Gisnei

Gisnei

Pelo quinto mês consecutivo, o Brasil teve um saldo positivo na geração de emprego formal. Em agosto, o número de vagas adicionais no mercado de trabalho foi 121.387, que é o saldo positivo decorrente 1.382.407 admissões e de 1.261.020 desligamentos. As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quarta-feira (25) pela Secretaria de Trabalho da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

O resultado de agosto representa uma variação de 0,31% em relação ao mês anterior. Foi o melhor resultado para o mês de agosto desde 2013, segundo os números. No acumulado de 2019 foram criados 593.467 novos postos, com variação de 1,55% do estoque do ano anterior. No mesmo período de 2018 houve crescimento de 568.551 empregos. 

Entre os principais setores da economia, quatro tiveram saldo positivo de emprego e em dois houve mais fechamento de vagas no mês encerrado em agosto. Lidera o número de empregos gerados a área de serviços (61.730 postos), seguida por comércio (23.626), indústria de transformação (19.517), construção civil (17.306), administração pública (1.391) e extrativa mineral (1.235). Apresentaram saldo negativo a agropecuária (-3.341 postos) e os serviços industriais de utilidade pública/SIUP (-77 postos).

Regiões e salário médio

Todas as cinco macroreegiões do país registraram saldo positivo de emprego em agosto. No Sudeste, foram criados 51.382 novos empregos, seguido por Nordeste (34.697), Sul (13.267), Centro-Oeste (11.431) e Norte (10.610). 

O salário médio de admissão em agosto de 2019 foi de R$ 1.619,45 e o salário médio de desligamento, de R$1.769,59. Em termos reais (mediante deflacionamento pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor - INPC) houve aumento de 0,44% no salário de admissão e 0,09% no salário de desligamento em comparação ao mês anterior. Em relação ao mesmo mês do ano anterior foi registrado crescimento de 1,97% para o salário médio de admissão e de 1,02% para o salário de desligamento.

Reforma trabalhista

Com base nas regras da reforma trabalhista, que permite acordo de demissão entre patrões e empregados, o Caged registrou um total de 18.420 desligamentos nessa modalidade, que representa 1,5% do total envolvendo 13.351 estabelecimentos, em um universo de 12.105 empresas.

O mês de agosto também registrou 12.929 admissões e 6.356 desligamentos na modalidade de trabalho intermitente, em que o empregado fica à disposição do empregador, mas só recebe quando é convocado a trabalhar. Esse tipo de contratação gerou, no mês passado, um saldo de 6.573 empregos, envolvendo 3.239 estabelecimentos e 2.830 empresas contratantes. Um total de 85 empregados celebrou mais de um contrato na condição de trabalhador intermitente.

Foram registradas em agosto 7.804 admissões em regime de tempo parcial e 5.154 desligamentos, gerando saldo de 2.650 empregos, envolvendo 4.211 estabelecimentos e 3.583 empresas contratantes. Um total de 44 empregados celebrou mais de um contrato em regime de tempo parcial.

* Texto ampliado às 16h33

Edição: Fábio Massalli
 
Por Pedro Rafael Vilela - Repórter da Agência Brasil
 
Foto: MARCELLO CASAL JR

Os participantes que obtiveram a nota mínima exigida no Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) devem buscar as secretarias estaduais de educação ou institutos federais para obter o documento que comprova a conquista da qualificação. Hoje (25), o Ministério da Educação (MEC), divulgou orientações a esses estudantes.

As secretarias estaduais de Educação devem ser procuradas para emitir o certificado. Além disso, no caso do aprovado no ensino médio, também é possível pedir o documento em Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia que firmaram Termo de Adesão ao Encceja. O candidato deve ir ao instituto que indicou no momento da inscrição para realizar a solicitação do certificado. O atendimento pode ser realizado em 283 campus de 32 institutos credenciados que estão espalhados em 24 unidades da Federação. Apenas Ceará, Alagoas e Tocantins não possuem unidades cadastradas.

Apesar de não ser obrigatório, levar a página impressa com o resultado ajudará o atendente no processo de identificação da nota e fará com que o certificado seja emitido mais rapidamente. O resultado da prova realizada em 2019 está previsto para dezembro e poderá ser consultado no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira .

