Gisnei

Gisnei

A COTRIBÁ promoveu em Sant’Ana do Livramento um almoço para agricultores, autoridades e convidados, para apresentar a cooperativa com sede Administrativa no município de Ibirubá, que possui mais de 50 pontos de negócios espalhados em mais de 20 municípios do Rio Grande do Sul, além de mais de 10 mil associados.
O evento foi realizado na localidade da Faxina, sede da empresa, com a presença da prefeita Mari Machado; secretário municipal de Agricultura, Pedro Nunes; Celso Leomar Krug, Enio Cezar Moura do Nascimento Presidente e Vice-Presidente da COTRIBÁ e do responsável pela regional da empresa, João Peter.
Na oportunidade a prefeita parabenizou o trabalho da cooperativa e destacou a solidez da empresa que existe há mais de um século e com certeza trará benefícios aos produtores e a receita do município. Destacou também que, assim como na iniciativa privada, um governo se faz com credibilidade, confiança e esperança e que assim tem buscado trabalhar por Livramento, colocando o município a disposição do novo empreendimento.

Com relação à questão agropecuária e a decretação de SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA, a prefeita destacou que até segunda-feira vai realizar um levantamento da estiagem e definir as prioridades para auxiliar os produtores atingidos, como a solicitação de construção de novos poços artesianos na área rural para a secretaria da obras do Estado e também a reunião a ser realizada com o Sr. Tarso Teixeira, superintendente do INCRA no RS. Ela também fez uma saudação especial às mulheres presentes ao almoço e destacou a necessidade de mais mulheres no ambiente da política, já que possuem capacidade de gestão, e especialmente um olhar especial para áreas como Educação, Saúde e Assistência Social. Foi um grande evento que marcou um novo momento da cultura da soja no município que hoje já tem aproximadamente 60 mil ha de área plantada no município. 

Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social

É início de ano e, além de planejamentos financeiros para os próximos meses, é chegada a hora de fazer a declaração de imposto de renda, algo extremamente necessário, mas que pouca gente gosta. 

De fato, ter que lidar com um formulário de perguntas extenso e fornecer informações com um nível de detalhamento alto não são tarefas agradáveis. No entanto, é importante compreender este momento de acertar as contas com o “Leão” como uma oportunidade de refletir sobre o seu patrimônio, buscando entender os rumos que suas finanças estão tomando a cada ano que passa. 

Precisam declarar IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) pessoas que receberam rendimentos tributáveis (como salário, aposentadoria, aluguel) acima de R$ 28.559,70 no ano anterior; aquelas que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte acima de R$ 40 mil; quem possuir bens superiores a R$ 300 mil; quem teve receita superior a R$ 142.798,50 com atividade rural e/ou realizou operações na Bolsa de Valores. Se você se encaixa em algum desses perfis, as dicas abaixo podem te ajudar, facilitando o processo. 

Antes de tudo, é bom se atentar com os prazos. Em 2020, o período para fazer a declaração do IRPF vai de 2 de março a 30 de abril. Vale ressaltar que o dia 30 de abril, neste ano, cai em uma quinta-feira, véspera de feriado – mais do que nunca é recomendável não deixar para fazer a declaração de última hora. Tendo essas datas em mente, comece a separar os documentos necessários para que você possa fazer uma declaração anual sem riscos de cair na chamada “Malha Fina”. Essa documentação envolve: 

1) A declaração de rendimentos do ano anterior, no caso o ano base 2019;

2) Comprovantes de despesas médicas e odontológicas, suas e de seus dependentes;

3) Comprovantes de despesas escolares com instituições de ensino particulares;

4) Comprovantes de doações a instituições com possibilidade de deduções legais;

5) Comprovantes de recebimento de aluguéis, se você for um locador;

6) Comprovantes de contribuições de Previdência Privada, somente para a modalidade PGBL – Programa Gerador de Benefício Livre, excluindo o valor da contrapartida de sua empresa, quando for o caso.

