Gisnei

Gisnei

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tem como principal objetivo liderar e promover a prática esportiva do futebol no Brasil. Iniciou suas atividades em 20 de agosto de 1916, como parte integrante da Confederação Brasileira de Desportos (CBD), uma entidade compromissada com o desenvolvimento desportivo do Brasil. Em 1923, a CBD foi admitida ao quadro de confederações filiadas à Fédération Internationale de Football Association, a FIFA, órgão máximo e de expressão mundial na gestão do futebol. Sob a administração da CBD, o futebol brasileiro floresceu e se sedimentou como uma das maiores potências do esporte. Neste período, foram 11 participações em Copas do Mundo FIFA e três títulos mundiais, conquistados em 1958, em 1962 e em 1970.

O futebol brasileiro sofreu amplas modificações administrativas e estruturais para entrar em conformidade com as exigências demandadas pela FIFA, que, através de um decreto, determinava que as entidades nacionais ligadas ao esporte deveriam ter dedicação exclusiva ao desenvolvimento do futebol. Deste modo, em 24 de setembro de 1979, surge a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), oriunda da extinta CBD e criada sob a prerrogativa de garantir o fomento e gestão unicamente do futebol brasileiro. Tal como existe hoje, a CBF expandiu sua gama de atividades, sendo atualmente incumbida do planejamento, coordenação e execução dos principais campeonatos de alcance nacional, além da administração da Seleção Brasileira de Futebol Masculino, da Seleção Feminina, e é responsável pelas categorias de base das Seleções Nacionais. Sob o manto da CBF, o futebol nacional prosperou em nível nacional e internacional, com títulos representativos como as Copas do Mundo FIFA de 1994 e 2002, a conquista do ouro olímpico nos Jogos Olímpicos Rio 2016, além da ampliação das competições organizadas pela Confederação. Atualmente, são contempladas as categorias profissionais e de base, tanto para o futebol masculino quanto para o futebol feminino. Ao todo, 17 torneios estão sob gestão da CBF.

Sedes

Desde junho de 2014, a CBF passou a contar com sua sede administrativa, localizada na Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro (RJ). A estrutura abrange um edifício próprio e exclusivo, planejado para abrigar todos os setores componentes da maior confederação esportiva do Brasil e suas respectivas necessidades. As instalações seguem uma linha moderna e foram projetadas para atender importantes requisitos de sustentabilidade, como um sistema de coleta para reuso da água das chuvas e um conjunto de painéis solares para redução do consumo energético de fontes convencionais. A nova sede da CBF, além de abrigar as atividades administrativas da Confederação, comporta ainda relevantes eventos realizados dentro do edifício, como convocações das seleções, cursos, treinamentos e seminários, sorteios envolvendo as competições organizados pela CBF, conferências de imprensa, eventos institucionais e é onde se encontra o Museu Seleção Brasileira, espaço dedicado às conquistas, às memória e à gloriosa trajetória da Seleção ao longo de sua centenária história. No Museu estão relíquias e preciosidades do futebol brasileiro, distribuídas em diferentes ambientes interativos e multiplataforma, tornando a experiência mais dinâmica, intensa e especial para os apaixonados pelo futebol da Canarinho.

O Centro de Treinamento da Seleção Brasileira, conhecido popularmente como “Granja Comary” e localizado em Teresópolis, região serrana do Estado do Rio de Janeiro, foi inaugurado em abril de 1987. Como a Casa da Seleção, diversos craques já passaram pelos gramados do CT, que cumpre também a função de ser um importante celeiro na formação de jogadores e futuras estrelas a vestir a Amarelinha. Para acompanhar a excelência do futebol brasileiro, a Granja passou por uma extensa reforma iniciada em 2013. O resultado é uma estrutura invejável, distribuída em 145 mil metros quadrados, que conta com hospedagem de primeira linha, cinco campos de futebol, um restaurante com cozinha profissional, além de academia e centro médico e de fisiologia equipados com aparelhos de última geração. Não poderia ser diferente: a Casa da Seleção Brasileira oferece o que há de mais moderno e em alto padrão de excelência para o futebol pentacampeão do mundo.

