é facilitar a adesão a linhas de crédito dos bancos de fomento, com juros facilitados de 7% a 10% ao ano, prazo de 20 anos para quitação e carência de até quatro anos.

A partir do dia 15 de agosto, a equipe técnica visitará representantes do setor público e privado de uma cidade em cada uma das 27 regiões turísticas do Estado. As cidades contempladas pelo roteiro itinerante são Arroio dos Ratos, Bagé, Bento Gonçalves, Canela, Canoas, Cruz Alta, Erechim, Iraí, Lagoa Vermelha, Lajeado, Montenegro, Novo Hamburgo, Passo Fundo, Pelotas, Porto Alegre, Santa Maria, Santana do Livramento, Santa Rosa, Santiago, Santo Ângelo, Sobradinho, Soledade, Taquara, Torres, Três Passos, Vacaria e Venâncio Aires.

O presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-RS, Gilberto Petry, explicou que a união de esforços traduzida na parceria promoverá uma convergência de ações em prol do desenvolvimento turístico no Estado. “Será de vital importância para pequenas e micro empresas especializadas no setor”, acrescentou. O governador assinou termo de cooperação entre o Estado e o Sebrae-RS, visando à cooperação na elaboração de projetos que promovam o desenvolvimento do turismo local e regional.

Programas como o RS Parcerias e o RS Seguro, embora não estejam diretamente ligados ao turismo, beneficiam a experiência dos visitantes que chegam ao Rio Grande do Sul. “A concessão de rodovias, por exemplo, viabilizará a qualificação das estradas, melhorando a experiência dos deslocamentos dentro do Estado. A concessão de aeroportos também é uma forma de qualificar a infraestrutura aeroportuária, atraindo mais visitantes”, ressaltou o governador. O RS Seguro contribui para garantir a segurança dos turistas, a fim de que possam desfrutar de uma estada tranquila e revigorante.

Titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray afirmou que os programas serão responsáveis por intensificar algo que o Rio Grande do Sul já faz com grande capacidade. “A parceria qualifica ainda mais a indústria e facilita a vida dos empreendedores para obter investimento em infraestrutura”, afirmou.

Investe Turismo aportará R$ 2,6 milhões para 12 cidades gaúchas

De âmbito nacional, o programa Investe Turismo é uma iniciativa do Sebare, do Ministério do Turismo e da Embratur. A iniciativa pretende contemplar 158 cidades brasileiras com um pacote de investimentos voltados para o setor de turismo, como incentivos a novos negócios, acesso ao crédito e melhorias de serviços, inovação e marketing. O investimento inicial, de R$ 200 milhões, quer aumentar a competitividade e acelerar o desenvolvimento em 30 rotas turísticas estratégicas do Brasil.

O lançamento do programa com foco no Rio Grande do Sul também ocorreu nesta quarta-feira (31/7), no Palácio Piratini. Com investimento de R$ 2,6 milhões, oriundos do Sebrae, o programa terá foco em 12 cidades: Bento Gonçalves, Cambará do Sul, Canela, Caxias do Sul, Garibaldi, Gramado, Jaquirana, Nova Petrópolis, Porto Alegre, São Francisco de Paula, São José dos Ausentes e São Miguel das Missões. A ideia é, em três meses, fazer um mapeamento de fluxo turístico para identificar perfil de consumo, destino de origem e satisfação quanto à experiência de turismo no Estado.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, explicou que a gestão do presidente Jair Bolsonaro decidiu dar prioridade ao tema. A meta do governo federal é atrair 12 milhões de turistas até 2022. Ele esteve recentemente em Gramado, na Serra gaúcha, e reconhece o potencial turístico do Estado. “É fundamental que o Rio Grande do Sul participe do programa, ainda mais quando se considera que Gramado é o 2º maior destino turístico brasileiro, atrás apenas do Rio de Janeiro”, observou.

A segunda etapa do programa, que deve começar a ser discutida em meados de setembro, envolve um investimento de R$ 300 milhões. “Precisamos fazer o potencial que temos virar realidade, gerando empregos e riqueza ao país", resumiu o ministro. 

