Gisnei

Gisnei

A tarde desta segunda foi de treinamento no CT Presidente Luiz Carvalho. Após o retorno dos atletas que viajaram para o Rio de Janeiro e encararam o Fluminense, no último domingo, o grupo está novamente completo e trabalha para a primeira decisão da semifinal da Libertadores da América, que ocorre nesta quarta-feira, contra o Flamengo, na Arena, às 21h30.

A primeira parte da atividade foi com portões fechados. Depois de abertos, pôde-se perceber que a maioria dos atletas que disputaram a partida contra o Fluminense não vieram a campo, realizando trabalhos regenerativos no vestiário. Já os jogadores que permaneceram em Porto Alegre e seguiram com a rotina de treinos durante o final de semana, participaram de trabalhos técnicos durante a tarde.

Divididos em duas equipes, trocavam passes em espaço reduzido e finalizavam a gol, buscando aprimorar a movimentação e a troca de passes.

Lembrando que, devido as suas lesões, Jean Pyerre e Geromel não participaram do treino e não são opções para o técnico Renato Portaluppi na quarta-feira.

Depois da atividade, Bruno Cortez concedeu entrevista coletiva, que você pode conferir nas redes sociais do Clube e aqui abaixo. O lateral destacou como o grupo está se preparando para o grande confronto com o time carioca.

O plantel, que inicia concentração no início desta noite, volta a treinar amanhã, às 15h, na Arena, finalizando sua preparação para o jogo contra o Flamengo.

Foto: Lucas Uebel | Grêmio FBPA

Na última semana, o Governo Municipal se fez presente no 1º Seminário de Prevenção a Depressão e Suicídio, realizado na Câmara de Vereadores. Integrando a programação do Setembro Amarelo, que alerta para o tema, o evento contou com a presença da secretária de Educação, Rosemery da Silva, durante a mesa de abertura. Ao longo de dois dias, o evento promoveu palestras com profissionais da região que discutiram medidas voltadas a prevenção do suicídio.

Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social

Em 2019, o acesso à internet passou a estar disponível a 51% da população mundial. Foi o primeiro ano em que a conectividade ultrapassou a casa dos 50%. Contudo, o índice mostra que, a despeito da Rede Mundial de Computadores ter ganhado importância nas mais diversas esferas sociais nos últimos 20 anos, quase metade da população ainda não dispõe desse recurso. A informação é apresentada e discutida no relatório "Estado da Banda Larga 2019", da Comissão de Banda Larga, grupo que reune representantes de empresas e das Nações Unidas.

Quando considerados os domicílios, o índice aumenta, chegando a 57,8%. Em 2005, 19% das casas conseguiam navegar na web. Contudo, quando considerada a banda larga fixa, o percentual cai para 14%. Já o ritmo de crescimento de conectividade em lares desacelerou, tendo saído de 53% para 54,8% entre 2017 e 2018. Em países mais pobres, a taxa de crescimento caiu de 19% em 2017 para 17,5% em 2018.

A análise sobre a presença de lares atendidos por serviços de fixas de banda larga é considerada importante por pesquisadores uma vez que as conexões móveis em geral possuem limitações para a fruição plena de serviços, como franquias que restringem o consumo, por exemplo, de vídeos em quantidade razoável.

Banda larga é o termo empregado para a conectividade com uma velocidade de pelo menos 256 kbps e que assegure um conjunto mínimo de atividades online, como visitação de sites e aplicações de comunicação. O índice de 51% ainda está distante da meta de chegar a 75% de penetração até 2025.

Desigualdades

O relatório aponta que para além de metade da população estar fora da internet, entre os conectados há desigualdades importantes. “As distâncias existentes na adoção de conectividade são conduzidas por brechas de diferentes tipos: geografias (áreas urbanas x rurais), renda (ricos x pobres), idade e gênero, entre outros”, destaca o relatório.

