Gisnei

Gisnei

O Colorado tem uma semana importante de treinamento pela frente até o próximo compromisso pelo Campeonato Brasileiro. E na preparação para esse duelo, o Clube do Povo conta com dois reforços importantes: Lucca e Zeca. Os dois jogadores que foram apresentados nessa semana treinam normalmente com seus companheiros e dependem do BID para estarem a disposição do técnico Odair Hellmann para o confronto de domingo (29), às 19h, contra o Cruzeiro, no estádio Beira-Rio, pela terceira rodada. 

No treinamento da manhã desta quarta-feira (25), o técnico colorado comandou uma atividade técnica e tática no gramado do CT com a presença dos novos comandados. Sem esboçar os onze titulares que entrarão em campo no domingo, o treinador realizou um trabalho de muita intensidade e movimentação. A posse de bola e as jogadas de finalização foram muito exigidas. Para o duelo do fim de semana, Odair deve contar com Leandro Damião, plenamente recuperado de lesão e Moledo, que foi desfalque na última partida. 

O Colorado ainda tem mais três dias de treinamentos pela frente até o jogo de domingo. O Inter busca a segunda vitória no Beira-Rio, no Campeonato Brasileiro 2018, a primeira foi contra o Bahia, na primeira rodada. 

 

Os problemas de infraestrutura e os custos com transporte e alimentação são os principais fatores que afastam os brasileiros de parques públicos. Esse é o resultado da pesquisa Parques no Brasil – Percepções da População, divulgada hoje (25) pelo Instituto Semeia. Em relação aos parques naturais, que são áreas de conservação, 62% dos entrevistados apontaram como barreira à visitação os custos de viagem e hospedagem para visitar esses locais, em grande parte, distantes das cidades.

Já em parques urbanos, 42% indicaram os gastos com transporte e alimentação como entrave para frequentar esses lugares. Para 43%, o maior problema é a falta de infraestrutura, como segurança, iluminação e banheiros inadequados. O estudo ouviu 815 pessoas em seis regiões metropolitanas: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Salvador, Manaus e Brasília. A amostra seguiu o perfil populacional por idade, sexo e escolaridade apontado pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).

O estudo também mostrou que a visitação a parques não é um hábito da população brasileira. Frequentam parques naturais várias vezes ao ano 23% dos entrevistados. Este mesmo percentual vai uma vez por ano ou uma vez a cada dois anos. A maioria dos entrevistados (54%) visitou esses locais apenas algumas vezes na vida. Sobre os parques urbanos, 14% vão pelo menos uma vez por semana e 28% uma vez por mês ou a cada quinze dias. Esses locais públicos são usados de forma esporádica por 42% dos ouvidos, que frequentam raramente até uma vez a cada seis meses. Já 16% dos ouvidos na pesquisa nunca foi a um parque.

“Há uma concentração muito grande naquele grupo de visitação esporádica. O que mostra que os parques não estão na cultura dos brasileiros, seja no dia a dia das cidades, seja como opção de lazer”, enfatizou o diretor executivo do Semeia, Fernando Pieroni. O instituto, uma organização sem fins lucrativos, se dedica a articular parcerias entre setor público e privado e desenvolver pesquisas sobre a gestão de parques.

Administração privada

Para 73% dos entrevistados, a concessão de parques à iniciativa privada tende a melhorar a gestão das áreas. A maioria das pessoas acredita que a administração por empresas pode melhorar os equipamentos de lazer (78%), os banheiros (77%), a segurança (75%) e a iluminação (76%). Existe, no entanto, a preocupação com o aumento da cobrança por serviços para 44% dos ouvidos.

Pieroni afirma que a concessão para administração privada não necessariamente implica em aumentar preços de itens como alimentação, mas para garantir que a gestão esteja em sintonia com os interesses da população, ele defende que haja ampla participação popular na construção dos contratos.

“Os ganhos podem ser advindos do aumento de visitação. Quando eu tenho um serviço muito caro é possível que eu tenha muito poucos usuários desse serviço.Você pode diminuir o preço e aumentar a visitação. O conjunto da obra acaba sendo mais rentável”, exemplificou sobre modelos que podem ser benéficos tanto para as concessionárias quanto para o público.

Outro ponto importante é, segundo Pieroni, o fortalecimento da fiscalização das concessões. “É importante, junto com o desenvolvimento desses contratos, que são processos longos, haver um envolvimento das pessoas da Secretaria do Verde [e do Meio Ambiente], para que elas entendam esses contratos. É importante ter essa atenção para a capacitação de quem vai gerir esse contrato”, enfatizou.