Comitê de Reformas

O Comitê de Reformas do Futebol Brasileiro foi concebido e implementado pela CBF com o objetivo de identificar e solucionar os principais obstáculos ao desenvolvimento do futebol brasileiro. Entre fevereiro e junho de 2016, o Comitê se reuniu em 24 oportunidades para discutir os mais relevantes pontos a serem abordados e elaborar um plano de sugestão que colaborasse com a transformação da realidade do esporte no Brasil.

Formado originalmente por 18 integrantes, o Comitê se dividiu em oito grupos de trabalho (GTs) que se aprofundaram nos temas propostos: Código de Ética, Reforma do Estatuto, Calendário do Futebol, Futebol Feminino, Licenciamento e Registro de Clubes, CBF Social e Internacionalização do Futebol. Além de seus integrantes fixos, o Comitê contou com a colaboração de 75 participantes, entre eles ex-jogadores, técnicos, juristas,  jornalistas, pesquisadores, representantes de clubes, de federações, da Conmebol e da FIFA. Ao final das discussões do Comitê, os principais resultados do trabalho foram a elaboração do primeiro Código de Ética do futebol Brasileiro e dos pilares da reforma do Estatuto da CBF, a criação de um novo Calendário do Futebol Brasileiro, um plano estruturante para o futebol feminino, o desenvolvimento do Regulamento Nacional da Concessão de Licença de Clubes, um projeto antigo da Diretoria de Registro e Transferência, além do desenvolvimento de uma metodologia oficial da CBF para ensino de futebol para crianças.

Licenciamento de Clube

A iniciativa reafirma o compromisso da CBF com a equidade de condições entre os participantes das competições de futebol. A CBF foi pioneira entre as confederações filiadas à Conmebol licenciamento se baseia, acima de tudo, no princípio de condições semelhantes de disputa, de forma a abranger pontos como infraestrutura, gestão financeira, organização interna, além de investimentos nas categorias de base e futebol feminino. Em um primeiro momento, as adequações foram exigidas dos clubes participantes das Série A e também de competições continentais. De maneira gradual, as exigências serão levadas aos clubes que disputam as Séries B, C e D do Campeonato Brasileiro. Baseado em um conjunto de requisitos a serem atendidos, o licenciamento busca estimular boas práticas de gestão que contribuam para a saúde financeira e o desenvolvimento do futebol. O modelo brasileiro vigente para o Licenciamento de Clubes é composto por cinco critérios, dispostos em 37 itens: desportivo, financeiro, administrativo e pessoal, infraestrutura e jurídico.

CBF Social

Além de seu compromisso com o futebol brasileiro e de suas realizações esportivas, a Confederação Brasileira de Futebol reafirma o seu comprometimento com a responsabilidade social através da CBF Social. Através de suas iniciativas, a CBF Social busca uniformizar uma metodologia que traduza a essência do futebol brasileiro para que, através do esporte, possa promover melhorias à sociedade, de modo a maximizar o bem-estar daqueles atendidos pelos diversas ações executadas pelo programa. Acima de tudo, a visão da CBF Social transcende os conhecimentos dentro das quatro linhas: pretende transpor o DNA do futebol brasileiro como fator de integração social e desenvolvimento da cidadania.

Foto: Nova fachada da CBF: A Casa do Futebol Brasileiro
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

A programação de atividades alusivas ao Dia da Mulher já começa a ser pensada no Município. Em reunião na quarta-feira (29), a prefeita Mari Machado definiu algumas ações junto ao grupo que irá organizar as atividades.

A ideia é debater ao longo do mês de março temas como empoderamento feminino, valorização da mulher no mercado de trabalho, combate à violência doméstica e saúde da mulher. Coordenado pela Prefeita e pela coordenadora municipal dos direitos da Mulher, Monica Salino, o grupo conta com representantes das secretarias de Saúde, Assistência Social e Educação, e entidades como a Comissão da Mulher Advogada da OAB, Mulheres do MST, Comissão das Mulheres da Fetar/RS, Ecosol e Comdica, e ainda deverá incluir novas entidades como AMESL, Emater, Uergs, Unipampa, Sesc, Senac e Exattus/Anhanguera, além de outras secretarias municipais.