Enquanto a conexão de baixa qualidade foi apontada por 43% em países mais pobres, o problema foi mencionado 25% de entrevistados em nações mais ricas. Outro exemplo mais claro é no preço dos pacotes entre diferentes regiões do globo. Enquanto o preço de uma franquia de 1 giga em países do Sul da Ásia consome 1,2% da renda mensal média, na África Subsaariana o serviço custa o equivalente a 6,8% da receita média mensal.

Redes

Contudo, conforme o relatório a infraestrutura avançou e hoje está presente em localidades abrangendo 96% da população mundial. O tráfego internacional de dados é realizado por 400 cabos submarinos, abarcando 1,2 milhão de quilômetros, e por 775 satélites com atuação em serviços de comunicação na órbita da Terra.

No ecossistema móvel, 2018 foi o ano em que a tecnologia 4G se tornou hegemônica, ultrapassando a 2G, sendo responsável por 44% das conexões móveis. Citando dados da consultoria GSMA, o documento ressalta que o 5G, o novo paradigma tecnológico dos serviços móveis, tornou-se “uma realidade”.

No ano passado, o novo padrão foi lançado nos Estados Unidos e na Coreia do Sul. Em 2019, a previsão é que ele passe a ser ofertado em 16 novos países. A expectativa da GSMA é que em 2025 haja 1,4 bilhão de conexões, cerca de 15% da base total.

Encruzilhada

Para os autores, a Internet se encontra em uma “encruzilhada”. “Há um reconhecimento crescente de que os desafios e riscos demandam políticas e regulações específicas, assim como novas abordagens de negócio e iniciativas industriais voltadas a mitigar efeitos não intencionados e resultados negativos da adoção da internet”.

O documento ressalta que as pessoas não podem apenas ser divididas entre usuários e não-usuários, mas deve ser entendida a diversidade de formas de conectividade e experiências online. O reconhecimento dessas especificidades passa pela consideração de públicos mais vulneráveis em sua presença na web. Mulheres estão sujeitas a perseguição, assédio e discurso de ódio na web. Já crianças são vítimas de abusos, exploração e bullying.

Diante à variedade de formas de acesso, os autores defendem o que chamam de “conectividade universal relevante”. Essa noção envolve uma banda larga “disponível, acessível, relevante, barata, segura, confiável e que empodere os usuários levando a impactos positivos”. Essa percepção leva em consideração também não somente o custo, mas diferentes motivadores para se conectar e ter experiências de qualidade no ambiente online.

Modalidades de uso

Considerando a variedade de experiências, o relatório traz dados sobre diferentes modalidades de atividades na web (ver gráfico). A troca de mensagens por apps como Whatsapp e FB Messenger é o mais popular, seguida por redes sociais, ligações online e ler notícias. As ações variam conforme a renda, com a prática de obter informação e comprar produtos sendo mais comum em países mais ricos.

Relatório State of Broadband, 2019
Relatório State of Broadband, 2019 - Direitos Reservados

 

Edição: Bruna Saniele

A liberação da maconha para uso medicinal deu um pequeno, mas importante passo na última semana no Senado. Em meio a muita polêmica, a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) acatou, na quinta-feira (26), uma sugestão legislativa (SUG 6/2016) sobre uso da cannabis medicinal e do cânhamo industrial – variante da cannabis com menor concentração de tetraidrocanabinol e sem ação psicoativa relevante. A proposta vai tramitar como projeto de lei na Casa.

Uma espécie de marco regulatório para o uso medicinal dessas substâncias foi sugerido pela Rede Brasileira de Redução de Danos e Direitos Humanos (Reduc). O documento enviado pela entidade ao Senado detalhava, em 133 artigos, normas procedimentais e regulamentares sobre métodos de pesquisa, produção, registro, rotulagem, padronização, certificação, licenciamento, comercialização, circulação, tributação, publicidade, inspeção, controle e fiscalização da maconha medicinal e do cânhamo.