Edital em São Paulo

No dia 27 de fevereiro, a Prefeitura de São Paulo lançou, para consulta pública, um edital para conceder à iniciativa privada seis parques municipais, incluindo o Parque Ibirapuera. A concessão terá prazo de 35 anos, com valor mínimo de outorga de R$ 1,9 milhão. A administração municipal diz que espera R$ 100 milhões em investimentos somente no Ibirapuera.

Edição: Denise Griesinger
 
Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil  São Paulo

A cinco dias do fim do prazo, praticamente um terço dos contribuintes ainda não acertou as contas com o Fisco. Até as 17h de hoje (25), a Receita Federal recebeu 18.993.987 declarações do Imposto de Renda Pessoa Física. O total equivale a 66% dos 28,8 milhões de documentos esperados para este ano.

O programa de preenchimento da declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física de 2018, ano base 2017, está disponível no site da Receita Federal <http://www.receita.fazenda.gov.br/>. O prazo para a entrega da declaração começou em 1º de março e vai até as 23h59min59s de 30 de abril.

Está obrigado a declarar quem recebeu rendimentos tributáveis, em 2017, em valores superiores a R$ 28.559,70. No caso da atividade rural, deve declarar quem teve receita bruta acima R$ 142.798,50.

A declaração poderá ser preenchida por meio do programa baixado no computador ou do aplicativo Meu Imposto de Renda para tablets e celulares. Por meio do aplicativo, é possível ainda fazer retificações depois do envio da declaração.

Outra opção é mediante acesso ao serviço Meu Imposto de Renda, disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC) <https://cav.receita.fazenda.gov.br/>, no siteda Receita, com uso de certificado digital.

Também estão obrigadas a declarar as pessoas físicas: residentes no Brasil que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil; que obtiveram, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens e direitos, sujeito à incidência do imposto ou que realizaram operações em bolsas de valores; que pretendem compensar prejuízos com a atividade rural; que tiveram, em 31 de dezembro de 2017, a posse ou a propriedade de bens e direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil; que passaram à condição de residentes no Brasil em qualquer mês e assim se encontravam em 31 de dezembro; ou que optaram pela isenção do IR incidente sobre o ganho de capital com a venda de imóveis residenciais para a compra de outro imóvel no país, no prazo de 180 dias contados do contrato de venda.

Multa por atraso

A multa para quem apresentar a declaração depois do prazo é de 1% por mês de atraso, com valor mínimo de R$ 165,74 e máximo de 20% sobre o imposto devido.

Deduções

As deduções por dependente estão limitadas a R$ 2.275,08. As despesas com educação têm limite individual anual de R$ 3.561,50. A dedução de gastos com empregadas domésticas é de R$ 1.171,84.

Novidades deste ano

O painel inicial do sistema tem informações das fichas que podem ser mais relevantes para o contribuinte durante o preenchimento da declaração.

Neste ano, será obrigatória a apresentação do CPF para dependentes a partir de 8 anos, completados até o dia 31 de dezembro de 2017.

Na declaração de bens, serão incluídos campos para informações complementares, como números e registros, localização e número do Registro Nacional de Veículo (Renavam).

Também será incluída a informação sobre a alíquota efetiva utilizada no cálculo da apuração do imposto.

Outra mudança é a possibilidade de impressão do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) para pagamento de todas as cotas do imposto, inclusive as que estão em atraso.

* Colaborou Kelly Oliveira

Edição: Davi Oliveira
 
Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil*  Brasília

Uma solenidade na noite de segunda-feira (24), marcou mais uma iniciativa voltada ao desenvolvimento do município. No Salão Nobre, o prefeito Ico Charopen realizou a entrega do documento de cedência de área para a empresa EKT Indústria LTDA, que irá realizar a transformação dos resíduos sólidos do município em madeira biossintética.

Na solenidade, o secretário de serviços urbanos, Ricardo Dutra, destacou que desde o início da gestão, o Executivo busca alternativas para o destino dos resíduos, e pontuou as experiências a qual teve acesso até chegar a empresa EKT. Ainda na solenidade, estiveram presentes os representantes da empresa EKT, como o diretor Helmut Flister; além do assessor técnico da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Paulo Rogério Fernandes e do vereador Romário Paz, que intermediou o contato do Município com a empresa.