Ainda em processo de elaboração, a programação contará com mateada na tarde do dia 08 de março, no Parque Internacional, onde serão oferecidos serviços de saúde, beleza, além de apresentações artísticas e feira da agricultura familiar.

A programação ainda deverá incluir atividades no Centro de Referência da Mulher Professora Deise, nas unidades de saúde e na Rede Municipal de Ensino. As atividades deverão se estender até o dia 20 de março, com a realização da Marcha das Mulheres e de uma programação especial na Praça General Osório.

FOTO: Assessoria de Comunicação

--

Assessoria de Comunicação Social - ASCOM
Prefeitura Municipal Sant'Ana Do Livramento
Telefone (55) 3968-1003

A cavalinha é uma planta fitoterápica, cujo nome verdadeiro é Equisetum arvense e que foi conhecida anteriormente como Equisseto. Ela recebeu esse nome popular porque seu caule se assemelha à cauda de um cavalo. Originalmente, a erva é encontrada em regiões pantanosas do Brasil, de algumas áreas da Europa e do Oriente Médio.

A planta é fonte de diversos minerais, como potássio, cálcio e fósforo. Além disso, também contém saponinas, compostos com grande poder antioxidante e derivados do silício, que também é importante para a elasticidade da pele.

Para que serve a Cavalinha

A associação dos minerais da cavalinha e dos compostos saponinos funciona como uma "drenagem linfática natural", como explicam as nutricionistas Thais Conte e Ana Paula Gava. Por conta do potencial antioxidante dessa combinação, ela neutraliza radicais livres e elimina o excesso de água no organismo.

Além disso, a cavalinha também tem efeito anti-inflamatório, evitando doenças sistêmicas e reumáticas. Por isso, é possível afirmar que a erva oferece os seguintes benefícios:

  • Efeito diurético
  • Evita algumas cardiopatias
  • Previne contra cálculos renais
  • Evita a diabetes
  • Favorece a elasticidade da pele (pela manutenção do colágeno)
  • Auxilia no tratamento de fraturas
  • Auxilia no tratamento da osteoporose

Chá de cavalinha emagrece?

A efetividade do uso da cavalinha para o emagrecimento pode ser considerada verdadeira de duas formas. A primeira é que o consumo do chá feito com a planta pode realmente provocar perda de peso, mas não de gordura. Isso porque o efeito diurético da cavalinha, na verdade, pode provocar perda de água no corpo.

Por outro lado, a ação antioxidante da erva também pode ser considerada uma ajudante do emagrecimento saudável, pois elimina as toxinas do organismo, ?limpando? o corpo de quem a consome.

Contraindicações do chá de cavalinha

Devido ao efeito diurético, pessoas com insuficiência renal não devem tomar o chá de cavalinha, assim como quem tem insuficiência cardíaca. Quem sofre de gastrite e úlcera também possui contraindicação para tomar o chá pela presença do tanino, que pode irritar a mucosa estomacal.

Além disso, a nutricionista Thais Conte ressalta que quem faz uso de remédios anticoagulantes, diuréticos e anti hipertensivos também devem evitar a cavalinha, porque ela pode potencializar ou até mesmo bloquear a ação desses medicamentos.

Chá de cavalinha aborta?

Não é recomendado que grávidas tomem o chá de cavalinha. No entanto, existe um consenso entre médicos e ginecologistas de que o problema não está na erva em si, mas na quantidade da bebida.

Por exemplo, 200g de extrato seco de cavalinha pode ter um efeito nocivo para grávidas. Já um blend de chás que contém cavalinha não tem diretamente um efeito abortivo ou prejudicial para a gestação.

A nutricionista Thais Conte explica que, apesar disso, não é indicado que uma mulher gestante consuma chá de cavalinha antes da orientação de um médico ou nutricionista.

Chá de Cavalinha: como fazer?

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de cavalinha desidratada
  • 160ml de água

Modo de preparo

Ferva a água com as lascas de gengibre por 5 minutos. Depois, apague o fogo e coloque a cavalinha in natura. Tampe a panela e espere 10 minutos sob infusão. Não se deve adoçar a receita e o chá precisa ser tomado em até 12 horas após pronto.

