10 fatos que você precisa saber sobre o gengibre

Cientificamente conhecido como Zingiber officinale e popularmente no norte do País como mangarataia, o gengibre é frequentemente procurado nas feiras e supermercados pelos seus efeitos benéficos à saúde. Não à toa na medicina ayurvédica é indicado para diminuir náuseas e enjoos.

Da especulação à comprovação científica de seus benefícios, muitos estudos foram feitos para elucidar suas ações em nosso organismo, embora muitos deles realizados em animais e não propriamente em humanos, o que não diminui o interesse da ciência por esta especiaria.

Nesta última década algumas conclusões já foram obtidas, pelos estudos:

Pode ajudar a diminuir náuseas após sessões de quimioterapia

Pesquisas substanciais revelaram que o gengibre possui propriedades que poderiam exercer múltiplos efeitos benéficos para pacientes que têm náuseas e vômitos após as sessões de quimioterapia.

Estas propriedades incluem receptores 5-HT3, substância P e antagonismo do receptor de acetilcolina; propriedades anti-inflamatórias; modulação da sinalização redox celular, liberação de vasopressina, motilidade gastrointestinal e taxa de esvaziamento gástrico.

Pode ser benéfico para pessoas com câncer gastrointestinal

Estudos experimentais mostraram que o gengibre e seus componentes ativos, incluindo o 6-gingerol e o 6-shogaol, exercem atividades anticancerígenas contra o câncer gastrointestinal.

A atividade anticancerígena do gengibre é atribuída à sua capacidade de modular várias moléculas sinalizadoras como NF-?B, STAT3, MAPK, PI3K, ERK1 / 2, Akt, TNF-?, COX-2, ciclina D1, cdk, MMP-9, survivina , CIAP-1, XIAP, Bcl-2, caspases e outras proteínas reguladoras do crescimento da célula cancerígena, causando sua apoptose (morte) e evitando se espalhar pelo corpo (metástase).

Pode ajudar a prevenir inflamações e aumenta a imunidade

Seus componentes bioativos gingerol e shogaol têm efeitos antioxidantes e antiinflamatórios, podendo atuar como coadjuvante na diminuição das inflamações articulares.

Pode ajudar a reduzir o risco de doenças cardiovasculares

Tem efeito antiagregante plaquetário, diminuindo a tendência de formação de coágulos nos vasos sanguíneos, o que pode diminuir o risco de doenças cardiovasculares e ajudar no controle da pressão arterial (efeito hipotensor)

Apesar dos efeitos benéficos do gengibre no nosso organismo, alguns cuidados devem ser tomados na sua ingestão:

Pode causar desconforto estomacal

Pode causar desconforto estomacal e diarréia se ingerido em excesso, inclusive desencadear gastrite

Pode ser prejudicial para pessoas com hipertensão

Por contribuir pela queda da pressão arterial pode potencializar o efeito hipotensor de medicamentos utilizados para o controle da hipertensão arterial, o que pode ser um risco para pessoas com pressão alta e que tomam medicamento para controle da mesma. Pessoas cardíacas também devem evitar consumo exagerado de gengibre, pelos riscos de queda da pressão arterial.

Pode aumentar o fluxo sanguíneo na menstruação

Embora em doses pequenas o gengibre contribui para a diminuição do fluxo de sangue na menstruação, em excesso pode alterar a coagulação sanguínea e desencadear sangramento excessivo.

Pode alterar a palatabilidade do leite materno

Mães que amamentam devem evitar o gengibre pelo risco de alterar a palatabilidade do leite materno, pois os compostos terpênicos encontrados na parte oleosa do gengibre são parcialmente excretados pelas glândulas lactíferas mamárias

Pode ser prejudicial para pessoas com hemorroida

O consumo seguro do gengibre é de no máximo 2 gramas por dia, se na forma em pó( o que equivale à uma colher de chá e até 1 lasca fina de 1 cm de espessura na forma in natura. Embora na cultura popular se preconize o uso do gengibre para curar hemorroidas, isto não é recomendado pela medicina, pois há o risco de irritação local da região onde é aplicado gerando possível piora da inflamação do processo hemorroidário.

Nutrologia - CRM 78392/SP
 
Fonte: www.minhavida.com.br

 

Rate this item
(0 votes)
Login to post comments
Topo