Com a instalação da EKT, o município economizará pelo menos R$ 300 mil por mês, valor gasto para transportar os resíduos. Além disso, com a finalização do lixo, o Município dá mais um importante passo rumo a sustentabilidade. A empresa ainda irá gerar cerca de 40 empregos diretos imediatos e mais 60 empregos assim que estiver instalada por completo, a expectativa é que pelo menos 100 empregos indiretos sejam gerados. A EKT ficará localizada em uma área de seis hectares, e tem seu investimento avaliado em R$ 20 milhões.

Para o Prefeito, a iniciativa representa um avanço importante para a cidade, sendo símbolo de sustentabilidade, economia, desenvolvimento e geração de emprego e renda. Ico ainda ressaltou que o Município também está desenvolvendo o Programa de Educação Ambiental, que aliada a transformação de resíduos, irá proporcionar um ambiente melhor na cidade.

FOTOS: ÁGUIDO RICARDO/ASCOM

Novo reforço para o ataque colorado, o atacante Lucca foi apresentado oficialmente pelo Internacional na tarde desta terça-feira (24/04), no Parque Gigante. Ao lado do vice-presidente de futebol Roberto Melo, o jogador de 28 anos vestiu a camisa de número 19 pela primeira vez e falou sobre os seus objetivos em Porto Alegre.

Contratado por empréstimo até 31 de julho de 2019, o atacante não escondeu a felicidade de ter a oportunidade de defender o Colorado. "Estou muito feliz, é uma honra muito grande vestir essa camisa. Já joguei contra algumas vezes aqui e sei da dificuldade que é. Agora ter isso do meu lado é sensacional. Quero entrar em campo o mais rápido possível e sentir aquele frio na barriga novamente. Espero que domingo a gente comece com o pé direito", projetou o jogador.

Além da velocidade e da finalização, o jogador também se destaca pela polivalência, podendo atuar em diferentes faixas do ataque. "Eu não costumo ter preferência de posição. Ano passado joguei pelo lado direito, pelo lado esquerdo, pelo centro e me sai bem, consegui ter uma boa temporada. Estou à disposição para ajudar".

Em Porto Alegre, o camisa 19 reencontra um velho amigo e companheiro de muitas vitórias. Trata-se de William Pottker, um dos grande destaques do Inter desde o ano passado, quando foi contratado junto à Ponte Preta. No clube de Campinas, os dois viveram grandes momentos e classificaram o time do interior à decisão do Estadual.

"Mantenho contato com o Pottker. Tivemos grandes momentos na Ponte Preta e a levamos para a final do Campeonato Paulista. Foi importante pra gente. Mesmo depois que ele saiu, conversamos sempre. É um grande amigo, que a gente possa fazer boas partidas. A gente já se conhece e sabe como o outro joga", comentou.

O jogador já projeta a sua estreia com a camisa colorada e se colocou à disposição do treinador Odair Hellmann para o mais breve possível. "Estou pronto, treianando normalmente e à disposição a qualquer momento. Já treinei semana passada na academia e, no fim de semana, fui pro campo enquanto o pessoal jogava em São Paulo".

A estreia de Lucca pode ocorrer já neste final de semana, quando o Internacional entra em campo pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. O confronto está marcado para domingo, às 19h, diante do Cruzeiro.

Ficha técnica:
Nome: Lucca Borges de Brito
Nascimento: 14/02/1990 – 28 anos
Natural: Alto Parnaíba (MA)
Altura: 1,78m

Carreira:
2006| Palmas (TO)
2009 | Criciúma
2011 | Chapecoense
2012 | Criciúma
2013 | Cruzeiro
2014 | Criciúma
2015 | Corinthians
2017 | Ponte Preta
2018 | Internacional

Conquistas:
2007 | Campeonato Tocantinense
2011 | Campeonato Catarinense
2013 | Campeonato Brasileiro
2015 | Campeonato Brasileiro
2018 | Campeonato Paulista 

Desde seus primórdios, o ser humano sempre conviveu com os mais diversos tipos de doenças que alarmavam a população. A lepra, ontem; o câncer, hoje. Pesquisa do Instituto Datafolha aponta que o diagnóstico que 76% dos brasileiros mais temem receber ainda é o de câncer. Já o Instituto Nacional do Câncer (Inca) revela que surgem 600 mil novos casos da doença todos os anos no Brasil e que, em cada 10 casos, três estão relacionados ao estilo de vida que as pessoas levam. Hábitos como tabagismo, consumo excessivo de álcool, sedentarismo, obesidade e exposição exagerada ao sol aumentam as chances de incidência da doença. 