Receitas de Chá de Cavalinha

Chá de Cavalinha com limão

Ingredientes

  • Casca de 1 unidade de limão
  • 1 colher de sopa de cavalinha
  • 160ml de água

Modo de preparo

Para fazer o chá de cavalinha com limão, a pessoa pode seguir as mesmas instruções do chá de cavalinha tradicional, com poucas alterações.

Quando a água aquecer e estiver borbulhando, desligue o fogo e depois insira a cavalinha e o limão. Assim que se passarem alguns minutos, a receita já estará pronta.

Chá de Cavalinha com canela

Ingredientes

  • 2 paus de canela
  • 1 colher de sopa de cavalinha
  • 250ml de água

Modo de preparo

Despeje a água e a canela em um uma panela ou vasilha metálica e leve ao fogão. Assim que a água ferver, acrescente a cavalinha. Após 10 minutos, apague o fogo e sirva o chá em uma xícara.

Referências

Thais Conte - Nutricionista

Ana Paula Gava - Nutricionista

Escrito por Clovis Filho
Redação Minha Vida

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou estado de emergência global em razão da disseminação do coronavírus. A entidade fez o anúncio à imprensa em sua sede, em Genebra, na Suiça, após uma reunião com especialistas.

Até o momento, foram contabilizados 7,7 mil casos e 170 mortes na China, principal local de multiplicação do vírus. Em outros 19 países, já foram registrados 98 casos. No Brasil, o Ministério da Saúde investiga nove casos suspeitos.

De acordo com a entidade, os casos abrangem pessoas que viajaram para Wuhan, foco do surto, ou que tiveram contato com pessoas com histórico de passagem pela cidade.

Crianças no Nepal assistem aula com máscaras de proteção depois que o país confirmou o primeiro caso de coronavírus, na cidade de Thimi, Bhaktapur, no Nepal
Crianças no Nepal assistem aula com máscaras de proteção depois que o país confirmou o primeiro caso de coronavírus, na cidade de Thimi, Bhaktapur, no Nepal - Reuters/Navesh Chitrakar/direitos reservados

Os representantes da OMS, contudo, negaram que o anúncio signifique uma manifestação de desconfiança com a China.

“A China está tendo um novo patamar para este surto. Meu respeito e agradecimento para os profissionais de saúde que, no meio do Festival de Primavera, estão trabalhando por 24 horas, durante sete dias por semana, para salvar vidas e colocar o surto em controle”, afirmou o diretor da organização, Tedros Adhanom.

A OMS afirmou que não há necessidade de medidas para evitar viagens ou comércio internacional com a China. Além disso, apresentou um conjunto de recomendações, como apoio a países com sistemas de saúde mais precários, combate a rumores e desinformação, desenvolvimento de recursos para identificar, isolar e cuidar dos casos, além do compartilhamento de dados e conhecimento sobre o vírus.

“Países devem trabalhar juntos no espírito de solidariedade e cooperação. Estamos nessa juntos e só podemos parar juntos. Este é o tempo de fatos, não medo, para ciência, não rumores, para solidariedade, não estigma”, destacou Adhanom.

Ala de hospital na Índia preparada para receber pessoas com coronavírus, na cidade de Chennai
Ala de hospital na Índia preparada para receber pessoas com coronavírus, na cidade de Chennai - REUTERS/P. Ravikumar/Direitos Reservados

Histórico

Os coronavírus são conhecidos desde meados dos anos 1960 e já estiveram associados a outros episódios de alerta internacional nos últimos anos. Em 2002, uma variante gerou um surto de síndrome respiratória aguda grave (Sars) que também teve início na China e atingiu mais de 8 mil pessoas. Em 2012, um novo coronavírus causou uma síndrome respiratória no Oriente Médio que foi chamada de Mers.

Um homem com seu filho em Seul, na Coreia do Sul
Um homem com seu filho, ambos de máscara, em Seul, na Coreia do Sul - Reuters/Heo Ran/direitos reservados

A atual transmissão foi identificada em 7 de janeiro. O escritório da OMS na China buscava respostas para casos de uma pneumonia de etiologia até então desconhecida que afetava moradores na cidade de Wuhan. No dia 11 de janeiro foi apontado um mercado de frutos do mar como o local de origem da transmissão. O espaço foi fechado pelo governo chinês.