7) CPF de todos os dependentes, independente de idade, deverão ser informados na declaração.

8) Extratos de investimentos em renda fixa, renda variável fornecidos por sua instituição financeira. Um alerta especial: criptomoedas encaixam-se em renda variável e, portanto, é preciso que sejam declaradas.

9) Comprovantes de seus patrimônios, financiados ou não, como sua casa, seu carro etc. 

Também vale levar em consideração que, com o avanço da tecnologia, a Receita Federal tornou-se ainda mais capaz de obter dados sobre as movimentações financeiras dos contribuintes. Essas informações podem ser cruzadas com cartórios e empresas. Sendo assim, qualquer incompatibilidade em sua declaração de IR pode fazer com que você seja chamado (a) para se explicar e, dependendo da situação, pagar multa. Para se livrar dessas complicações e simplificar a declaração, algumas dicas são importantes: 

1) Separe uma gaveta ou um envelope para guardar todos os documentos citados acima. Assim, tudo estará a sua disposição para que você possa fazer uma declaração sem estresse.

2) Guarde todas as cópias de sus declarações anuais do Imposto de Renda por cinco anos, contados a partir do primeiro dia útil do ano seguinte. O mesmo vale para os comprovantes de entrega da declaração no banco, comprovantes de aplicações, recibos médicos e escolares e outros documentos que permitiram deduções. Passado esse prazo, a Receita Federal não poderá mais contestar.

3) Não caia na tentação de querer “dar um jeitinho” em sua declaração para não pagar ou restituir mais, pois você corre um sério risco de cair na malha fina e ter sua vida financeira esmiuçada pela Receita Federal. Isto é um ato ilegal!

4) Entregar a declaração fora do prazo ocasionará multa e outras complicações. Caso não consiga toda a documentação necessária a tempo, envie dentro da data limite mesmo assim e, após obter os documentos faltantes, faça uma declaração retificadora.

5) Caso sua declaração seja feita em conjunto com seu (sua) companheiro (a) ou cônjuge, é necessário reunir a documentação citada acima para ambos.

6) Para quem é MEI (Microempreendedor Individual), a declaração de IRPF (pessoa física) dependerá de quanto foram os seus rendimentos declarados como pessoa jurídica. E havendo a necessidade de comprovação de rendimentos pessoais, recomenda-se fazer a declaração de pessoa física. Não esqueça que neste caso você tem dois papéis, o de cidadão e de empresário.

7) Fazer sua declaração de renda não é difícil, existem dicas e vídeos na internet que ensinam a fazê-la, porém, é preciso checar sua credibilidade. Também existem muitos profissionais que podem fazer a sua declaração, no entanto, assegure-se de que seja alguém capaz e confiável.

8) Um dos erros mais comuns cometidos por quem faz a declaração de imposto de renda, até mesmo com pessoas experientes, são as inversões de valores, como lançar alguma despesa de R$ 350,65 ao invés de R$ 350,56. Isto ocasiona inconsistência, mas ainda é possível retificar.

9) O esquecimento de algum documento também poderá causar inconsistência e levá-lo (a) à “Malha Fina”, mas isso também poderá ser retificado. 

Depois que você terminar de colocar todas as informações na sua declaração de Imposto de Renda, verifique o resumo da sua evolução patrimonial, para analisar o desempenho das suas finanças no ano anterior. Também procure saber o valor da sua restituição, e aproveite para aplicar esse “dinheiro extra” em um investimento adequado ao seu perfil que o Sicredi oferece. Além de uma reserva financeira, esse valor pode ser aplicado de diversas maneiras, tornando sua vida financeira mais sustentável.

 

* Everton Lopes é economista e especialista em Educação Financeira da Fundação Sicredi

O Congresso Nacional manteve, na tarde de hoje (4), o veto presidencial sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). A manutenção do veto veio após acordo entre Congresso e Palácio do Planalto, o que explicou a votação maciça favorável ao veto. O acordo envolveu o envio, pelo governo, de Projetos de Lei (PL) que tratam da distribuição das verbas de emendas e do relator-geral do Orçamento.