Tem direito ao certificado de conclusão do ensino fundamental ou do ensino médio o participante que atingiu, no mínimo, 100 pontos em cada uma das áreas de conhecimento e tirou nota igual ou maior do que 5 em redação. A certificação pode ser solicitada por participantes aprovados no exame em edições de anos passados, desde 2006.

Certificação parcial

Aqueles estudantes que obtiveram a nota mínima em uma área do conhecimento, mas não nas quatro provas do Encceja, podem requerer a declaração parcial de proficiência. Com ela, o participante poderá se inscrever apenas para as áreas nas quais não obteve a pontuação necessária na próxima edição do exame.

No caso da declaração parcial de proficiência em linguagens, códigos e suas tecnologias, no ensino médio, o estudante deve ter atingido, ao mesmo tempo, o mínimo de 100 pontos na prova e 5 pontos na redação, na mesma edição do exame.

No ensino fundamental, pode solicitar a declaração parcial de proficiência quem conseguiu, pelo menos, 100 pontos em língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes e/ou educação física. O participante também precisa ter alcançado nota 5 ou superior em redação, na mesma edição do Encceja.

Encceja

O Encceja é um exame para jovens e adultos que não tiveram oportunidade de concluir os estudos na idade apropriada. Os interessados em tentar o certificado do ensino fundamental devem ter, no mínimo, 15 anos de idade completos na data da prova; para obter o certificado do ensino médio, a idade mínima exigida é de 18 anos.

Edição: Valéria Aguiar
 
Por Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil

Com portões fechados o técnico Renato Portaluppi definiu o time que enfrenta o Avaí, às 20h desta quinta-feira, na Arena. Se a escalação não foi divulgada, pelo trabalho recreativo foi possível observar que o lateral-esquerdo Cortez não tem resquícios do desconforto sentido na vitória contra o Santos, no final de semana, e pode fazer parte do time que vai a campo, assim como o volante Maicon. O treino de hoje também indica, de certa forma, o time que joga domingo, no Rio de Janeiro.

A partida contra o Avaí deve ser a última dos titulares antes do jogo da próxima quarta, contra o Flamengo. Dessa forma, Cortez pode iniciar ao lado dos jogadores que Renato projeta atuarem pela Libertadores. Recuperado de lesão e em condições, Maicon é uma das presenças incertas - a parte fechada definiu entre a sua escalação ou de Michel. Quem não jogar contra os catarinenses deverá estar em campo contra o Fluminense, no Maracanã.

Quem também está recuperado de lesão e pode reforçar o Grêmio na quinta ou no final de semana é o lateral-direito Léo Moura. Ele treina normalmente desde a segunda-feira e pode aparecer nos jogos preparatórios à Libertadores. Galhardo tem sido, nas últimas semanas, a única opção de Renato para o setor. Contra o Avaí, o provável Grêmio tem Paulo Victor; Galhardo (Léo Moura), David Braz, Kannemann e Cortez; Michel (Maicon), Matheus Henrique, Alisson, Luan e Everton; Tardelli. 

Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Fonte: https://www.gremio.net

Na manhã da última segunda-feira (23), o prefeito Ico Charopen se reuniu na Sala do Investidor, juntamente com o Secretário Geral de Governo, Enrique Civeira, para tratar de mais uma importante etapa cumprida na conquista da unidade do SEST SENAT para a nossa Sant’Ana do Livramento.

Na oportunidade, o Secretário de Desenvolvimento Calico Grisolia fez a entrega da Licença de Instalação, emitida pela Secretaria de Planejamento, ao Presidente do Sinditransportes e representante do SEST SENAT. A expectativa é que em 90 a 120 dias, o processo licitatório esteja concluído e iniciem as obras.

Um empreendimento que deve ultrapassar os R$15 milhões e que vai gerar vários novos postos de trabalho na nossa cidade!

Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social

A prevenção de mortes decorrentes de doenças cardiovasculares, como o acidente vascular cerebral (AVC) e a endocardite, é um dos temas do 5º Fórum Siga seu Coração, que ocorre hoje (24), em Brasília. De acordo com a plataforma Cardiômetro, da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), mais de 289 mil pessoas morreram em decorrência dessas patologias, no país, até as 15h desta terça-feira. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta as doenças cardiovasculares como a principal causa de morte no mundo. Em seu levantamento mais recente, que apresenta dados de 2015, a entidade informa que, naquele ano, o total de óbitos envolvendo essas enfermidades chegou a 17,7 milhões. O número representou 31% das mortes registradas em âmbito global.