Entenda o que é Emergência global

Uma emergência de saúde pública de interesse internacional (PHEIC, na sigla em inglês) é uma declaração formal da Organização Mundial da Saúde (OMS) de “um evento extraordinário que pode constituir um risco de saúde pública a outros países por meio da disseminação, e que requer uma resposta internacional coordenada”.

Segundo o Regulamento Sanitário Internacional (RSI), do qual o Brasil é signatário, os países que fazem parte do grupo devem atender prontamente às recomendações e práticas publicadas pelo documento de emergência, e os governos e autoridades responsáveis devem organizar e colocar em prática planos de ação para conter a ameaça sanitária. De acordo com o RSI, as declarações são temporárias e devem ser reavaliadas a cada três meses.

De acordo com o diretor-geral da OMS, o coronavírus (2019-nCoV) atende aos critérios da declaração de emergência.

Essa é a sexta vez em que o recurso é usado. A declaração de emergência havia sido emitida no surto de síndrome respiratória aguda grave (Sars), em 2002/2003; na pandemia de 2009 de H1N1 (também chamada de febre suína); na declaração de emergência de poliomielite, em 2014; na epidemia de ebola na África Ocidental, também em 2014; no surto de microcefalia em decorrência vírus Zika, cujo principal foco de infestação foi o Brasil, em 2015/2016, e na epidemia de ebola em Kivu, no Congo, em 2019.

Das vezes em que foi instituída, apenas a declaração de emergência sobre a epidemia de Kivu continua ativa.

Entenda quando a Organização Mundial da Saúde decretou estado de emergência internacional

Novo regulamento

O Diário Oficial da União publicou hoje (30), em edição extraordinária, a promulgação do novo texto do Regulamento Sanitário Internacional - o tratado que define as regras, normas e ações que devem ser tomadas por países signatários em casos de saúde pública que apesentem riscos à comunidade internacional -. O novo texto é assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, e acolhe revisões feitas no documento de 2005. O texto da resolução revisada pode ser lido pelo site da Imprensa Nacional.

Edição: Denise Griesinger
 
Por Jonas Valente – Repórter Agência Brasil
 
 
Foto: Reuters/Denis Belibouse/direitos reservados

O Grêmio finalizou a preparação para a partida contra o São José com treinamento fechado realizado na Arena na tarde desta quarta-feira. A equipe do técnico Renato Portaluppi ocupa a 4ª colocação no Grupo B do primeiro turno do Campeonato Gaúcho. Será a segunda partida gremista em seus domínios neste 2020. 

Após abertura da atividade para a imprensa, os atletas participavam de um treino recreativo, que contou com os novos reforços Diego Souza e Thiago Neves, além do lateral Orejuela, apresentado antes do treinamento no auditório da Arena. Os novos contratados mostraram muita qualidade técnica e movimentação, inclusive com gols marcados e assistências.

Ao final do treino, o grupo foi dividido. De um lado, alguns atletas realizavam um trabalho específico de bolas paradas. O atacante Alisson foi um dos destaques dessa parte do treino. No outro lado do campo, os jogadores trabalhavam cruzamentos e finalizações. O goleiro Paulo Victor, que se recupera de uma tendinite no cotovelo esquerdo, foi a campo para trabalhar com o preparador Mauri Lima.

Fotos: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

O Facebook anunciou mudanças em suas configurações de privacidade para permitir que os usuários aumentem a proteção de seus dados. Entre as novidades estão a possibilidade de “limpar” os dados que a plataforma compartilha com terceiros, além de novas configurações de perfil e avisos de login.

As medidas foram divulgadas por ocasião do Dia Internacional da Privacidade de Dados, celebrado ontem (28). O Facebook vem sendo criticado nos últimos anos pelo uso que faz das informações de seus usuários. O emprego de dados de dezenas de milhões de pessoas para fins de manipulação de eleições e processos pela empresa Cambridge Analytica colocou a empresa em evidência.

