Gisnei

Gisnei

Especialistas do governo japonês fizeram, nessa quinta-feira (23), recomendações à população para reduzir o contato entre as pessoas em até 80%, com o objetivo de conter a disseminação do coronavírus.

As recomendações incluem evitar viajar para outras cidades ou para a cidade natal, especialmente no feriado de primavera que se aproxima, e utilizar uma ferramenta de videoconferência para se conectar com amigos e familiares. Eles disseram que as pessoas devem evitar o aumento do contato com idosos, que enfrentam maior risco de infecção.

Os especialistas sugerem ir ao supermercado sozinho ou em grupos pequenos, em horários menos movimentados. Eles pedem que os estabelecimentos disponibilizem desinfetante para as mãos à entrada, definam áreas para que os clientes façam fila em frente ao caixa, restrinjam o número de clientes e instalem barreiras separando funcionários e clientes no caixa.

Corridas e caminhadas devem ser feitas em grupos pequenos, e visitantes de parques devem escolher horários menos movimentados e localidades mais vazias.

Compras não essenciais devem ser feitas pela internet.

Socializar com os amigos e colegas para tomar drinques deve ser feito em casa, conectando-se com eles pela internet.

Consultas médicas também devem ser feitas remotamente, por meio de serviços online, em vez de visitar um consultório médico.

A prática de exercícios físicos deve ser feita em casa, utilizando-se vídeos de instruções online.

Em vez de comer fora, as pessoas devem dar preferência à opção de levar comida para viagem ou solicitar entrega em casa.

O trabalho deve ser feito remotamente, em casa, e a utilização do serviço de transporte público deve ser limitada a ocupações necessárias para a manutenção das funções sociais, como serviços médicos, de infraestrutura e de distribuição.

Ao conversar com outras pessoas, deve-se sempre usar máscaras protetoras.

O estado de emergência no Japão está em vigor até o dia 6 de maio.

*Emissora pública de televisão do Japão

Por NHK* - Tóquio

O prazo para que a sociedade envie sugestões e questionamentos ao modelo de distanciamento social controlado, apresentado nesta semana à população, foi prorrogado. Em transmissão ao vivo nesta quinta-feira (23/4), o governador Eduardo Leite explicou que, a pedido de entidades, estenderá o prazo até as 18h da sexta-feira (24/4).

"Aguardaremos as sugestões até amanhã para que a nossa equipe possa compilar e consolidar um modelo que ofereça condições de, já na próxima semana, ser colocado em prática", detalhou Leite. A expectativa do governo do Estado é de que esse novo modelo seja implementado a partir de maio. As sugestões podem ser enviadas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Portaria para retomada
de atendimentos eletivos

Ao lado da secretária de Saúde, Arita Bergmann, o governador também anunciou que, ainda nesta quinta-feira (23/4), será publicada uma portaria que estabelece protocolos a serem seguidos para a retomada gradual de atendimentos eletivos em hospitais públicos e privados.

"Pretendemos normatizar, dando orientações do ponto de vista epidemiológico, para garantir a segurança do trabalhador e dos usuários. Nesse sentido, a portaria tratará dos cuidados em relação aos estabelecimentos, aos profissionais e aos pacientes", explicou a secretária.

Atendimentos eletivos consistem em cirurgias, consultas, exames e procedimentos que são realizados sem urgência, com marcação prévia, e que foram suspensos devido ao coronavírus.

Passo Fundo é segunda cidade
com maior número de casos no RS

Segunda cidade com maior número de casos e de óbitos, Passo Fundo contabiliza, até esta quinta-feira (23/4), 59 diagnosticados com Covid-19 e seis mortes. O governador Eduardo Leite destacou que a região, por ser referência de atendimento para outros municípios, é observada com atenção. "Já instalamos 10 leitos na cidade e pagaremos o custeio de maneira antecipada", garantiu. O recurso, oriundo do Ministério da Saúde, é de R$ 1,4 milhão.

Além disso, Passo Fundo também recebeu 47 mil máscaras, 39 mil luvas e, entre março e abril, o repasse de R$ 1,5 milhão, também aportados pelo Ministério da Saúde.

A secretária Arita Bergmann acrescentou que a equipe técnica da pasta está à disposição e que dará o apoio necessário à coordenadoria regional daquela região. "Observamos que houve casos de transmissão entre pessoas jovens, que estavam trabalhando, e que residem em vários municípios. Daremos suporte, principalmente a essas pessoas que foram diagnosticadas recentemente, e o caso específico de contágio em local de trabalho está sendo apurado e investigado", esclareceu.

Texto: Suzy Scarton
Edição: Marcelo Flach/Secom

Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Uma nova operação de desinfecção da cidade, no combate ao coronavírus, foi iniciada na noite da última quarta-feira (22), em Sant'Ana do Livramento.