Apesar do voto favorável à sugestão, o relator, senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), apresentou uma nova redação à proposta, muito mais sucinta. Segundo Vieira, o texto mais enxuto tornará mais fácil contornar problemas de inconstitucionalidade e injuridicidade da redação original, principalmente sobre competências e atribuições de órgãos do Poder Executivo, que não devem ser definidas pelo Congresso.

Com a nova redação, o projeto passa a ter apenas seis artigos que tratam dos produtos, dos processos e dos serviços relacionados à maconha medicinal e ao cânhamo industrial. Um deles submete a produção, a distribuição, o transporte e a comercialização da cannabis medicinal à vigilância sanitária, com monitoramento da cadeia produtiva e do mercado.

O texto prevê ainda que normas relacionadas ao plantio, à cultura e colheita do cânhamo industrial sejam de responsabilidade de uma autoridade agrícola do estado. Também devem ser fomentados pelo Poder Público o desenvolvimento científico e tecnológico sobre medicamentos derivados da cannabis e sobre a produção do cânhamo industrial. Segundo Vieira, a proposta não libera o plantio caseiro a famílias com pacientes de doenças nas quais está provada a ação terapêutica da cannabis.

A Mesa do Senado ainda vai numerar a proposta e definir por quais comissões o texto vai passar. Se avançar no Senado, ele terá de ser enviado à Câmara dos Deputados. Se, por um lado, a sugestão com uma proposta sobre uso medicinal avançou, outra sobre uso recreativo, apreciada há duas semanas pela comissão, foi arquivada pelos senadores.

Outro lado

Autor de um projeto de lei (PL 5.158/19) que prevê a distribuição do canabidiol (CBD) pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas que não contempla outras substâncias medicinais produzidas a partir da maconha, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) defendeu que o assunto não pode ser tratado apenas com emoção, mas com responsabilidade. Girão destacou que a ciência tem demonstrado que, para algumas pessoas, a maconha medicinal causa a piora da saúde. O senador também apontou vícios de inconstitucionalidade e problemas de juridicidade para votar contra a SUG 6/2016, que, de acordo com ele, já está contemplada no ordenamento jurídico brasileiro.

Apioada por vários senadores, a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), usuária de um medicamento a base de cannabis, fez um apelo emocionado para que o senador não impedisse a votação da sugestão. Segundo ela, rejeitar a proposta seria virar as costas para as famílias que precisam da maconha medicinal e estão sofrendo. A parlamentar falou da própria situação.

“Se a gente aprovar um projeto permitindo só o canabidiol, o medicamento que eu tomo vai ser proibido. Isso vai fazer com que eu perca a minha força laboral. E, poxa, alguém aqui já me viu alucinando em algum canto do Congresso? Alguém aqui já me viu falando besteira? Alguém aqui tem algum senão quanto à minha dedicação, à minha seriedade no meu trabalho?”, questionou Mara.

Edição: Wellton Máximo
 
Por Karine Melo – Repórter da Agência Brasil

O prefeito Ico Charopen assinou na última sexta-feira (27), a Ordem de Início das obras da quadra da Escola Nossa Senhora do Livramento. Aguardada pela comunidade há pelo menos dez anos, a obra deverá ser entregue em até 60 dias.

Com a presença da diretora Mari Zart e do vereador Romario Paz, o encontro ainda reuniu o representante da empresa que realizará a obra, a SEF Metalurgica, além dos secretários de Planejamento, Ricardo Dutra; Geral de Governo, Enrique Civeira e de Cultura, Luiz Arrieta, além de demais membros da escola e das assessoras técnicas Nara Har e Zenir Rodrigues.

“Passamos por três gestões. Agradecemos a todos por este sonho, que muitos duvidaram”, destacou a Diretora, agradecendo a gestão pela agilidade e empenho na causa.

Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social

O Grêmio enfrentou o Fluminense na tarde deste domingo, no Maracanã, em partida válida pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, mas acabou superado pelo placar de 2 a 1. Agora, volta suas atenções completamente para a decisão das semifinais da Libertadores da América, que ocorre na próxima quarta-feira, contra o Flamengo, na Arena.