Com o recurso “Atividade Fora do Facebook”, o usuário pode configurar as informações que empresas e instituições compartilham com a plataforma, como as visitas realizadas aos sites delas. O usuário pode clicar em “gerenciar sua atividade fora do Facebook” e optar pela exclusão dos dados – ou “desconectar o histórico” na linguagem da plataforma. Ao configurar esse recurso como teste durante a redação desta matéria, o repórter descobriu que 262 aplicativos e sites enviavam dados para o Facebook. Veja um guia rápido para desabilitar os acessos:

A ferramenta permite também desativar a atividade fora do FB a partir do momento do ajuste feito pelo usuário. Contudo, isso não impede o compartilhamento de dados por terceiros, que continuarão sendo procedidos “para fins de mensuração e para fazer melhorias em nossos sistemas de anúncios, mas estará desconectada da sua conta”, explica a página do mecanismo. Anúncios continuarão sendo exibidos com base nas preferências e na atividade do usuário na rede social.

Privacidade

Na ferramenta de “Verificação de Privacidade”, na seção “configuração de dados”, o usuário pode gerir as informações disponibilizadas pelo Facebook a terceiros. Esse acesso ocorre por diversas ferramentas da plataforma, como o login utilizando a conta do FB. É possível definir quais apps e sites podem manter este acesso, ou retirá-los da lista.

Na seção “quem pode ver o que você compartilha”, uma das funções é definir o grau de visibilidade das informações do usuário. Registros como telefone, e-mail, escola e cidade, além das próprias publicações na plataforma, podem ser ajustados para acesso público, por amigos, por amigos dos amigos ou apenas pelo próprio usuário. É possível bloquear e gerir a lista de pessoas colocadas em cada uma dessas listas.

Por meio da nova ferramenta, o usuário pode ainda controlar quem pode lhe enviar solicitações de amizade, se qualquer pessoa na rede social ou apenas amigos de amigos.

Mudanças

Em mensagem publicada no site da companhia, o diretor-executivo, Mark Zuckerberg, afirmou que o intuito das mudanças é fazer com que o usuário “possa entender e gerenciar facilmente suas informações, por isso fortalecer seus controles de privacidade é tão importante”.

O Facebook oferece guias e opções de customização para usuários que desejam bloquear o compartilhamento de dados sensíveis.
O Facebook oferece guias e opções de customização para usuários que desejam bloquear o compartilhamento de dados sensíveis. - Agência Brasil

Para a organização internacional de defesa da privacidade Eletronic Frontier Foundation (EFF), o anúncio foi um “bom passo”, mas uma “medida incompleta”, tanto pelo desconhecimento da população quanto por não cessar a coleta intensa de dados dos usuários.

“Nós sabemos que usuários dificilmente vão ajustar suas configurações. Nos Estados Unidos, 75% dos adultos não conhecem as preferências de anúncio. A ferramenta não cobre todas as formas pelas quais o Facebook coleta e monetiza os dados dos usuários. Estes continuarão sendo objeto de anúncios segmentados”, pondera a coordenadora de pesquisa em direitos dos consumidores e vigilância da entidade, Gennie Gebhart.

Edição: Lílian Beraldo
 
Por Jonas Valente – Repórter Agência Brasil 

O Ministério da Saúde informou hoje (29) que existem nove casos considerados suspeitos de coronavírus no Brasil. Em São Paulo, há três casos; em Santa Catarina, dois; e nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Ceará, um em cada. Até o momento, o ministério foi notificado de 33 suspeitas de casos. Após testes para vírus mais comuns e verificações, 24 pacientes foram descartados para coronavírus.

Um caso é tratado como suspeito se a pessoa esteve na China nos últimos 14 dias e apresentou tosse e febre ao retornar. Neste caso, o paciente é colocado em isolamento e são realizados testes para checar, primeiro, se o que essa pessoa tem é influenza ou outra gripe. Caso os exames não acusem essa possibilidade, é feito o teste para coronavírus.

No momento, apenas o primeiro caso suspeito, da estudante de Minas Gerais, está na etapa de teste para coronavírus. Segundo o Ministério da Saúde, é possível que o resultado do teste seja conhecido na próxima sexta-feira (31).

Atualmente, 6.065 casos de coronavírus foram confirmados em todo mundo, sendo 5.997 somente na China, onde 132 pessoas já morreram. Não houve ainda nenhuma morte em outros países.