Apesar de os números ainda assustarem, vale lembrar que a Medicina Diagnóstica nos dá meios de detectar um câncer em estágio bastante inicial e plenamente passível de tratamento – aumentando as chances de cura. De acordo com o pesquisador João Viola, do Inca, uma vez que a pessoa teve câncer é sempre importante manter a vigilância. Ainda assim, ele prevê que, em 15 ou 20 anos, o câncer vai ter o mesmo ritmo que a Aids. Ou seja, o paciente fica em tratamento-controle por muito tempo, como se estivesse tratando de uma doença crônica. 

Há quem afirme haver causas subjetivas para o câncer, como acúmulo de mágoa e rancor. Nem sempre, como ocorre com as doenças do corpo, a medicina pode cuidar das doenças da alma. Na Roma Antiga, quando perguntaram ao poeta Juvenal o que as pessoas deveriam desejar na vida, ele respondeu: mens sana in corpore sano (mente sã em corpo são). Essa frase é repetida inúmeras vezes em todas as partes do mundo até hoje. Isto porque, sem dúvida, boa parte de nossa saúde física depende do equilíbrio espiritual e da sanidade mental. 

Esse equilíbrio pode ser buscado por inúmeros caminhos. Em seu livro O Milagre da Meditação (lançado em 2017 pela IRH Press do Brasil), o autor e mestre japonês Ryuho Okawa aponta a meditação como um “recurso que as grandes almas devem usar para aumentar seu poder, duplicando-o, multiplicando-o por três, ou mesmo cinco, dez, cem vezes”. Para ele, a primeira condição para se meditar de modo correto é “acreditar na existência do divino”. 

Outra condição para não ter nosso equilíbrio emocional ameaçado é sorrir, viver com um coração puro e com amor buscar a felicidade do maior número possível de pessoas. EmA Verdade sobre o Mundo Espiritual, que acaba de ser lançado no Brasil, Okawa diz que “o ideal como ser humano é levar uma vida franca, aberta, simples e inocente”. Ele alerta que devemos viver como se tivéssemos um coração de vidro, sem vergonha de mostrar o que somos e o que estamos pensando. 

É possível que entre as causas não físicas de muitas doenças, incluindo câncer, esteja a ausência de condições para a construção de uma mente sã, devido ao abandono do correto caminho ou em consequência do isolamento e da solidão. Todos enfrentam em alguma fase da vida situações familiares difíceis, reveses nos estudos, insucessos no ambiente de trabalho, desilusões amorosas. 

Mas somos mais sujeitos ao desânimo e a pensamentos negativos quando nosso coração está envolto em nuvens escuras provocadas por desvios de rota, quando deixamos que vícios ocupem o lugar das virtudes e venenos como ganância, ambições, raiva, inveja e traições nos afastem da Verdade e da consciência de que devemos ser felizes e fazer a felicidade dos outros neste mundo para construir nossa felicidade no Mundo Celestial. 

O pleno controle de nosso barco nos dará condições de superar tempestades, de manter serenidade e esperança mesmo diante de graves doenças. Será a boa convivência com familiares e amigos e a construção de uma vida saudável e correta que nos darão força interior para encarar problemas psicossociais como a perda de uma pessoa querida ou de um emprego sem somatizar, sem transformar isso em doença. 

Com essa postura, é como se tivéssemos descoberto e tomado uma vacina contra vários problemas e doenças. Sendo assim, evite a solidão e procure usar seu tempo livre e seus conhecimentos para ajudar a quem precisa. Conviva com pessoas positivas, alegres, pessoas que conseguem ser felizes trabalhando para fazer os outros felizes.  Converse, conte seu dia aos outros. Não deixe o desânimo tomar conta de você e encare cada doença, por mais dolorosa que seja, como algo transformador. 