O jogo começou favorável para os donos da casa, que aos 6 minutos conseguiram abrir o placar com Nenê. No lance, Yoni Gonzalez recebeu na área, próximo a linha de fundo e cruzou pra trás, para  o atacante completar para o fundo das redes, no canto esquerdo de Julio César. A resposta gremista saiu dos pés de Thaciano que em seguida, em frente a grande área chutou a gol, obrigando Muriel a uma grande defesa.

Aos 17’, mais uma oportunidade carioca, quando Yoni recebeu na área um lançamento, Juninho conseguiu o corte, mas a bola sobrou para João Pedro, que finalizou, por sorte, mandando mal. Já o Grêmio teve uma chance em bola parada, em cobrança de falta, mas Luciano carimbou a barreira. Na sequência, em uma jogada pela esquerda, Pepê avançou em velocidade, invadiu a área e serviu André, que chutou de primeira, mais mandou por sobre a meta.

Com 25’, o Tricolor chegou bem, com uma boa jogada trabalhada - Darlan cruzou, André rolou pra trás e Thaciano finalizou, mas por cima. Dez minutos depois, os gremistas ameaçaram com uma jogada pela direita, em que Léo Moura recebeu na área, cruzou, mas a defesa do Fluminense cortou a escanteio. O time carioca levou perigo em uma jogada pela esquerda, aos 37’, quando Nenê cruzou na cabeça de João Pedro, mas por sorte, ele desviou por sobre a meta do Tricolor.

Passados 40 minutos, de pé em pé, o Grêmio novamente atacou. Dessa vez, Luciano arriscou de fora da área com um chute forte, mas Muriel defendeu em dois tempos.

Aos 4 minutos da etapa complementar, o Fluminense conseguiu ampliar o marcador com Caio Henrique. Ele recebeu um passe dentro da área e finalizou a gol - Júlio César ainda tocou na bola, mas ela morreu no fundo das redes.

Aos 8 minutos, o Grêmio construiu uma grande jogada pela esquerda, com Capixaba, que fez um cruzamento para Pepê, que finalizou, mas o goleiro carioca operou um milagre, defendendo. No rebote, Darlan chutou, mas a bola bateu no braço de Gilberto - nada assinalado.

Já aos 24’, o Grêmio tentou com um cruzamento da esquerda feito por Ferreira, na área, mas ninguém conseguiu completar a gol e a bola ficou com a defesa carioca.

Aos 30’, o Tricolor conseguiu descontar no placar com Patrick. Ferreira recebeu na esquerda, invadiu a área e chutou - a zaga rebateu e a bola sobrou para o meia que mandou para o gol, diminuindo o marcador.

Os cariocas tentaram marcar quatro minutos depois. Yony Gonzalez chutou da esquerda, mas Júlio César defendeu bem. Em seguida, João Pedro desviou de cabeça por sobre o gol, mas assustando a defesa gremista.

Na reta final da partida, Orinho arriscou com um chute rasteiro da esquerda, mas Julio caiu para defender. Quase que nos acréscimos o Tricolor chegou ao empate com Thaciano, mas a zaga adversária conseguiu o corte preciso.

Ais 52', o Grêmio teve uma chance em cobrança de falta. Pepê bateu, mas sobre a marcação, que mandou pela lateral.