O diretor de Promoção de Saúde Cardiovascular da SBC, Fernando Costa, disse que a hereditariedade pode favorecer o desenvolvimento desse tipo de doença. "Por outro lado, nós temos os fatores modificáveis. Quais são? Obesidade, circunferência abdominal, sedentarismo, hipertensão, diabetes e colesterol. Eu posso modificá-los, não posso? Tomo remédio, faço exercício. Quando você não modifica isso, há o que chamamos de estresse oxidativo. Isso causa um problema no vaso, nas artérias, principalmente".

Segundo Costa, a medida que mais faz diferença é a adoção de um estilo de vida saudável, que alie dieta alimentar adequada à prática de exercícios físicos. "Prevenir é prolongar uma vida saudável", disse.

Como sugestão às pessoas que têm dificuldade para se manter fisicamente ativas, o cardiologista simplifica, indicando caminhadas e o uso de aplicativos que contem os passos dados ao longo do dia. "Dez mil passos por dia e você tem atividade física", disse.

Além do sedentarismo, o tabagismo e o uso abusivo de álcool são outros fatores de risco, no caso das doenças cardiovasculares. A apneia do sono, por sua vez, pode aumentar em 3,7% as chances de uma pessoa desenvolver tais enfermidades. 

Atividades físicas

Em julho deste ano, o Ministério da Saúde divulgou uma atualização da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). Uma das taxas que apresentou alta, na comparação de 2009 com 2018, foi a relativa à parcela da população que se exercita no tempo livre. No período analisado, a proporção subiu de 30,3% para 38,1%.

O estudo revelou ainda que a dedicação a uma rotina de exercícios que dure ao menos 150 minutos semanais é algo mais comum entre homens (45,4%) do que mulheres (31,8%). Adultos com idade entre 35 e 44 anos geraram o aumento mais expressivo na última década, de 40,6%.

Ainda conforme a pesquisa, a taxa global de inatividade física sofreu queda de 13,8% em relação a 2009. O percentual de inatividades das mulheres é de 14,2% e o dos homens, ligeiramente inferior, de 13%.

O governo federal destaca o lançamento do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) como a ação mais significativa para a diminuição no número de internações e óbitos resultantes de doenças cardiovasculares. Na base do plano está a expansão da Atenção Básica, que conta, atualmente, com 42,9 mil unidades básicas de Saúde em funcionamento e 263,4 mil agentes comunitários de Saúde em todo o país. Ao todo, as 42,6 mil equipes de Saúde da Família atendem a 64,6% da população.
 

Edição: Fábio Massalli
Por Letycia Bond - Repórter da Agência Brasil 

A modernização de três normas foi publicada hoje (24) no Diário Oficial da União pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia.

Estão com nova redação a Norma Regulamentadora NR-3, sobre embargo e interdição; a NR-24, que trata das condições de higiene e conforto nos locais de trabalho; e a NR-28, de fiscalização e penalidades. Com isso, chega a seis o número de normas sobre segurança e saúde dos trabalhadores nas empresas que já passaram por revisão este ano.

Modernização

Segundo a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, a modernização das 36 normas reguladoras em vigor na data, iniciada em fevereiro, prevê revisão de todo o conteúdo.

Conduzida pela Secretaria do Trabalho da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, a modernização ocorre a partir de discussões na Comissão Tripartite Paritária Permanente (CTPP), que tem representantes do governo, de empregadores e trabalhadores. Também estão sendo levadas em conta as convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Embargo e Interdição

A norma regulamentadora NR-3, anteriormente vigente, tinha cinco itens, fazendo com que seu conteúdo fosse subjetivo, na avaliação da secretaria. “A nova NR 3 estabelece diretrizes e requisitos técnicos objetivos para caracterização das situações ou condições de trabalho que levem ao embargo e interdição. Esses requisitos técnicos, que até então não eram claro, tem como objetivo auxiliar os auditores a tomarem decisões consistentes e transparentes.”

Condições de Higiene e Conforto nos locais de Trabalho

Para a secretaria, os problemas mais graves da NR-24 estavam relacionados à desatualização da norma. Publicada em 1978, ela ainda estava vigente com a mesma redação e trazia exigências que 41 anos. “Entre os itens obsoletos da regra, estavam a exigência de que as janelas dos alojamentos fossem de madeira ou de ferro; determinava o uso de lâmpadas incandescentes, obrigava a instalação de um banheiro masculino e um feminino para qualquer tipo e tamanho de empreendimento e previa a possibilidade de aplicar mais de 40 multas apenas em um banheiro.”