Texto: Suzy Scarton
Edição: Vitor Necchi/Secom    Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

“Nunca pensei que o meu cafezinho fosse tão importante para o Sicredi”. A declaração foi de Regina Melo Gonçalves, prestadora de serviços terceirizada, na agência do Sicredi em Itaqui, ao final do encontro realizado na Superintendência Regional da Sicredi Pampa Gaúcho, no sábado, dia 27 de julho.

Regina era uma entre 70 pessoas que participaram do I Encontro de Terceiros e Fornecedores da Cooperativa, evento idealizado pelo diretor de Operações da Sicredi Pampa Gaúcho, Cleber Oliveira. “É impossível ter sucesso em qualquer negócio sem uma forte rede de fornecedores”, afirmou Oliveira.

“Nossa Cooperativa busca, em sua essência, a melhoria da qualidade de vida dos associados e da sociedade. Essa é uma causa nobre, por isso precisamos colocar todos envolvidos na mesma direção, na mesma sintonia.”, destacou Oliveira.

A valorização das pessoas que integram essa cadeia de prestação de serviços e a transformação das comunidades, não envolve apenas as equipes que atuam dentro das agências do Sicredi nos municípios da região. Foi com esse espírito que fornecedores e prestadores de serviços terceirizados foram recebidos. “Vocês são responsáveis por várias atividades, desde a vigilância, a limpeza, o café, até a criação de projetos e da construção e manutenção das agências e do fortalecimento da marca, com a produção de vídeos e peças publicitárias”, lembrou o presidente José Antônio Menezes.

Já o diretor Executivo, Henrique Assis, compartilhou com o grupo o momento atual da Cooperativa, que atua em uma gestão por propósito, onde o associado é o foco principal, num processo de oferta de soluções financeiras responsáveis, conforme o perfil de cada um. “Seguimos condutas que auxiliam a trabalharmos com propósito”, lembrou.

A gerente de Gestão de Pessoas, Cecimari Souza, destacou o quanto cada um é importante e necessário para a busca pela excelência na realização de negócios.

Sérgio Lima, da Maxitec, empresa fornecedora do Sicredi, manifestou-se ao final do evento, dizendo que se sente comprometido com o Sicredi, pela maneira como a Cooperativa valoriza seu trabalho e dos demais fornecedores. “Sinto-me honrado em prestar serviço para o Sicredi, pois é uma empresa que cresce, me valoriza e investe no ser humano.”

Ao final do evento, o sentimento era um só: do quanto é importante para todos, sem exceção, a busca pela gestão eficaz e pela qualidade no relacionamento.

 