Foto: Alexandre Loureiro | Grêmio FBPA

As emoções de uma semana que começou a definir o desfecho da primeira fase no Citadino de Futsal continuaram nesta quinta-feira no ginásio do Esporte Clube Guanabara. Em uma rodada de um jogo por categoria, Carolina, na sub 15 e Gaúcho na master confirmaram depois de jogos difíceis com Nacional e Centauro. Já na Ouro o Independente jogou sua permanência na elite do Futsal e um jogo muito disputado com o Mônaco conseguiu vencer e garantir o objetivo.
Sub 15
Invictos, Nacional e Carolina fizeram uma disputa pela liderança do campeonato. O Nacional marcou adiantado e criou as primeiras chances. Mas foi o Carolina que marcou com Davi após rebote do goleiro. O contra ataque o time santanense ampliou com Davi. Joaquim Goularte descontou, mas o Carolina era preciso e voltou a marcar com Matheus. Tomas descontou para o riverenses. O Carolina era mais equilibrado e voltou a marcar com Matheus e Davi, fechando o primeiro tempo em 5 x 2. No segundo tempo o Nacional voltou pressionando e voltou a marcar com Joaquim Sanches, com a bola desviando em João Vitor. O Nacional então perdeu Joaquim, expulso e o Carolina ampliou com Matheus. No contra ataque Wagner fez o sétimo gol. Tomas ainda tentou trazer o Nacional para o jogo fazendo o quarto gol, mas a noite era do Carolina, que fechou o placar em 8 x 4 com Davi. O Carolina se isolou na ponta com 12 pontos.
Master
O segundo jogo envolveu as equipes da master com o Gaúcho enfrentando o Centauro em momentos distintos. O primeiro tentava voltar a ponta, alcançando o líder Velha Guarda. Já o Centauro tentava a primeira vitória. O Centauro começou melhor e abriu o placar com Hector. Bem postado e eficiente do meio para frente o Centauro ampliou para 2 x 0 com Vander Quintana. No segundo tempo o Gaúcho deu inicio a reação e descontou com Igor. Embora os goleiros Vanderli e Paulo Capincho e o Centauro acertando duas vezes a trave, o Gaúcho chegou ao empate com Anderson. O Centauro agiu rápido e voltou a frente do placar com Hector, mas ao contrário do primeiro tempo, a equipe já não tinha o controle absoluto do jogo. O Gaúcho cresceu e empatou de novo com o goleiro Paulo Capincho. Determinado em vencer a primeira o Centauro voltou a frente com Jackson, mas mais equilibrado o Gaúcho voltou a empatar com Ivan. O jogo entrou nos segundos finais e o Centauro acabou fazendo a sexta falta, dando a chance do tiro livre para o Gaúcho. Igor bateu e marcou o gol da vitória de 5 x 4 do Gaúcho.
Vitória salvadora
Fechando a rodada Mônaco Santanense e Independente fecharam sua participação na primeira fase e definiram seus destinos. Ao Independente o jogo tinha caráter de decisão pois a equipe era ameaçada pelo rebaixamento e precisava vencer a todo o custo. A equipe se preparou para o jogo e se mostrou organizado desde o inicio. Do meio para a frente o pivô Gini acabou fazendo a diferença. Ele abriu o placar no primeiro minuto num gol de oportunismo. O Mônaco adiantou o time para buscar o empate, mas acabou sofrendo o segundo com do Gini. Mesmo perdendo Michel, expulso, o Independente não desfez a estratégia de fechar o centro da quadra e servir o seu pivô. Após alguma insistência, Leonard descontou para o Mônaco. Mas a noite era de Gini e ele fez o terceiro gol do Independente. No segundo tempo o Mônaco encontrou espaços nos lados para atacar e foi em busca da reação. Iago descontou. Mas o Independente tinha Gini e ele marcou o 4 x 2. O Mônaco, porém, insistiu na jogada pelo lado e chegou ao empate com Roberto e Leonard. O Independente encaixou um contra ataque e voltou a marcar com Bruno Barreto. Mas o Mônaco forçou novamente e Iago empatou e Roberto virou o jogo para 6 x 5. O fantasma do rebaixamento voltou a assombrar o Independente, mas o time tinha o seu homem gol. Gini empatou o jogo e virou para 7 x 6, marcando seu sexto gol no confronto. A partida entrou nos minutos finais e num contra ataque Gini ampliou para 8 x 6. Luis Paulo descontou mas o jogo acabou e o Independente com a vitória garantiu sua permanência na Série Ouro.Gini, com sete gols da noite foi eleito o craque da rodada.
O CFL 2019 é patrocinado por; Movilcor, CFC Santanense, Gato & Sapatos e Zapatodos, CHS-Centro Hospitalar Santanense, Unimed Fronteira, Uniagro/Erva Mate Charme, Provedor A Platéia, Transportes Thomaz, Brasil Free Shop e Postos CBC. Já os apoiadores são, Óptica Foco, ML 3 Football e Comdica-Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente.