*Monica Higashi é consultora de novos negócios da editora IRH Press do Brasil, que publica em português as obras de Ryuho Okawa. Um dos autores mais prestigiados no Japão, Okawa tem mais de 2.300 livros publicados, ultrapassando 100 milhões de cópias vendidas, em 29 idiomas.  (www.okawalivros.com.br)

 

 

 

Beneficiada pela recuperação da economia e pelo aumento dos tributos sobre os combustíveis, a arrecadação federal cresceu acima da inflação pelo quinto mês seguido. Segundo números divulgados pela Receita Federal, o governo arrecadou R$ 105,659 bilhões em março, alta de 3,95% em relação ao mesmo mês do ano passado, descontada a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Em valores corrigidos pelo IPCA, a arrecadação atingiu o melhor nível para o mês de março desde 2015. Nos três primeiros meses de 2018, a União arrecadou R$ 366,401 bilhões, alta de 8,42% acima do IPCA em relação ao primeiro trimestre do ano passado, sendo o melhor resultado para o período desde 2014.

De acordo com a Receita Federal, a arrecadação aumentou R$ 4,01 bilhões em relação a março do ano passado em valores corrigidos pelo IPCA. Desse total, parte do crescimento foi provocado pela elevação de tributos sobre os combustíveis e outra parte decorreu do Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), também conhecido como Novo Refis. No entanto, se forem descontadas fatores externos, a arrecadação teria crescido 2,16% acima da inflação na mesma comparação.

Em vigor desde o fim de julho do ano passado, a elevação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre os combustíveis reforçou os cofres federais em R$ 2,261 bilhões em março, contra R$ 1,192 bilhão no mesmo mês de 2017. Beneficiadas pelo aumento da cotação do petróleo no mercado internacional, que influencia o pagamento de royalties, as receitas não administradas pelo Fisco cresceram 8,26% na mesma comparação, se for descontada a inflação.

Recuperação

Mesmo com fatores externos, a recuperação da economia contribuiu para a melhora da arrecadação federal. Segundo a Receita Federal, o aumento de 5,21% nas vendas de bens, além do reajuste das alíquotas sobre os combustíveis, impulsionou a arrecadação de PIS/Cofins em março, que cresceu 10,16% acima da inflação oficial em relação a março do ano passado. A alta de 2,77% na produção industrial fez a arrecadação de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) subir 9,06% acima do IPCA na mesma comparação.

Outros tributos cujas receitas estavam subindo nos últimos meses voltaram a cair. A arrecadação de Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) recuou 3,78% em março, descontada a inflação no período. De acordo com a Receita Federal, a antecipação de pagamentos pelas empresas em janeiro e fevereiro contribuiu para a queda no mês passado.

A estagnação da massa salarial, apesar da recuperação do emprego formal, fez a arrecadação das contribuições para a Previdência Social cair 0,53%, descontado o IPCA, na mesma comparação. Segundo a Receita, a soma dos salários na economia cresceu 0,38% em fevereiro (fato gerador para o mês de março), mas a atualização pela inflação oficial resultou numa diminuição real dos salários em 0,06%.

* Matéria alterada às 15h50 para corrigir índices no quinto parágrafo. Onde estava escrito ...aumento de 6,51%, o correto é 5,21%. E onde estava escrito ...alta de 5,66%, o correto é 2,77%.

 

Edição: Fernando Fraga
 
Por Wellton Máximo - Repórter da Agência Brasil  Brasília

A regularização fundiária terá continuidade no município. Desta vez, os moradores do bairro São Paulo terão a oportunidade de receber os títulos de suas áreas, através do programa de regularização “More Legal”. As orientações serão prestadas durante audiência pública, na próxima sexta-feira (27), às 19h30, no ginásio da Escola Cyrino Luiz de Azevedo.

A iniciativa é promovida pelo Cartório de Registro de Imóveis e pelo Poder Judiciário, com o apoio da Prefeitura Municipal, através do Departamento de Habitação, e tem o objetivo de regularizar áreas institucionais que estão ocupadas irregularmente.

Na localidade do bairro São Paulo, serão 198 famílias contempladas, num total de 219 lotes. “Estamos contentes com a ação, pois sabemos do significado desta iniciativa para a comunidade”, destacou o prefeito.  Os últimos detalhes da ação foram definidos em reunião nas últimassemanas, com o prefeito Ico Charopen; a diretora de Habitação, Tatiane Marfetan; o secretário Geral de Governo, Enrique Civeira e a Oficial Substituta do Cartório de Registro de Imóveis, Joslaine dos Santos.


FOTO: ÁGUIDO RICARDO/ASCOM

Um livro destinado principalmente a estudantes de Agronomia, que procuram conhecimento básico do ciclo do nitrogênio (N) no solo, envolvendo todos os seus principais processos, foi disponibilizado recentemente pela Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP) em sua base de publicações. O Ciclo do Nitrogênio em Sistemas Agrícolas está disponível aqui.