Com a manutenção dos vetos, o relator-geral do orçamento não poderá indicar prioridades na execução de obras realizadas com orçamento público. O governo não terá mais o prazo limite de três meses para repassar a verba do Orçamento. Na prática, o orçamento destinado a emendas de comissão e do relator não são mais impositivas. Além disso, não haverá penalização ao governo caso ele não faça o pagamento dessa verba.

Independentemente do acordo, partidos de vários matizes ideológicos, como Rede, Novo, PSL e MDB, mostraram-se favoráveis aos vetos. Para eles, se o veto fosse derrubado, a governabilidade e o poder de gestão do presidente da República sobre a verba pública ficariam prejudicado. Partidos de oposição se colocaram a favor do veto, considerando que a medida prejudicaria não só o atual presidente, mas todos os que se seguirem.

A votação ocorreu após dias de negociações e acordos entre governo e Congresso, encabeçados, principalmente, pelo presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o ministro da Secretaria-Geral de Governo, Luiz Eduardo Ramos.

Os projetos de lei encaminhados ontem (3) pelo governo passarão pela Comissão Mista do Orçamento, onde poderão sofrer alterações através de emendas. Alcolumbre quer votaro taisprojetos no plenário na próxima sessão do Congresso, prevista para a terça-feira que vem (10).

Poder reduzido

Nos últimos dias, os presidentes do Senado e da Câmara (Alcolumbre e Rodrigo Maia) tiveram reuniões com representantes do governo para estudar um acordo que agradasse tanto ao Executivo quanto ao Legislativo. Os projetos encaminhados pelo governo definem que o relator do Orçamento terá liberdade de indicar a destinação apenas das verbas acrescidas ao projeto original. Na prática, isso limita o poder do relator.

Por exemplo, se o governo manda um projeto de lei para construção de escolas no valor de R$ 80 milhões, o relator do Orçamento só poderá indicar a destinação de uma verba extra que o Congresso acrescente ao projeto original.

“O Congresso faz um trabalho de revisão de receita, de corte de despesa, de encontrar recurso que não está sendo executado. Tudo isso permite que o Congresso remaneje recursos para áreas prioritárias. Nessas ações que têm acréscimo, o Congresso pode fazer a indicação”, explicou o relator-geral do Orçamento, deputado Domingos Neto (PSB-CE), à TV Câmara, após a sessão do Congresso de ontem (3).

Ciência e tecnologia

Como parte do acordo, a liderança do governo no Congresso orientou os parlamentares a derrubarem um veto sobre o contingenciamento de verbas para órgãos de ciência, tecnologia e pesquisa. O acordo foi cumprido e o veto, derrubado.

Com isso, instituições públicas como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) não podem ter a verba retida pelo governo federal.

Edição: Nádia Franco

Por Marcelo Brandão e Heloísa Cristaldo - Repórteres da Agência Brasil - Brasília

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), o alemão Thomas Bach, afirmou nesta quarta (4) que a entidade não pensa em cancelamento ou adiamento dos Jogos de Tóquio 2020, que estão programados para o período de 24 de julho a 9 de agosto, por conta do avanço de casos do coronavírus no país sede do evento esportivo.

O dirigente deu esta declaração em entrevista coletiva realizada após o final de reunião do Conselho Executivo do COI, em Lausanne (Suíça).

"Posso dizer que hoje, na reunião do conselho executivo, nem a palavra cancelamento ou a palavra adiamento foram sequer mencionadas. É claro que somos uma organização responsável. É por isso que temos essa força-tarefa conjunta que realiza reuniões regulares e estamos tratando de quaisquer problemas que possam surgir, mas não estamos especulando sobre nenhum tipo de desenvolvimento futuro", afirmou Bach.