Mônica Freitas Valle Corrêa

Assessora de Comunicação e Marketing

Área de Relacionamento

A última e mais aguardada final envolveu os finalistas da Série Prata, Terasaki e Mônaco Santanense. As equipes foram festejadas na entrada em quadra no cerimonial que teve anuncio de atleta por atleta, execução de hinos do Brasil e Uruguai e posse para fotos oficiais. Com a bola rolando o Terasaki surpreendeu com marcação adiantada e pressão na saída de bola do Mônaco. A equipe criou as primeiras duas chances mas pararam no jovem goleiro Muriel. A terceira tentativa não teve jeito e Henri bateu duas vezes na bola entra da área e caído a empurrou para dentro da área, 1 x 0, Terasaki. Com a vantagem o Terasaki tratou de marcar meia quadra e explorar o contra ataque. O Mônaco, porém, usou o lado da quadra e no chute cruzado e Robson Binho empatou a partida. As arrancadas do fixo deram certo novamente e desta vez Binho carregou a bola até finalizar no canto de Cristian e virar o jogo para o Mônaco. O Terasaki retomou a carga para tentar o empate e ele veio após o tabelamento de Henry e Fernando Lima, que finalizou de calcanhar e empatou a decisão. No último lance do primeiro tempo o Mônaco teve uma falta a seu favor. Binho, Hilton e Somália participaram da jogada ensaiada e Somália finalizou para fazer o 3 x 2. Na etapa final Fernando Lima assumiu a responsabilidade de trazer sua equipe para a reação e na primeira chance ele soltou a bomba do meio da quadra para empatar a partida. O Mônaco pressionou mais nos minutos seguintes, perdendo chance e até acertando uma bola na trave. Mas num erro de passe de Hilton, Lima dominou no peito e bateu forte para virar o jogo para o Terasaki, 4 x 3. O Mônaco seguiu tentando infiltrar na boa marcação do Terasaki, que manteve a aposta no contra ataque. No jogo das estratégias a do Terasaki voltou a funcionar e depois de recuperar a bola Mauro foi no fundo da quadra e cruzou para Antony fazer o 5 x 3, Terasaki. O placar parecia definitivo pois faltavam cinco minutos para o final. Mas o Mônaco foi paciente e insistente e começou a reação na troca de passes dos irmãos Binho e Somália, que acabou o gol de Binho, o quarto da equipe. O gol animou ainda mais a equipe do Mônaco, que tratou de aposta no passe para o pivô Hilton. A decisão não poderia ser a melhor. Pois após um giro em cima da marcação ele tirou do goleiro e empatou a partida. A decisão então ficou aberta, com os dois times buscando o gol do título. A 40seg do final, Hilton recebeu um lançamento na direita e bateu de esquerda para surpreender Cristian e promover a virada espetacular do Mônaco, que saiu de um 5 x 3, adverso para uma virada de 6 x 5, nos segundos finais. O Terasaki tentou adiantar o time e fazer uma blitz nos segundo finais, mas Luis Paulo roubou a bola do goleiro Cristian e com o gol aberto fez o 7 x 5, garantindo o título do Mônaco, que fez uma grande festa com a torcida. Depois da festa de gols, a Arena Eventos montou o palco para a solenidade de premiação aos campeões e destaques individuais dos campeonatos, fechando já na segunda-feira um final de semana de decisões no CFL 2019. Todas as atenções agora se voltam a Série Ouro, Sub 15 e Citadino Master, que abrem disputa no próximo domingo, dia quatro de agosto. O CFL 2019 é patrocinado por, Movilcor, CFC Santanense, Gato e Sapato e Zapatodos, CHS – Centro Hospitalar Santanense, Unimed Fronteira, Posto Larratea, Uniagro / Erva Mate Charme, Provedor A Plateia, Transportes Thomaz, Casa dos Troféus e apoiado por, Óptica Foco, ML 3 Football e Comdica-Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente.

Mais um importante símbolo do Município foi revitalizado e entregue a comunidade pelo Governo Municipal. Na semana de comemoração dos 196 anos de Sant’Ana do Livramento, a Fonte Luminosa estreou seu novo sistema de iluminação. Durante ato na noite da última sexta-feira (26), o prefeito Ico Charopen e o secretário de Serviços Urbanos, Airton Flores, apresentaram a revitalização da Fonte, que além de contar com nova iluminação, teve suas bombas trocadas e recebeu nova pintura. “Nosso Governo está deixando uma marca importante de devolver aos santanenses símbolos significativos da nossa cidade: no ano passado, devolvemos a Santinha ao Planalto, e neste ano, conseguimos, graças ao empenho dos servidores dos Serviços Urbanos e do DAE, entregar a Fonte em pleno funcionamento”, destacou o Prefeito Ico Charopen.

 Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social
 

 

A confiança da indústria brasileira caiu no mês de julho e chegou ao pior nível desde outubro de 2018, divulgou hoje (29) o Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Calculado a partir de informações de 1.142 empresas, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) teve retração de 0,9 ponto em julho, chegando a 94,8 pontos.

Segundo a pesquisa, a confiança recuou em 11 dos 19 segmentos industriais pesquisados, e as quedas foram concentradas na avaliação do cenário atual. O Índice de Situação Atual caiu 2,2 pontos e chegou a 94,4, enquanto o Índice de Expectativas, que mede as projeções do setor para o futuro, teve sua primeira alta em 2019. O indicador avançou 0,5 ponto, chegando a 95,3.

De acordo com o Ibre/FGV, caiu de 19,6% para 11,9% o percentual de empresas que avaliaram a situação atual como boa, e subiu de 21,1% para 22,7% o das que consideram que o cenário é ruim. Por outro lado, a parcela de empresas que preveem melhora aumentou de 34,9% para 38,4%, enquanto o grupo que acredita em piora diminuiu de 13,2% para 10,3%.

O nível de utilização da capacidade instalada da indústria subiu de 75% para 75,5% em julho, segundo a sondagem. O indicador mede o quanto a indústria utilizou de seu potencial total de produção. Outros dados mostram que houve piora no nível de estoques e nas perspectivas de emprego e produção para os próximos três meses.

