Maratonas de séries ou leitura: é possível se viciar em entretenimento?

É com grande prazer que algumas pessoas curtem assistir muitos episódios de séries (as vezes, seguidamente), virar a noite lendo livro ou até mesmo acompanhar de perto esportistas ou times favoritos. No entanto, há uma grande dúvida se isso pode causar dependência. Na verdade, a chave para esse tipo de solução é simples, tudo que está em desequilíbrio deve ser revisto. Assistir horas seguidas de TV ou estar na frente do computador ou de um livro desde que equilibrado com o restante do dia e as atividades normais da vida não é algo para se preocupar. Mas, pense com atenção como está sua vida. Você percebe outros aspectos prejudicados pelo excesso que faz ao se manter com seu entretenimento preferido? Como você lida com outras áreas da vida? Tem dado conta de manter-se presente em vários quesitos?

Pensando sobre isso, também é importante estar atento se assistindo ao seu seriado, lendo seu livro ou acompanhando seu time, você está relaxando, distraindo e feliz ou se existe uma falsa sensação de lealdade ligada aos personagens, no sentido de que sua presença ali não é apenas pelo bem-estar, mas algo como "dependência", "ligação forte", etc. Tenha consciência dos sinais que sua mente lhe dá para o que você faz. É bem interessante quando você cuida do que sente e da sua paz interior.

Quando o entretenimento se torna um vício?

De fato, há pessoas que não conseguem se equilibrar e perdem a mão do autocontrole e equilíbrio, e com isso, algumas estão viciadas em algum tipo de entretenimento. Isso acontece quando a pessoa perde o controle do bem-estar e das atividades da vida. É como se precisasse sentir aquele tipo de prazer que sente ao ver o seriado ou ler seu livro sem conseguir lidar com as dificuldades do dia a dia. Ao ver uma ficção ou evento esportivo, é um momento de "vivenciar" uma nova vida, uma nova história e se "desligar" da sua vida. Quando feito com normalidade e equilíbrio isso é muito bom. Quando a pessoa perde essa volta para vida real, seja pela dor ou dificuldade de suportar a pressão da vida em si, é que o perigo se instala.

Normalmente, quem vê em excesso os seriados, filmes, livros, etc, acaba por buscar algumas coisas, por exemplo, os sinais de prazer, resposta da mente e do corpo, como relaxamento, bem-estar, emoção, adrenalina, etc, ou mesmo a superação de algum problema que a pessoa está vivendo.

Ao pensar em vícios, é necessário entender o ponto da falta de controle, da perda do bem-estar e da compulsão. Isso pode ser visto em vários outros momentos da vida, não só no ponto de assistir vários episódios de uma série ou virar a noite lendo um livro. Há pessoas viciadas em comida, sexo, TV, computador, internet, etc. A grande questão é algo que parece tomar a frente e a energia daquela pessoa. A falta de autocontrole impera.

O melhor momento de procurar ajuda é quando a pessoa percebe que está tendo prejuízo pelo seu comportamento compulsivo. Quando o indivíduo nota estar ausente em pontos da vida. Técnicas de psicoterapiahipnose, PNL e coaching de vida, podem ser muito úteis para o processo de cura, desenvolvimento do equilíbrio e bem-estar. Que a vida seja leve e prazerosa sem o desequilíbrio de ações compulsivas.

 

Fonte: www.minhavida.com.br

Escrito por Adriana de Araújo
Psicologia - CRP 56802/SP
 
Foto: EBC

 

Rate this item
(0 votes)
Login to post comments
Topo