O dirigente também afirmou que conversou na última sexta com representes da Organização Mundial da Saúde (OMS), entre eles o seu diretor geral, o etíope Tedros Adhanom. Segundo Bach, “a contribuição e os conselhos da OMS” estão sendo considerados pelos organizadores dos Jogos.

Comitê Tóquio 2020

A declaração de Thomas Bach foi dada após o presidente do comitê organizador dos Jogos de Tóquio 2020, Yoshiro Mori, afirmar na manhã desta quarta que não considera a possibilidade de cancelamento do evento esportivo.

O posicionamento aconteceu pouco depois de ser revelado o total de infecções confirmadas pelo novo coronavírus no Japão: o número de casos já ultrapassa a marca de 1.000 pessoas infectadas.

Yoshiro Mori também foi questionado sobre o prazo final para uma decisão sobre um possível cancelamento da próxima edição dos Jogos Olímpicos. Em resposta, disparou: “Eu não sou Deus, então não sei”. Na última terça (3) a ministra do Japão para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, Seiko Hashimoto, afirmou que até maio sairia uma definição.

Edição: Fábio Lisboa

Por Agência Brasil - Rio de Janeiro

Uma taxa de homicídios de mulheres superior à média brasileira, rendimento salarial 26% menor do que o dos homens e uma queda na presença em posições de chefia são alguns dos principais desafios do Estado para alcançar a igualdade de gênero. Esse panorama, relativo a dados referentes, em sua maioria, ao período compreendido entre 2015 e 2019, consta do estudo "Igualdade de gênero e empoderamento das mulheres e meninas no Rio Grande do Sul", divulgado na tarde desta quarta-feira (4/3) pela Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag). A redução no número de mães jovens e a participação feminina ainda tímida, mas em evolução, nas funções ligadas à segurança pública também estão entre os destaques do trabalho.

A produção do documento, elaborado por pesquisadoras do Departamento de Economia e Estatística (DEE), faz parte das iniciativas do governo do Estado marcando o Mês da Mulher. “A desigualdade de gênero é uma questão que deve ser colocada como prioridade nas políticas públicas. Um bom diagnóstico da situação é sempre o ponto de partida adequado para o desenvolvimento das iniciativas, avaliação e monitoramento dos resultados”, destacou a titular da Seplag, Leany Lemos.

O material mostra a evolução dos indicadores do Rio Grande do Sul na busca pelo cumprimento de um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), que trata da promoção da igualdade de gênero como forma de reduzir as desigualdades sociais. Questões referentes a violência de gênero, inserção da população feminina no mercado de trabalho, diferenças salariais, acesso a políticas públicas, participação em cargos de chefia e eletivos e saúde sexual e reprodutiva das mulheres estão entre os aspectos analisados.

“De forma geral, tivemos alguns avanços interessantes nos últimos anos, porém ainda temos pontos a serem trabalhados, em especial as questões de violência em virtude do gênero – com a necessidade de haver um número maior de delegacias para mulheres realizarem denúncias – e também as diferenças salariais entre homens e mulheres, que se aprofundaram nos últimos anos no Rio Grande do Sul”, avalia a analista do DEE Daiane Menezes, que coordenou o estudo.

Violência contra a mulher

No Brasil, em 2019, quase três de cada dez mulheres sofreram algum tipo de violência ou agressão e quase quatro de cada 10, algum tipo de assédio. De acordo com dados do Sistema Único de Saúde (SUS), a taxa de homicídios de mulheres no Rio Grande do Sul era superior à do Brasil em 2017. No Estado, foram registradas 5,1 mortes de mulheres a cada 100 mil pessoas contra uma taxa de 4,6 a cada 100 mil no país.

Enquanto a taxa de homicídios de mulheres negras no Estado ficou em um patamar próximo ao do país (5,4 contra 5,7 no Brasil), a de mulheres brancas foi muito superior (5 contra 3,2). Dos 300 casos de homicídios de mulheres no Estado, 83 foram classificados como feminicídio (quando o assassinato é cometido em função do gênero).