 
 
Edição: Fernando Fraga
 
Por Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil

Um levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) mostrou que nos últimos nove anos o Brasil desativou 15,9 mil leitos de internação pediátrica, aqueles destinados a crianças que precisam permanecer no hospital por mais de 24 horas. Segundo a SBP, dados obtidos no Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES), mantido pelo Ministério da Saúde, indicam que em 2010, o país dispunha de 48,8 mil leitos no Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2019, segundo dados relativos ao mês de maio, o número baixou para cerca de 35 mil. 

A pesquisa também mostra que os leitos disponíveis nos planos de saúde ou em unidades privadas caíram em 2.130 no mesmo período, com 19 estados perdendo leitos pediátricos nessa rede. São Paulo desponta com a maior queda: ao todo foram 762 unidades encerradas, seguido do Rio Grande do Sul (-251) e Maranhão (-217).

Segundo os dados, os estados das regiões Nordeste e Sudeste foram os que mais sofreram com a redução de leitos de internação no SUS, com 5.314 e 4.279 leitos a menos, respectivamente. Em seguida estão as regiões Sul (-2.442 leitos), Centro-Oeste (-1136) e Norte (-643).

São Paulo foi o estado que mais perdeu leitos de internação infantil entre 2010 e 2019, com 1.583 leitos pediátricos desativados. No sentido contrário dois estados tiveram aumento no número de leitos SUS: Amapá, que saltou dos 182 leitos pediátricos existentes em 2010 para 237 no fim do ano passado, e Rondônia, foi de 508 para 517.

Entre as capitais, São Paulo lidera o ranking dos que mais perderam leitos na rede pública (-422), seguidos por Fortaleza (-401) e Maceió (-328). Três capitais, Salvador, Macapá e Manaus, conseguiram elevar a taxa de leitos, o que sugere que o grande impacto de queda tenha recaído sobre as demais cidades metropolitanas ou interioranas dos estados. 

Infraestrutura precária

Segundo a presidente da SBP, Luciana Rodrigues Silva, as informações coincidem com o panorama de limitações e precária infraestrutura que se apresenta àqueles que diariamente atuam nos serviços de assistência pediátrica. “A queda na qualidade do atendimento tem relação direta com recursos materiais insuficientes. Essa progressiva redução no número de leitos implica obviamente em mais riscos para os pacientes, assim como demonstra o sucateamento que se alastra pela maioria dos serviços de saúde do país”, disse.

De acordo com Luciana, entre os agravos que mais têm levado as crianças a precisar de internação estão as doenças respiratórias, com prevalência acentuada nos períodos de outono e inverno, como bronquiolites, crises de asma e pneumonias. Os problemas gastrointestinais, casos de alergias e as chamadas arboviroses, também de ocorrência sazonal, completam a lista que contribuem para o crescimento dessa demanda.

UTIs neonatais

De acordo com a SBP, levando em conta o número de prematuros que nascem no Brasil (912 por dia), faltam pelo menos 2.657 leitos intensivos neonatais em todo o Brasil, sendo que o ideal seria haver no mínimo quatro leitos para cada grupo de mil nascidos vivos. 

“Atualmente, no entanto, dados do Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (Cnes) indicam a existência 9.037 leitos do tipo no país, públicos e privados, que correspondem a 3,1 por mil nascidos vivos. Se considerados apenas os leitos oferecidos no SUS, esta taxa cai para 1,6 leitos por mil 1.000, considerando as 4.764 unidades existentes”, diz a SBP.

Entre os estados, o pior resultado apurado pela SBP consta em Roraima, onde os 12 leitos de UTI neonatal disponíveis compõem a taxa de 1,02 leito por mil nascidos vivos.  Na segunda pior posição, o Amazonas, com 1,29 leito por um milhar, seguido do Acre, onde o mesmo grupo de recém-nascidos tem 1,34 leito. Na outra ponta, três unidades da federação atingiram a taxa mínima preconizada pelos pediatras: Rio de Janeiro, com 5,53 leitos por mil nascidos vivos; Espírito Santo, com taxa de 4,82 leitos; e Distrito Federal, com 4,22.