Fonte: http://futebol.grupoarena.org

Embora permaneça como seu principal fornecedor – no primeiro semestre de 2019 praticamente três quartos do volume adquirido externamente – o Brasil vem perdendo espaço nas importações de carne de frango da Arábia Saudita. E quem ocupa o terreno é a Ucrânia. 

Dados do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) mostram que nos seis primeiros meses de 2019 os sauditas importaram mais de 325 mil toneladas de carne de frango, quase 6% acima (perto de 18 mil toneladas adicionais) do importado em idêntico período de 2018. No entanto, o volume adquirido no Brasil aumentou menos de 1%, fazendo com que a participação brasileira recuasse quase 5% - de 78% para 74,24%. 

Vários países – mas principalmente a Ucrânia – compensaram essa perda. Assim, enquanto o volume adicional exportado pelo Brasil aumentou 1.776 toneladas, o da Ucrânia registrou incremento de 31.202 toneladas, vindo a seguir a Rússia – sim, a Rússia! - com quase 7 mil toneladas a mais. 

Nesse processo, com perdas bem maiores que as do Brasil – que, pelo menos, manteve o volume exportado – estão a França e os EUA. Estes viram suas importações reduzidas a, praticamente, zero. E os franceses exportaram um terço a menos que em 2018, o que fez sua participação nas importações árabes reduzir-se de 16,81% para 10,56% - uma queda de 37%.

Por: AVISITE

Fonte: https://www.agrolink.com.br

SINOPSE E DETALHES

Shanghai, China. Yi (Chloe Bennet) é uma adolescente que, certo dia, descobre que um yeti está no telhado do prédio em que ela mora. A partir disso, ela e seus colegas passam a chamar a criatura mística de "Everest" e, ao criarem laços com o animal, decidem levá-lo até sua família, que está no topo do planeta. Porém, os três amigos terão que conseguir despistar o ganancioso Burnish (Eddie Izzard) e a zoóloga Dra. Zara (Sarah Paulson), que querem pegar o yeti a qualquer custo.

Data de lançamento 26 de setembro de 2019 (1h 37min)
Nacionalidade EUA
Distribuidor UNIVERSAL PICTURES
 

Este livro épico totalmente ilustrado produzido pelo time da Wizards of the Coast transportará você para os mundos lendários e mágicos de Dungeons & Dragons, trazendo fichas únicas sobre alguns dos monstros mais sinistros, horríveis e memoráveis do sistema. Com ilustrações sensacionais e dicas especializadas sobre alguns dos monstros mais perigosos de D&D, este guia destaca feras que assustam, empolgam e metem os aventureiros em confusão — de criaturas que vivem nos subterrâneos àquelas que voam pelos céus, passando pelas que habitam a natureza selvagem ou os cemitérios. Nesses perfis, você irá encontrar informações sobre o tamanho e o nível de perigo de cada um dos monstros, além de dicas para sobreviver a um encontro com eles. Este livro é o ponto de partida perfeito para os jovens fãs de fantasia que mal veem a hora de se tornar aventureiros de D&D, apresentando também histórias introdutórias chamadas de “Encontro” para que os leitores possam exercitar as habilidades de solução de problemas das quais precisarão para lutar contra esses monstros enquanto jogam suas próprias aventuras de D&D.