Quanto aos autores de algum tipo de ato violento contra as mulheres, o estudo aponta que 76,4% dos agressores eram conhecidos, na maior parte dos casos parceiros ou ex-parceiros das vítimas.

Práticas nocivas

Casamentos prematuros e a maternidade de meninas também são práticas que a ONU visa a combater para alcançar a igualdade de gênero. Na região metropolitana de Porto Alegre, entre 2016 e 2018, não foram registrados casos de casamento de menores de 15 anos, e no Rio Grande do Sul este número chegou a dois casos. Quanto aos dados relativos a mães meninas e adolescentes que deram à luz no Estado, os números caíram. Em 2015, 869 mulheres de 10 a 14 anos tiveram filhos, contra 589 em 2017. Entre mães de 15 a 19 anos, os nascimentos caíram de 20.700 para 17.574.

Mercado de trabalho e rendimentos

No Rio Grande do Sul, em 2019 as mulheres representavam 51,3% da população, mas apenas 46,2% da força de trabalho, ainda assim, isso representa um avanço em relação ao ano anterior (45,6%). Mesmo sendo minoria, o contingente feminino tem a maior participação do quadro de desempregados (56,5%), percentual mais elevado quando comparado à média nacional, que fechou 2019 em 53,1%, de acordo com o IBGE.

Em relação ao rendimento médio no trabalho principal, as mulheres gaúchas são remuneradas com valores superiores aos atribuídos às brasileiras, no entanto, proporcionalmente ao salário dos homens, o Rio Grande do Sul fica atrás na comparação com os dados nacionais. Em 2019, o rendimento das mulheres no Brasil representou 80% do ganho dos trabalhadores do sexo masculino, enquanto no Estado o percentual foi de 74%. No que se trata do rendimento por hora de trabalho, o ganho das mulheres representava 84% dos ganhos dos homens.

Quanto ao trabalho doméstico, entre 2016 e 2018, houve pouca alteração na média de horas semanais dedicadas pelos distintos gêneros. No último ano do período, as mulheres dedicavam 20,4 horas nesta função contra 11,6 horas dos homens. A diferença cresce quando é incluída na análise a faixa salarial do público. No Rio Grande do Sul, em 2018, em domicílios cuja renda era de até um quarto de salário mínimo per capita, os homens trabalhavam 14,1 horas por semana e as mulheres, 25,4 horas. Nos domicílios com renda de mais de cinco salários mínimos per capita, homens trabalhavam dez horas e mulheres, 15,5 horas.

Cargos de chefia

A evolução da participação da mulher em posição de gerente ou diretora registrou queda entre 2015 e 2018. No primeiro ano da avaliação, o percentual era de 34,8%, chegou ao patamar máximo da série histórica em 2017 (39%) e voltou a cair em 2018, quando chegou a 33,8% das posições.

Nos órgãos do Poder Executivo estadual, mulheres respondem por 62% dos servidores, porém representam 56,9% dos cargos de chefias. Apesar de as funções gratificadas assumidas por mulheres estarem concentradas na Secretaria de Educação (75% do total do Executivo), a pasta onde há uma maior proporção interna de ocupantes femininas desses postos é a Secretaria do Trabalho e Assistência Social (STAS), onde elas representam 86% desses cargos (na Educação, são 80%).

Do lado oposto, na Brigada Militar apenas 10,2% dos servidores e 10% dos cargos de chefia são ocupados por mulheres. Na Polícia Civil, há mais mulheres no quadro – 29,2%, sendo que 55% dos cargos de chefia são ocupados por mulheres. Entre os secretários de Estado, as mulheres ocupam 24% dos cargos.