Ministério da Saúde

Por meio de nota, o Ministério da Saúde informou que, de 2010 a maio de 2019 foi registrado aumento de quase três vezes no número dos leitos complementares no SUS, incluindo os de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), passando de 10.787 para 30.855, dos quais 4.764 de UTI Neonatal e 2.525 leitos de UTI Pediátrico. Os leitos de UTI são os de maior complexidade, que exigem estrutura e esforço de profissionais, além de serem destinados a pacientes em casos graves. 

“O Ministério da Saúde, nos últimos anos, investiu na expansão de leitos pediátricos e neonatais para atendimento de maior complexidade, destinados a pacientes graves e que exigem maior estrutura e esforço de profissionais. O crescimento da oferta de leitos de cuidados intermediários e intensivos para esses casos foi de 25% entre 2010 e 2018, totalizando atualmente mais de 11,6 mil leitos no SUS, de julho de 2010 a março de 2019”, diz a nota.  

Segundo o Ministério, a habilitação de novos leitos deve ser solicitada pelos gestores locais. A habilitação e a liberação de recursos são feitas mediante apresentação de projetos, que são analisados pela pasta. “O gestor local também tem autonomia para ampliar o número de leitos com recursos próprios, a partir de sua avaliação em relação a demanda e necessidade e capacidade instalada de oferta assistencial. A habilitação de leitos pelo Ministério da Saúde assegura recursos adicionais para o custeio do serviço”.
 

Edição: Fábio Massalli
 
Por Flávia Albuquerque  - Repórter da Agência Brasil 

No sexto dia de disputas dos Jogos Pan-Americanos, o Brasil conquistou importantes medalhas em diferentes modalidades. Mas o grande destaque foi o taekwondo, com marcas históricas sendo batidas nesta segunda (29).

A conquista de maior destaque da equipe de taekwondo do Brasil hoje veio no início da noite, com o ouro conquistado por Milena Titoneli na categoria até 67 kg. Em uma luta parelha a brasileira derrotou a norte-americana Paige Pherson por 9 a 7. Com o triunfo, Milena se tornou a primeira mulher brasileira campeã do taekwondo nos Pan-Americanos.

Time Brasil
 
@timebrasil
 
 

É OUROOOOOOO! ????????????

Que luta emocionante! Milena Titoneli encerrando as competições de taekwondo em grande estilo: 7 medalhas em 8 categorias.

Ver imagem no Twitter
 
81 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Havia a expectativa de mais um ouro nesta segunda. Mas Ícaro Martins acabou derrotado, por 19 a 17, pelo colombiano Miguel Angel Trejos na final da categoria até 80 kg, e garantiu a prata após uma luta muito emocionante.

Com isso o Brasil alcançou sua melhor campanha no taekwondo na história dos Jogos Pan-Americanos, com 7 medalhas conquistadas.

Mas a primeira medalha do Brasil no taekwondo, nesta segunda, veio com o medalhista olímpico Maicon Andrade. Após derrotar o equatoriano Jesus Perea ele levou para casa a medalha de bronze na categoria acima de 87 kg.

Outro terceiro lugar alcançado hoje na modalidade veio com Raiany Fidelis, que derrotou a venezuelana Carolina Fernandez na categoria acima de 67 kg.

Bronze na ginástica artística

Na ginástica artística, Flávia Saraiva fez uma ótima apresentação no solo, alcançando a melhor nota do dia neste aparelho, e conquistou a medalha de bronze no individual geral. No total a brasileira somou 54.350 pontos, fincando atrás apenas da canadense Ellie Black, que ficou com o ouro ao alcançar 55.250, e da canadense Riley McCusker, que garantiu a prata ao somar 55.125.

Time Brasil
 
@timebrasil
 
 

OBRIGADO, FLAVINHA! ☺️

 
Vídeo incorporado
 
93 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Este é o segundo bronze de Flávia Saraiva no individual geral em Jogos Pan-Americanos. Em 2015, em Toronto, ela alcançou a mesma marca. A segunda brasileira nesta decisão, Thaís Fidelis, ficou na sexta posição.

Bronze no hipismo - Vaga em Tóquio 2020

Outro bronze obtido hoje foi no adestramento por equipe do hipismo. Porém, a terceira posição obtida pelos brasileiros Pedro Tavares, Leandro da Silva, João Paulo dos Santos e João Victor Marcari teve um sabor especial. Esta posição garantiu a presença brasileira na modalidade na próxima edição dos Jogos Olímpicos, que será realizado ano que vem em Tóquio.