Edição: Fernando Fraga

Nesta quarta-feira (29), a prefeita Mari Machado assinou o decreto que estabelece o horário para trânsito de veículos de tração animal no município. Durante a manhã, um grupo de protetores de animais independentes – acompanhados pelo vereador Antonio Zenoir - foi recebido pela Prefeita, agradecendo a regulamentação.

“Agradecemos sua sensibilidade e sua coragem, com este decreto objetivo que visa a proteção do animal, do trabalhador e do trânsito”, destacou a Major Karla Incerti, que ainda classificou a iniciativa como uma “medida de empatia e solidariedade”.

O Decreto nº 8.963 proíbe a circulação de veículos de tração animal, bem como a parada ou estacionamento destes, com o animal atrelado, no perímetro urbano do município de Santana do Livramento, no horário das 11h às 16h, durante os meses de dezembro a março de cada ano.

Para Mari, a regulamentação é “um gesto representativo para a luta da defesa pelos animais”, inserida em uma política de proteção aos animais que a gestão quer estabelecer no Município. A intenção é que, a longo prazo, outras ações possam ser estabelecidas na cidade, incluindo medidas como a castração sistemática, campanhas regulares de adoção e vacinação de animais, além da promoção de acolhimento.

 

--

Assessoria de Comunicação Social - ASCOM
Prefeitura Municipal Sant'Ana Do Livramento
Telefone (55) 3968-1003

O ano começou com tudo! Os dois primeiros jogos foram com duas vitórias e praticamente todo o grupo de jogadores atuando nas partidas. Depois de vencer o Pelotas no Beira-Rio, o Clube do Povo se reapresentou na tarde desta segunda-feira (27/01), no CT Parque Gigante, mirando os próximos desafios da temporada. Uma maratona de três confrontos seguidos fora de casa, em sete dias, aguardam a equipe pela frente. São dois duelos pelo Campeonato Gaúcho e um pela Copa Libertadores da América.  

O treinamento deste segunda foi dividido em duas partes: enquanto os atletas que iniciaram a partida com o Pelotas realizaram atividades físicas no gramado, com corridas ao redor do campo, o restante do grupo fez trabalho com o técnico Eduardo Coudet. O argentino comandou um treino intenso em campo reduzido, exigindo troca de passes rápidos, movimentação e finalizações dos jogadores. O atacante William Pottker voltou a treinar com o elenco, mas ainda sob supervisão da preparação física. 

Antes dos trabalho, o meio-campista Edenilson concedeu entrevista coletiva na sala de imprensa do CT. O camisa 8 marcou o primeiro gol do Beira-Rio em 2020 e projetou a sequência fora de casa que o Inter tem pela frente. "Todos os jogadores precisam estar preparados. Não sabemos quem viajará para o próximo jogo, nem para a Libertadores. Mas a gente precisa treinar e demonstrar nos treinos que queremos jogar", afirmou. 

Resta apenas mais um treinamento em Porto Alegre antes do grupo colorado viajar a Ijuí. Na próxima rodada do Gauchão, o Clube do Povo enfrenta o São Luiz, na quarta-feira (29/01), às 21h30, no estádio 19 de Outubro. Com seis pontos em dois jogos, o Inter lidera o grupo A do Estadual. 

Os últimos dias mostraram uma rápida evolução na epidemia de coronavírus, que se espalha cada vez mais pela China, pelo restante da Ásia e começa a preocupar outros países. Já são mais de 2,8 mil casos confirmados, com 81 mortes. Em Pequim, capital da China, o clima é de medo. As pessoas têm evitado sair de casa e o uso de máscaras é uma constante. A cidade já teve 72 casos confirmados.

A brasileira Rafaela Dias mora em Pequim há dois anos e estuda na Beijing Sports University. Segundo ela, a população está preocupada com o vírus e os constantes avisos do governo na tentativa de acalmar a população não têm adiantado.

“Você vê muita diferença na rua. Já não tem tantos carros nem tantas pessoas. O governo sempre manda mensagem dizendo para ninguém entrar em desespero, que eles vão resolver a situação”, disse a estudante à Agência Brasil. “E nem a poluição, que é alta aqui, faz tantas pessoas usarem máscaras. Mas, por conta do vírus, todo mundo está de máscara. É uma cena de filme mesmo. As pessoas estão com medo”, acrescentou a jovem, que também adotou a máscara como item obrigatório.