Pela nova NR-24, estabelecimentos com funções comerciais, administrativas ou similares com até 10 trabalhadores podem ter apenas um banheiro individual de uso comum entre os sexos, desde que garantida a privacidade. Também de acordo com as mudanças, todas as instalações previstas, como sanitários, vestiários e locais para refeições, por exemplo, deverão ser dimensionadas com base no número de trabalhadores usuários do turno com maior contingente.

Fiscalização e penalidades

Com a modernização da NR-28, que estabelece as linhas de fiscalização, caiu para 4 mil o número de possibilidades de multa para todo o setor produtivo. Como é para toda a economia, uma mesma empresa não está submetida a todas essas linhas de fiscalização. Exemplo: a construção civil tem 600 itens aplicáveis, enquanto 534 são do setor de mineração.

Com a revisão das outras 30 NRs, o número terá uma redução ainda maior.

A norma antiga previa aproximadamente 6,8 mil possibilidades de multas. Na nova NR-28, ocorreu um processo de racionalização dessas possibilidades de multas. Tópicos que tratavam do mesmo assunto foram unificados, sem prejuízo aos trabalhadores ou à ação da auditoria fiscal, informou a secretaria.

Edição: Maria Claudia
Por Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil

O momento colorado no Campeonato Brasileiro é extremamente positivo. Nas últimas quatro partidas, a equipe comandada pelo técnico Odair Hellmann conquistou quatro vitórias e assegurou um lugar no G4 da competição. Após abrir o returno vencendo a Chapecoense dentro de casa, o Inter vai ao Rio de Janeiro para enfrentar o Flamengo. O duelo está marcado para esta quarta-feira (25/9), às 21h30, no Maracanã, pela 21ª rodada. Os cariocas lideram o Brasileirão, sendo um confronto direto pelas primeiras posições na tabela. A Rádio Colorada no FM 95.5 e as redes sociais do Clube acompanham todos os detalhes da partida em tempo real. 

O último treinamento antes de viajar ao Rio aconteceu na manhã desta terça-feira (24/9), numa atividade com portões fechados para a imprensa no estádio Beira-Rio. O treinador colorado optou pela privacidade para definir o time que entrará em campo para buscar a segunda vitória seguida fora de casa, já que na semana passada o Clube venceu o Atlético-MG jogando em Belo Horizonte. Uma vitória poderá colocar o Inter na terceira posição na tabela, dependendo de resultados paralelos. 

Após os trabalhos no estádio, o atacante Nico López concedeu entrevista coletiva na sala de imprensa do CT Parque Gigante. Um dos artilheiros da equipe no ano, o uruguaio falou sobre a importância do confronto com o Flamengo no Maracanã. "Sabemos que será um jogo difícil. Estamos trabalhando para fazer um jogo perfeito e conseguir a vitória. Temos um bom elenco e sabemos que fazendo uma partida boa podemos ganhar lá", afirmou o camisa 7. 

Após encerrar a preparação para o jogo desta quarta, a delegação colorada viaja nesta tarde para o Rio de Janeiro, onde ficará concentrada até a partida. No momento, o Inter tem 36 pontos somados na tabela de classificação e ocupa a quarta posição, enquanto o Flamengo soma nove pontos a mais e lidera a competição. Vamos, juntos, na busca por mais uma vitória no Brasileirão! 

 

A reforma da Previdência terá um capítulo decisivo nesta semana. Está marcada para a próxima terça-feira (24), no plenário do Senado, a votação em primeiro turno da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da reforma. Segundo parlamentares, o clima é favorável a uma aprovação.

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Simone Tebet (MDB-MS), disse que a reforma da Previdência está “blindada”. Pela manhã, será votado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o relatório referente às emendas recebidas em plenário. Após, a PEC para o plenário. A expectativa é cumprir o calendário, votando em segundo turno no dia 10 de outubro.

“Na semana seguinte, começarmos a votação em segundo turno. Em 10 de outubro, temos condições de entregar para o Brasil a reforma da Previdência”, disse Tebet.

Na primeira passagem da reforma pela CCJ, o relator da PEC, Tasso Jereissati (PSDB-CE), leu e submeteu seu parecer à comissão, que foi aprovado por 18 votos a 7 e levado ao plenário. No plenário, foram realizadas cinco sessões de discussão do tema.