O nitrogênio (N) é um nutriente requerido por todos os organismos vivos e, no solo, é um elemento extremamente dinâmico em decorrência das várias reações de oxido-redução a que está sujeito. O suprimento inadequado de N é considerado um dos principais fatores limitantes à produtividade de grãos. Este elemento é necessário em grandes quantidades, uma vez que é componente essencial de proteínas, ácidos nucleicos e de outros constituintes celulares.

A pesquisadora Rosana Faria Vieira explica que embora a maior parte das etapas envolvidas no ciclo do N tenha sido identificada há mais de um século, ainda hoje nos deparamos com novas descobertas. “Os primeiros dez anos do século 21 foram extremamente importantes no entendimento das relações funcionais dentro do ciclo deste elemento. Nesse período ocorreu a identificação de novas espécies de microrganismos envolvidas em processos já conhecidos até a identificação de processos nunca descritos anteriormente. Nos primeiros tópicos deste livro é feita uma descrição das etapas envolvidas na dinâmica do N no solo, até então conhecidas”, informa ela. 

De acordo ainda com a autora, “apesar do N ocupar posição de destaque na nutrição mineral de plantas, a eficiência de sua utilização pelas culturas é baixa, o que gera grandes perdas deste elemento para o ambiente. “As preocupações com estas perdas tornam-se cada vez maiores se considerarmos que até 2050 a produção de alimentos deve aumentar em 70% para suprir a demanda de uma população que poderá chegar a 9,1 bilhões”, enfatiza ela.

Rosana salienta que a delicada coexistência de efeitos benéficos e prejudiciais do N em sistemas agrícolas sugere a necessidade urgente de entendimento mais profundo do ciclo deste elemento. Assim, “nos itens finais deste livro são descritas as rotas e apresentados os processos relacionados com as perdas de N após a aplicação de fertilizantes nitrogenados minerais e/ou orgânicos. São descritas também algumas medidas de mitigação com potencial para o incremento da eficiência de uso do nitrogênio pelas culturas”.

 A pesquisadora informa que se o leitor desejar aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto encontrará no tópico relativo às referências uma ampla lista de artigos, boletins e livros, tanto nacionais quanto internacionais, que lhe fornecerá fontes de informações mais especializadas e pormenorizadas.

Por: EMBRAPA

Fonte: https://www.agrolink.com.br/

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deu aval para a comercialização de quatro novos medicamentos genéricos. A autorização foi publicada na edição desta segunda-feira (23) do Diário Oficial da União (DOU). Um deles é o Entricitabina combinado com Fumarato de Tenofovir Desoproxila, produto usado para o tratamento de pessoas que contraíram o vírus HIV. O medicamento de referência é o Truvada, cujas indicações incluem a profilaxia pré-exposição (PReP), usada para reduzir o risco de infecção pelo vírus adquirido sexualmente em adultos de alto risco. No Brasil, a detentora do registro é a Blanver Farmoquímica e Farmacêutica S/A.

Outro produto genérico inédito com registro aprovado pela Anvisa é o Perindopril Erbumina combinado com Indapamida, indicado para o tratamento da hipertensão arterial (pressão alta), que acomete uma a cada quatro pessoas adultas, segundo dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH). A empresa detentora do registro no país é a  EMS S/A.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deu aval para a comercialização de quatro novos medicamentos genéricos. A autorização foi publicada na edição desta segunda-feira (23) do Diário Oficial da União (DOU). Um deles é o Entricitabina combinado com Fumarato de Tenofovir Desoproxila, produto usado para o tratamento de pessoas que contraíram o vírus HIV. O medicamento de referência é o Truvada, cujas indicações incluem a profilaxia pré-exposição (PReP), usada para reduzir o risco de infecção pelo vírus adquirido sexualmente em adultos de alto risco. No Brasil, a detentora do registro é a Blanver Farmoquímica e Farmacêutica S/A.

Outro produto genérico inédito com registro aprovado pela Anvisa é o Perindopril Erbumina combinado com Indapamida, indicado para o tratamento da hipertensão arterial (pressão alta), que acomete uma a cada quatro pessoas adultas, segundo dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH). A empresa detentora do registro no país é a  EMS S/A.

Edição: Amanda Cieglinski

Por Pedro Rafael Vilela - Repórter da Agência Brasil  Brasília

Página 1 de 254
Topo