Discussões

O estudo do DEE será o ponto de partida para outra atividade da Seplag em março. Na segunda-feira (9/3), a secretária Leany Lemos conduzirá no auditório térreo do Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff) o encontro “Mulheres – Esse papo me interessa”, que debaterá os desafios para a igualdade de gênero e as experiências de sucesso de mulheres na sociedade gaúcha. Estão confirmadas as presenças da chefe da Polícia Civil, Nadine Anflor, da advogada Gabriela Souza, do Escritório Advocacia para Mulheres, e da empresária Bia Kern, presidente da organização Mulher em Construção.

Texto: Vagner Benites/Ascom Seplag
Edição: Vitor Necchi/Secom

A educação municipal infantil comemora mais um importante avanço: a entrega dos uniformes escolares. A solenidade de entrega aconteceu na manhã de hoje (4), no Salão Nobre da Prefeitura, com a presença da prefeita Mari Machado; da secretária de Educação, Gislaine Grecelle e da procuradora geral do Município, Carla Saraiva; além de diretores e representantes das escolas municipais infantis.
 
Nesta primeira etapa da entrega, serão beneficiados 2.220 alunos da rede infantil, que receberão os kits de uniformes de verão, compostos por camiseta, bermuda e short saia e tênis. 
 
Em sua fala, a Prefeita lamentou a forma como os uniformes foram adquiridos, ainda no ano passado, sem previsão de recurso para pagamento ficando como restos a pagar dos recursos livres da prefeitura. De acordo com Mari, o investimento de quase R$ 1 milhão foi realizado sem a previsão de recurso financeiro, o que dificultou o pagamento e exigiu negociação com as empresas vencedoras da licitação. Contudo, a Prefeita frisou que irá honrar o compromisso de pagar todos os uniformes, destacando que a compra das roupas de inverno se dará através de solicitação pelo Plano de Ações Articuladas (PAR), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o que resultará em economia ao município.
 
Mari ainda anunciou aos professores o pagamento de R$ 831 mil à categoria na próxima quinzena, referentes ao piso nacional do magistério, aos artigos 40, 41 e 42 – valores não pagos no período de abril a outubro de 2019 - e de valores residuais de professores contratados. Além disso, a Prefeita confirmou a  realização de um concurso público para a área ainda neste ano, destacando os esforços do município para qualificar ainda mais a educação. “A educação é uma área pela qual eu tenho particular interesse. Apesar de todas as dificuldades, a educação do município está muito bem graças ao trabalho abnegado dos professores”, finalizou agradecendo pelo trabalho e dedicação da categoria. 
 
Ao fim da solenidade, a vice-diretora da Escola Professor Dias, Carla Civeira, agradeceu a Administração Municipal, que através da secretária Gislaine Grecelle, atendeu demandas antigas da Escola. “Agradeço pela humanidade no trabalho da Secretária”, frisou.
 
 Foto: Assessoria de Comunicação Social || Fonte: Assessoria de Comunicação Social

Já estão definidos os atletas que irão disputar as primeiras fases da Conmebol Libertadores 2020. O Departamento de Futebol do Grêmio apresenta os 30 nomes que vão começar a caminhada em busca do tetracampeonato da competição.  

Confira a lista por ordem numérica:

1 - Paulo Victor
2 - Victor Ferraz
3 - Pedro Geromel
4 - Walter Kannemann
5 - Lucas Araújo
6 - Ruan
7 - Matheus Henrique
8 - Maicon
9 - Luciano
10 - Thiago Neves
11 - Éverton
12 - Bruno Cortês
13 - Rodrigues
14 - David Braz
15 - Darlan
16 - Lucas Silva
17 - L. Orejuela
18 - Isaque
19 - Caio Henrique
20 - Thaciano
21 - Jean Pyerre
22 - Julio Cesar
23 - Alisson
24 - Brenno
25 - Pepê
26 - Marcelo Oliveira
27 - Vanderlei
28 - Paulo Miranda
29 - Diego Souza
30 - Patrick

Fonte: https://gremio.net/

A Petrobras cortou em 5% o preço do diesel comum e em 4% o preço da gasolina nas refinarias. Os novos valores, anunciados ontem (28) pela estatal, passaram a valer hoje (29).