SOBRE O D&D:
Dungeons & Dragons iniciou a grande tradição de jogos de RPG em 1974, apresentando uma mistura sem precedentes de aventura e estratégia, jogo de dados e narrativa. A Wizards of the Coast continua honrando essa tradição, trazendo ao mercado uma variedade diversa de jogos e experiências de entretenimento de D&D e influenciando vários escritores, diretores e designers de jogos ao aproveitar a necessidade humana inata de se juntar com amigos e, em grupo, contar histórias empolgantes.

SOBRE OS AUTORES:

Jim Zub é um escritor, artista e professor baseado em Toronto, Canadá. Ao longo dos últimos vinte anos, tem trabalhado em uma diversa gama de empresas do mercado editorial, audiovisual e de games, incluindo Marvel Comics, Disney, Capcom, Hasbro, Cartoon Network e Bandai Namco. Ele vem escrevendo as histórias em quadrinhos oficiais de Dungeons & Dragons desde o lançamento da quinta edição, em 2014.

Stacy King é uma autora que começou a trilhar seu caminho pelas aventuras em calabouços aos dez anos de idade. Como editora e roteirista principal da Manga Classics, supervisionou adaptações para graphic novels de romances clássicos da literatura como Orgulho e Preconceito, Os Miseráveis e Drácula. É formada em literatura inglesa pela Universidade de Toronto. No tempo livre, gosta de se vestir com figurinos históricos, fazer pães e jogar jogos de tabuleiro.

Andrew Wheeler é um escritor ganhador dos prêmios Shuster e Eisner, nascido no Reino Unido e baseado em Toronto. Já escreveu roteiros para a televisão, para games e para quadrinhos, além de prosa. Seu trabalho inclui as séries de histórias em quadrinhos Another Castle e Freelance e a antologia LGBTQI+ adulta Shout Out.


ELOGIOS SOBRE A OBRA:

“Este livro é combustível para a criatividade…” — Bleeding Cool

“Enquanto mais e mais jogadores novos descobrem o D&D, são livros como esses que podem ajudar o jogo a continuar crescendo ao apresentar o sistema a jovens jogadores.” — Geek Dad

“Essa publicação lindamente ilustrada (o primeiro de vários guias) traz um apanhadão de como reconhecer e identificar a fauna do universo de D&D, de dragões ao Demogorgon… Você provavelmente não deveria se arriscar em uma aventura sem ter um exemplar dele com você.” — SyfyWire

“Não importa a sua idade: se você já teve algum interesse por D&D, precisa conferir esses guias para jovens aventureiros.” — The NerdyGirl Express

“O livro traz novíssimas ilustrações e explicações sobre as regras de Dungeons & Dragons, sobre a criação de personagens, sobre os monstros e muito mais. Nunca houve uma época melhor para trazer a criançada pra mesa de jogo.” — Geek & Sundry

“Monstros & Criaturas é uma introdução divertida pra leitores e jogadores novatos, simplificando a informação pra que ela possa ser entendida.” — Geeks of Doom

“Monstros & Criaturas é uma visão inovadora do universo e do lore de D&D, que certamente vai deliciar jovens leitores, despertar a imaginação deles e inspirá-los a contar suas próprias histórias. É diversão na certa, da primeira à última página.” — s20 Diaries

“Eles dão um ponto de partida bem útil, com informações sobre personagens e criaturas. Os livros são bem diagramados e fáceis de ler; meu filho foi oficialmente fisgado.” — The Filme Stage

“Se você é novato ou se tem algum conhecido seu que possa estar interessado em jogar, especialmente se for alguém em idade escolar, esse é um jeito ótimo de ter contato com uma versão fácil de ler dos textos ilustrativos do Livro do Jogador.” — Geek Tyrant

Fantasia / HQ, comics, mangá

Ano: 2019 / Páginas: 112
Idioma: português
Editora: Editora Excelsior

Fonte: https://www.skoob.com.br/livro/lancamentos/

Página 6 de 370
Topo