A concentração das equipes foi na avenida Ângelo Melo, em frente ao quartel da Brigada Militar e contou com a presença da prefeita Mari Machado.

Os tratores com pulverizadores saíram em direção a região do central da cidade e a operação irá cumprir cronograma semelhante do realizado na primeira etapa.

Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Comissão Nacional de Clubes (CNC), órgão estatutário da entidade com atuação independente, informam que na tarde da última sexta-feira, 17, em reunião por videoconferência com a presença de 31 clubes, foi concluída a primeira fase do processo de seleção das empresas para exploração dos direitos internacionais de transmissão do Campeonato Brasileiro, Séries A e B, e os direitos internacionais para streaming for betting.

A decisão foi tomada com o voto exclusivo dos clubes após minucioso trabalho coordenado e apresentado por um grupo técnico formado por dirigentes dos times. O processo de seleção foi iniciado há mais de 10 meses e marcado pela união da CBF e dos clubes para definições estratégicas em relação à projeção do Campeonato Brasileiro no exterior. A CBF abriu mão de qualquer participação econômica no contrato em favor dos clubes.

Antes da definição foram avaliados os modelos de negócio, de cada uma das empresas interessadas, em relação às formas de distribuição do produto, experiência em projetos desta natureza, sistema de remuneração dos clubes e capacidade de inovação na área tecnológica.

Baseados nestes aspectos, os clubes optaram, nessa primeira fase, pela proposta das empresas Global Sports Rights Management (GSRM) para direitos internacionais para TV aberta, TV fechada, Pay Per View, internet e OTT/streaming; e pela proposta conjunta das empresas Zeus Sports Marketing e Stats Perform para direitos internacionais para streaming for betting.

A partir de agora o processo entra em sua segunda fase, quando as empresas selecionadas passarão por validação do escopo de trabalho, atendimento às normas de governança e conformidade, apresentação das garantias financeiras e formalização dos instrumentos contratuais. Até que esta fase esteja rigorosamente cumprida, os clubes e a CBF não consideram o processo concluído.

A intenção dos clubes é celebrar contratos com duração de quatro anos (2020, 2021, 2022 e 2023) e tendo como meta principal a ampliação da visibilidade do Campeonato Brasileiro no exterior, além do retorno financeiro aos clubes envolvidos.

Os modelos de negócio selecionados contemplarão pagamento de garantia mínima e, em relação aos direitos internacionais de transmissão, divisão de receita por performance de vendas. Estão previstos ainda investimentos nas áreas de branding, identidade visual, ações de ativação no mercado global e combate à pirataria. Além disso, garantem aos clubes uma gestão compartilhada das estratégias mercadológicas e controle, por meio de auditoria, dos resultados obtidos.

Fonte: https://www.cbf.com.br/

O plenário da Câmara aprovou nesta quarta-feira (22) um programa especial de crédito para micro e pequenas empresas, no valor total de R$ 15,9 bilhões. O Projeto de Lei 1.282/20, oriundo do Senado, cria o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), que concede crédito mais acessível às microempresas, com faturamento bruto anual de até R$ 360 mil, e empresas de pequeno porte, cujo faturamento anual de até R$ 4,8 milhões. Como foi modificado pelos deputados, o texto volta para análise do Senado.

A proposta é mais uma medida de apoio à economia em meio a crise da pandemia do novo coronavírus. O projeto prevê carência de oito meses para começar a pagar, a contar da formalização do negócio e um prazo total de 36 meses. Todas as instituições financeiras públicas e privadas autorizadas a funcionar pelo Banco Central poderão conceder a linha de crédito. A taxa máxima de juros será a taxa Selic (atualmente em 3,75%) mais 1,25% a título de spread bancário.

Pelo substitutivo da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), a União não alocará recursos diretamente na operação de crédito como foi proposto pelos senadores. No texto aprovado na Câmara, os bancos participantes emprestarão com recursos próprios e terão o governo como garantidor do valor global de até R$ 15,9 bilhões. No entanto, a garantia será para somente 85% do valor emprestado, os outros 15% não terão essa garantia.

Pelo texto da Câmara, o limite de empréstimo será de 30% do faturamento anual da empresa. O percentual é menor que os 50% definidos pelo Senado.

Garantias

Os interessados nos recursos deverão apresentar uma garantia pessoal no montante igual ou superior ao crédito contratado. Além disso, o empresário deve se comprometer a não demitir empregados, sem justa causa, no período entre a data da contratação da linha de crédito e 60 dias após o recebimento da última parcela da linha de crédito.

Segundo o texto aprovado, o Fundo Garantidor será mantido pelo Banco do Brasil. “O dinheiro que a União aportar ficará nesse fundo para que a União garanta empréstimo ao pequeno e ao micro-empreendedores. Isso reduz muito o risco dos bancos e das empresas que participam das fintechs e das cooperativas. Com isso, conseguimos financiar uma taxa de juros bem mais baixa”, explicou Joice Hasselmann.