Os preços do diesel S500 para térmicas e do diesel marítimo caíram 5,1%. Já o diesel S10 para térmicas teve redução de 5,2% no seu valor.

A queda foi decidida em um cenário de desvalorização do petróleo no mercado mundial. Os contratos do petróleo Brent para abril estavam cotados a US$ 50,52 no fechamento do mercado ontem. Esse valor representa uma queda de 13,64% em uma semana.

O petróleo Brent é um tipo extraído principalmente do Mar do Norte e cotado na Bolsa de Valores de Londres. Ele é a referência no cálculo do valor de cerca de dois terços do petróleo mundial.

A desvalorização é influenciada pelo avanço dos casos de coronavírus pelo mundo, o que gera no mercado o receio de uma eventual desaceleração da economia mundial e, consequentemente, de uma menor demanda por combustíveis.

Por meio de suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro destacou hoje a decisão da estatal brasileira. "Este ano, a Petrobras reduziu quatro vezes o valor dos combustíveis nas refinarias e este é o quinto anúncio. Seguimos fazendo nossa parte e trabalhando para melhorar a vida dos brasileiros", disse ele.

Jair M. Bolsonaro
 
@jairbolsonaro
 
 

PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS:

- Ontem, a Petrobrás anunciou nova redução de preço dos combustíveis nas refinarias a partir de hoje:

Gasolina: -4%
Diesel comum: -5%.
Diesel S500 para térmicas e Diesel marítimo: -5,1%
Diesel S10 para térmicas: -5,2%.

 
8,189 people are talking about this
 
 

Preços nos postos

Apesar dos novos valores praticados nas refinarias, não há impacto imediato no preço final pago pelo consumidor nos postos de combustíveis. A variação, nesse caso, depende ainda de outros fatos como o consumo dos estoques armazenados, impostos, margens de revenda e percentual da mistura dos biocombustíveis.

Em virtude do feriado de carnaval, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) irá divulgar o novo Levantamento de Preços e de Margens de Comercialização de Combustíveis somente na próxima terça-feira (3).

Serão apresentados os resultados do período entre 23 e 29 de fevereiro, o que ainda não deverá mostrar reflexos da decisão da Petrobras.

Edição: Kleber Sampaio

 Por Léo Rodrigues-Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

O papa Francisco cancelou hoje (29) os compromissos públicos oficiais pelo terceiro dia consecutivo alegando uma "ligeira indisposição", segundo informação do Vaticano.
O chefe da igreja católica, de 83 anos, que retirou parte de um pulmão devido a uma doença respiratória na juventude, nunca cancelou tantas audiências oficiais e eventos durante os sete anos que já leva o seu pontificado.

De acordo com o gabinete de imprensa do Vaticano, o papa vai continuar trabalhando na residência de Santa Marta e recebendo pessoas reservadamente.

Durante a manhã de hoje, ele recebeu o chefe do gabinete dos bispos do Vaticano, o arcebispo da Ucrânia e os embaixadores do Líbano e da França.

Foram canceladas duas audiências oficiais no Palácio Apostólico, uma com uma organização internacional de bioética e outra com membros da ordem religiosa Legião de Cristo.

Na segunda-feira, Francisco deverá deixar o Vaticano, juntamente com funcionários da Santa Sé, para uma semana de exercícios espirituais no campo, no habitual retiro anual de início da Quaresma.

Tosse

O papa apareceu pela última vez em público na quarta-feira, quando foi visto tossindo e assoando durante a missa de Quarta-Feira de Cinzas, levantando suspeitas de que padece de uma constipação (alteração do trânsito intestinal, gerando retenção das fezes ou dificuldade na sua evacuação; prisão de ventre, copróstase, coprostasia.)