Time Brasil
 
@timebrasil
 
 

É BRONZEEEEE! E é um que vale por 4! Brasil conquista o terceiro lugar no hipismo adestramento nos @Lima2019Juegos, atrás de Canadá e Estados Unidos, e fica com a medalha de bronze e a classificação para @Tokyo2020!

Ver imagem no Twitter
 
41 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Bronze no pentatlo moderno

Também em equipe, mas no pentatlo moderno feminino, o Brasil garantiu um bronze com Isabella Antonietto e Priscila Santana. As norte-americanas ficaram com o ouro e as cubanas com a prata.

Time Brasil
 
@timebrasil
 
 

BROOOONZE NO PENTATLO! ????????????

Priscila Oliveira e Isabela Abreu, senhoras e senhores!

Mais uma pra conta, agora no revezamento feminino.

Ver imagem no Twitter
 
55 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Bronze no wakeboard

Já em uma modalidade individual, o wakeboard, Mariana Nep conquistou mais um bronze para o Brasil.

Ouro na canoagem

Hoje mais cedo o baiano Isaquias Queiroz conquistou o ouro na prova de 1.000 metros do C1 da canoagem de velocidade com o tempo de 3m47s631. Esta é a quartamedalha do brasileiro em Pan-Americanos.

Time Brasil
 
@timebrasil
 
 

Caiu bem, hein! ????

Ver imagem no Twitter
 
41 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Também na canoagem o Brasil obteve dois bronzes. O primeiro foi com Ana Paula Vergutz nos 500 metros do K1. Para alcançar a medalha ela fez o tempo de 1m54s294.

O outro veio com Vagner Souta nos 1.000 metros do K1. O brasileiro marcou um tempo de 3m35s960 na prova.

Ouro no triatlo

O Brasil garantiu outra medalha dourada no revezamento misto de triatlo. A equipe brasileira foi formada por Luisa Baptista, Vittoria Lopes, Manoel Messias e Kauê Willy. Esta foi a quarta medalha do triatlo brasileiro na atual edição do Pan.

Time Brasil
 
@timebrasil
 
 

MAIS UMA NO PEITO, ????????!

Como é bom ver uma equipe de triatlo tão jovem, competitiva e vencedora. ????????‍♂️????‍♀️????‍♀️

Ver imagem no Twitter
 
88 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Até o momento, Brasil soma 25 medalhas; 7 de ouro, 5 de prata e 13 de bronze. A 18ª edição dos Jogos Pan-Americanos de 2019 vai até o dia 11 de agosto em Lima, no Peru.

 

Edição: Liliane Farias
 
Por Fábio Lisboa - Repórter da TV Brasil 
 
 
Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

No sexto dia de disputas dos Jogos Pan-Americanos, o Brasil conquistou importantes medalhas em diferentes modalidades. Mas o grande destaque foi o taekwondo, com marcas históricas sendo batidas nesta segunda (29).

A conquista de maior destaque da equipe de taekwondo do Brasil hoje veio no início da noite, com o ouro conquistado por Milena Titoneli na categoria até 67 kg. Em uma luta parelha a brasileira derrotou a norte-americana Paige Pherson por 9 a 7. Com o triunfo, Milena se tornou a primeira mulher brasileira campeã do taekwondo nos Pan-Americanos.

Time Brasil
 
@timebrasil
 
 

É OUROOOOOOO! ????????????

Que luta emocionante! Milena Titoneli encerrando as competições de taekwondo em grande estilo: 7 medalhas em 8 categorias.

Ver imagem no Twitter
 
81 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Havia a expectativa de mais um ouro nesta segunda. Mas Ícaro Martins acabou derrotado, por 19 a 17, pelo colombiano Miguel Angel Trejos na final da categoria até 80 kg, e garantiu a prata após uma luta muito emocionante.

Com isso o Brasil alcançou sua melhor campanha no taekwondo na história dos Jogos Pan-Americanos, com 7 medalhas conquistadas.

Mas a primeira medalha do Brasil no taekwondo, nesta segunda, veio com o medalhista olímpico Maicon Andrade. Após derrotar o equatoriano Jesus Perea ele levou para casa a medalha de bronze na categoria acima de 87 kg.