O texto prevê a manutenção da quantidade de empregados registrado na data de contratação do empréstimo pelo período de até 60 dias após o recebimento da última parcela do financiamento. Caso contrário, haverá o vencimento antecipado da dívida contraída. 

O texto veda a contratação do empréstimo com empresas que possuam histórico ou condenação por irregularidades relacionadas a trabalho em condições análogas às de escravo ou ao trabalho infantil.

As instituições financeiras estão proibidas de negar o empréstimo em virtude de restrição ao crédito por parte da empresa, inclusive protesto. O texto também proíbe a utilização dos recursos obtidos no programa para a distribuição de lucros e dividendos entre os sócios.

Edição: Fábio Massalli

 Por Heloisa Cristaldo - Repórter da Agência Brasil  - Brasília

 

Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social

É com orgulho no peito, que comemoramos no mês de abril, os 39 anos da Sicredi Pampa Gaúcho. Seguimos firmes no cumprimento da nossa missão, com ética e transparência, melhorando a qualidade de vida dos associados e da sociedade, mostrando cada vez mais que o cooperativismo é o movimento que proporciona a participação igualitária de todos seus membros.

Investimos na modernização das agências, criando um ambiente mais próximo e descomplicado, além de espaços que se integram com o dia a dia do município. Priorizamos a capacitação dos nossos colaboradores, para que se sintam empoderados e atualizados para realizar ainda mais os sonhos dos nossos associados. E, continuamos acreditando na educação cooperativista, proporcionando as nossas crianças construir e vivenciar atitudes e valores de cooperação e cidadania.

Por fim, agradecemos o empenho e a dedicação de todos os Colaboradores, aos nossos associados que continuaram trabalhando fortemente conosco. E nós, enquanto cooperativa da comunidade, temos a certeza de que sairemos cada vez mais fortes desse tão delicado momento, juntos. Porque gente que coopera, cuida.

 

Forte abraço,

Presidente Zeca Menezes!

O grupo de trabalho criado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para avaliar o impacto da pandemia do novo coronavírus concluiu hoje (20) que as eleições de outubro devem ser mantidas. O grupo foi criado para responder aos questionamentos sobre a capacidade da Justiça Eleitoral de manter o calendário eleitoral e os procedimentos preparatórios diante das medidas de isolamento. 

Pela conclusão do grupo, “a Justiça Eleitoral, até o momento, tem condições materiais para a implementação das eleições no corrente ano”. A conclusão foi tomada com base em informações enviadas pelos tribunais regionais eleitorais e setores internos do TSE. Outros encontros semanais serão realizados para reavaliação da situação. 

O primeiro turno será realizado no dia 4 de outubro. Se necessário, o segundo turno será no dia 25 do mesmo mês. Cerca de 146 milhões de eleitores estarão aptos a votar para eleger prefeitos, vice-prefeitos e vereadores nos 5.568 municípios do país. 

Edição: Fábio Massalli

Por André Richter – Repórter da Agência Brasil - Brasília

A temporada 2029/2020 da Superliga Masculina de Vôlei foi oficialmente encerrada hoje (20) em virtude da pandemia do novo coronavírus (covid-19). A definição ocorreu após votação, realizada durante reunião por videoconferência entre representantes da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) e dos clubes participantes da competição.  Por oito votos a cinco venceu a proposta apresentada pela CBV de antecipar o término do torneio.

Em nota oficial, publicada no site da CBV, o superintendente de competições de quadra, Renato D´Ávilla, manifestou apoio ao resultado do pleito. "O cenário no esporte brasileiro é preocupante neste momento de pandemia. Temos que continuar trabalhando juntos no sentido de continuidade da nossa modalidade. O melhor a ser feito agora é encerrar todas as atividades e cuidar da saúde dos nossos atletas e de todos os envolvidos na competição. Ficamos satisfeitos que a maioria tenha pensado desta forma"

Os clubes que votaram a favor do fim da competição foram Vôlei Renata (SP), EMS Taubaté Funvic (SP), Pacaembu/Ribeirão Preto (SP), Vôlei UM Itapetininga (SP), Ponta Grossa Vôlei (PR), Denk Academy Maringá  Vôlei (PR) e Sesc RJ, além da Comissão de Atletas, representada pelo presidente Raphael Oliveira.

Votaram pela continuidade da temporada os clubes Sada Cruzeiro (MG), Fiat/Minas (MG), América Vôlei (MG), Apan Blumenau (SC) e Sesi-SP.

No dia 19 de março, após votação, também chegou ao fim, sem equipe campeã, a Superliga Feminina de Vôlei. 

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Por Agência Brasil - Rio de Janeiro

Página 6 de 421
Topo