No dia seguinte, cancelou uma missa e, na sexta-feira, a audiência com os participantes de uma conferência sobre inteligência artificial no Vaticano.

O Vaticano esclareceu que o papa celebrou missa todas as manhãs, tendo recebido cumprimentos dos fiéis no final e passando depois o resto dos dias trabalhando.

A natureza da doença do papa não foi revelada, com o Vaticano dizendo apenas que ele teve "uma ligeira indisposição".

A doença de Francisco surge quando a Itália está em alerta máximo por causa da epidemia do coronavírus, que já afetou mais de 800 pessoas, a maioria no norte do país.

Por RTP (emissora pública de televisão de Portugal) - Vaticano

Além de aprender mais sobre iniciativas que fazem a diferença para um mundo melhor, o curso ODS na Prática ainda oferece a oportunidade de os gaúchos praticarem a solidariedade. Oferecida pelo Sistema Fecomércio-RS/Sesc/Senac, a oficina à distância (EAD) trata dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e recolhe uma contribuição espontânea de R$ 10 para projetos atendidos pelo Programa Mesa Brasil Sesc. Com o valor arrecadado até agora, quatro instituições foram beneficiadas com doações de leite. As entidades contempladas foram a Aldeia Infantil SOS, a Ação Comunitária Participativa (Acompar), a Associação de Cegos Louis Braille (Acelb) e a Obra Social do Imaculado Coração de Maria (Osicom).

A oficina está disponível no site http://fecomercio-rs.org.br/odsnapratica e tem como objetivo ampliar o conhecimento sobre os ODS, que fazem parte da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, um plano de ação para erradicar a pobreza, proteger o planeta e garantir que as pessoas alcancem a paz e a prosperidade. Idealizadas por líderes mundiais que se reuniram na sede da Organização das Nações Unidas (ONU) em setembro de 2015, a Agenda 2030 e os ODS afirmam que, para pôr o mundo em um caminho sustentável, é necessário tomar medidas ousadas e transformadoras urgentemente. Os ODS são uma ambiciosa lista de ações a serem cumpridas até 2030.

Em 2018 e 2019, o Sistema Fecomércio-RS/Sesc/Senac tornou-se signatário do Pacto Global da ONU, comprometendo-se com os 10 princípios relacionados aos Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção e com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Sobre o Sistema Fecomércio-RS/Sesc/Senac – A Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Rio Grande do Sul é uma entidade sindical, que atua no âmbito econômico, político e social em prol da constante qualificação e crescimento do setor terciário gaúcho. A Fecomércio-RS possui 103 sindicatos filiados e representa mais de 546 mil empresas, geradoras de aproximadamente 1,5 milhão de empregos formais. Atualmente, o Sistema reúne os braços operacionais dos setores de comércio e serviços, Sesc/RS e Senac-RS. Mudar a vida das pessoas por meio da educação profissional é o compromisso do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Rio Grande do Sul – Senac-RS, que já capacitou mais de sete milhões de gaúchos em sete décadas de atuação. Ofertando educação profissional em todos os níveis de ensino, da Pós-Graduação ao Jovem Aprendiz, na modalidade presencial e a distância, a entidade conta com mais de 60 pontos de atendimento que possibilitam atender todos os 497 municípios gaúchos. Já o Sesc/RS atua promovendo o bem-estar social de trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e de toda a comunidade. O propósito do Sesc/RS é o de cuidar, emocionar e fazer pessoas felizes, e todas as 497 cidades gaúchas recebem atividades sistemáticas em áreas como a saúde, esporte, lazer, cultura, cidadania, turismo e educação. Atualmente, a estrutura da Instituição conta com 70 Unidades fixas. Mais informações pelos sites: www.fecomercio-rs.org.br/www.senacrs.com.br e www.sesc-rs.com.br/.

Fonte: https://www.sesc-rs.com.br/

Página 6 de 409
Topo