Nem todas as sessões reservadas à reforma tiveram um quórum alto. Em algumas, poucos senadores pediram espaço para fala. O deputado Paulo Paim (PT-RS) pediu alteração das regras de aposentadoria especial, para profissões danosas à saúde e  mudanças nas regras de pensão por morte.

Em seu relatório, referente às emendas de plenário, Jereissati rejeitou 76 emendas recebidas no plenário do Senado que poderiam modificar a proposta e obrigar a volta do texto à análise dos deputados. O relator, no entanto, mudou a redação sobre o ponto que trata da criação de uma alíquota de contribuição mais baixa para os trabalhadores informais.

Cientes de que o relator não fará mudanças que provoquem a volta do texto à Câmara, alguns senadores jogam suas fichas na chamada PEC Paralela. A PEC, também relatada pelo tucano, promete trazer regras mais benéficas aos trabalhadores e foi criada para evitar alterações na PEC principal e, consequentemente, possibilitar uma aprovação em outubro.

A expectativa de Jereissati e Tebet é que haja uma diferença de 15 dias entre as votações da PEC original e as votações da paralela. No caso dessta, porém, a aprovação definitiva ainda levará tempo, uma vez que ainda precisa ser apreciada pela Câmara dos Deputados.

Edição: Maria Claudia
Por Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil
 
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Bras

Após goleada sobre o Santos, na primeira rodada do returno do Campeonato Brasileiro, o plantel gremista se reapresentou na tarde desta segunda-feira já visando a próxima rodada da competição. Na quinta-feira, o Tricolor enfrenta o Avaí, às 20h, na Arena.

Os atletas que atuaram contra o Santos no  último sábado realizaram atividades de recuperação muscular na academia. Alguns deles, como os atacantes Everton e Luan e o volante Matheus Henrique e o lateral Léo Moura participaram de uma atividade com bola em espaço reduzido. O lateral ainda participou do coletivo.

No campo principal, os atletas que não atuaram no último jogo enfrentaram o time sub-20 do Grêmio, acrescidos de alguns atletas do Grupo de Transição. Fora de campo, o atacante Felipe Vizeu e o zagueiro Pedro Geromel correram ao redor do gramado.

Na atividade com bola, o time reserva venceu por 4 a 0 com três gols marcados por André e um anotado por Luciano.

O plantel gremista volta aos treinamentos na tarde desta terça-feira no CT Presidente Luiz Carvalho.

Fotos: Lucas Uebel / Grêmio FBPA 

A produção da soja para os produtores brasileiros no ciclo 2019/2020 deve ser desafiadora, ao menos no ponto de vista dos preços, segundo indicou o relatório divulgado pelo Rabobank nesta semana. O texto diz que o ambiente de incertezas decorrentes da indefinição da Guerra Comercial entre chineses e americanos tem gerado limitações de ganhos em Chicago. 

“Isso ocorre mesmo com a perspectiva de que os EUA produzam abaixo das 100 milhões de toneladas em 2019 devido às perdas pelo clima e redução de área, o que significaria retração superior à 25% frente ao observado no ciclo anterior. O principal ponto é que, sem a demanda chinesa, os estoques americanos tendem a se manter elevados nesse próximo ciclo mesmo com a menor produção”, diz o texto.  

Além disso, o Rabobank estima recuo dos patamares recordes de 29 milhões de toneladas na safra 2018/2019 para 21 milhões de toneladas ao final da 2019/2020. Nesse sentido, caso a safra sul-americana ocorra dentro da normalidade, as perspectivas são de que as cotações em Chicago se mantenham limitadas abaixo dos USD 9/bushel nos próximos meses.  

“Além da pressão sobre os preços em Chicago, a indefinição da Guerra Comercial e estoques elevados na Argentina tem limitado avanços significativos nos prêmios de exportação para vencimentos próximos à colheita da safra 2019/20 no Brasil. A título de comparação, em setembro de 2018, os prêmios para março deste ano estavam próximos de USD 0,90/bushel – atualmente, têm se mantido abaixo dos USD 0,40/bushel”, finalizou o texto do relatório divulgado pela instituição internacional. 

Por: AGROLINK -Leonardo Gottems

https://www.agrolink.com.br

Página 8 de 370
Topo