Outro terceiro lugar alcançado hoje na modalidade veio com Raiany Fidelis, que derrotou a venezuelana Carolina Fernandez na categoria acima de 67 kg.

Bronze na ginástica artística

Na ginástica artística, Flávia Saraiva fez uma ótima apresentação no solo, alcançando a melhor nota do dia neste aparelho, e conquistou a medalha de bronze no individual geral. No total a brasileira somou 54.350 pontos, fincando atrás apenas da canadense Ellie Black, que ficou com o ouro ao alcançar 55.250, e da canadense Riley McCusker, que garantiu a prata ao somar 55.125.

Time Brasil
 
@timebrasil
 
 

OBRIGADO, FLAVINHA! ☺️

 
Vídeo incorporado
 
93 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Este é o segundo bronze de Flávia Saraiva no individual geral em Jogos Pan-Americanos. Em 2015, em Toronto, ela alcançou a mesma marca. A segunda brasileira nesta decisão, Thaís Fidelis, ficou na sexta posição.

Bronze no hipismo - Vaga em Tóquio 2020

Outro bronze obtido hoje foi no adestramento por equipe do hipismo. Porém, a terceira posição obtida pelos brasileiros Pedro Tavares, Leandro da Silva, João Paulo dos Santos e João Victor Marcari teve um sabor especial. Esta posição garantiu a presença brasileira na modalidade na próxima edição dos Jogos Olímpicos, que será realizado ano que vem em Tóquio.

Time Brasil
 
@timebrasil
 
 

É BRONZEEEEE! E é um que vale por 4! Brasil conquista o terceiro lugar no hipismo adestramento nos @Lima2019Juegos, atrás de Canadá e Estados Unidos, e fica com a medalha de bronze e a classificação para @Tokyo2020!

Ver imagem no Twitter
 
41 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Bronze no pentatlo moderno

Também em equipe, mas no pentatlo moderno feminino, o Brasil garantiu um bronze com Isabella Antonietto e Priscila Santana. As norte-americanas ficaram com o ouro e as cubanas com a prata.

Time Brasil
 
@timebrasil
 
 

BROOOONZE NO PENTATLO! ????????????

Priscila Oliveira e Isabela Abreu, senhoras e senhores!

Mais uma pra conta, agora no revezamento feminino.

Ver imagem no Twitter
 
55 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Bronze no wakeboard

Já em uma modalidade individual, o wakeboard, Mariana Nep conquistou mais um bronze para o Brasil.

Ouro na canoagem

Hoje mais cedo o baiano Isaquias Queiroz conquistou o ouro na prova de 1.000 metros do C1 da canoagem de velocidade com o tempo de 3m47s631. Esta é a quartamedalha do brasileiro em Pan-Americanos.

Time Brasil
 
@timebrasil
 
 

Caiu bem, hein! ????

Ver imagem no Twitter
 
41 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Também na canoagem o Brasil obteve dois bronzes. O primeiro foi com Ana Paula Vergutz nos 500 metros do K1. Para alcançar a medalha ela fez o tempo de 1m54s294.

O outro veio com Vagner Souta nos 1.000 metros do K1. O brasileiro marcou um tempo de 3m35s960 na prova.

Ouro no triatlo

O Brasil garantiu outra medalha dourada no revezamento misto de triatlo. A equipe brasileira foi formada por Luisa Baptista, Vittoria Lopes, Manoel Messias e Kauê Willy. Esta foi a quarta medalha do triatlo brasileiro na atual edição do Pan.

Time Brasil
 
@timebrasil
 
 

MAIS UMA NO PEITO, ????????!

Como é bom ver uma equipe de triatlo tão jovem, competitiva e vencedora. ????????‍♂️????‍♀️????‍♀️

Ver imagem no Twitter
 
88 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Até o momento, Brasil soma 25 medalhas; 7 de ouro, 5 de prata e 13 de bronze. A 18ª edição dos Jogos Pan-Americanos de 2019 vai até o dia 11 de agosto em Lima, no Peru.

 

Edição: Liliane Farias
 
Por Fábio Lisboa - Repórter da TV Brasil 
 
 
Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br
Página 9 de 362
Topo