Rafaela mora na universidade e a recomendação é que os estudantes não deixem o campus nem para comprar comida. Eles estão sendo orientados a comprar por um aplicativo de entrega de lanches e outros itens. “Foi essa a recomendação que eles deram para a gente, que era mais arriscado sair do que vir uma pessoa entregar as coisas no portão”. E no caso de estudantes e professores que querem entrar na universidade, são realizados alguns testes rápidos para verificar a saúde dessas pessoas. Caso a pessoa tenha vindo de outra cidade, a recomendação da universidade é de isolamento total por, pelo menos, dez dias.

O governo adiou o início das aulas e a circulação de ônibus para outras cidades está suspensa. “Para pegar o avião estão medindo a temperatura das pessoas antes de embarcar, nos trens também. E todo mundo usando máscara”, disse a estudante.

A situação de Raif Alves é diferente. O brasileiro mora e estuda em uma universidade na cidade de Hangzhou, a 1,3 mil km de Pequim, mas deixou o país em 20 de janeiro para visitar a família no Brasil. Deixou a China alheio aos perigos do vírus, que ainda crescia. Há uma semana, eram pouco mais de 200 casos confirmados. Raif tem passagem marcada para voltar à Ásia em 17 de fevereiro, mas não tem certeza se pegará esse voo.

“O meu orientador da universidade mandou mensagem dizendo para a gente se manter longe, não voltar para a universidade tão cedo. Minha passagem está para 17 de fevereiro. Dependendo de como as coisas estiverem até lá, considero alterar”.

Japoneses preocupados

O Japão registrou, até o momento, apenas quatro casos, todos na capital Tóquio. Mas nem por isso a população está indiferente. “Aqui está todo mundo bem alarmado. Qualquer início de sintoma as pessoas já ficam alarmadas. Seja um espirro, uma tosse, as pessoas acham que podem estar com o vírus”, disse Thiago Barbosa e Silva.

O governo japonês tem tomado medidas de controle na entrada de pessoas no país. “Quando você chega no país já tem um medidor automático de temperatura. Antes de você falar com a imigração, já sabem se sua temperatura está diferente ou não”.

Thiago mora em Shizuoka, a cerca de uma hora de Tóquio. Ele tem evitado multidões e sempre está de máscara, mas esteve na capital no último fim de semana. “Fiquei lá no fim de semana esquecendo que era o final de semana do ano novo chinês”. Nessa data, os chineses residentes no Japão costumam se encontrar em Tóquio para as celebrações.

Ele notou diferença no comportamento das pessoas. Muitos evitavam lugares onde há um movimento maior de turistas. E, claro, máscaras cobrindo todos os rostos. Segundo ele, alguns lojistas chegam ao ponto de proibir a entrada de chineses nos estabelecimentos. “Os donos de estabelecimentos estão proibindo na tentativa de evitar o contágio”.

Thiago, que é funcionário público no Japão, disse que as vendedoras estão preocupadas pois querem usar máscaras no trabalho e não podem. Segundo ele explicou, as vendedoras são obrigadas a usar maquiagem e a boa aparência da vendedora é considerada fundamental na boa apresentação do produto.

“Os trabalhadores da área de vendas estavam reclamando que o governo não obriga o uso de máscaras. Porque se o governo não obrigar, os donos das lojas não vão implementar o uso para não prejudicar, na visão deles, o próprio negócio”.

Jogos Olímpicos

As autoridades japonesas já começam a pensar nas consequências do coronavírus para os Jogos Olímpicos de Tóquio, que ocorrerão em julho e agosto. No dia 22 de janeiro autoridades japonesas se reuniram na capital do país para tratar do assunto. Há a preocupação de que grandes eventos, como a Olimpíada, aumentem o risco de contágio.

Os jogos de 2016, no Rio de Janeiro, foram lembrados no encontro. Na época, havia um surto de zika, que fez com que atletas desistissem de competir. Na Copa do Mundo de Rugby, realizada em Tóquio no ano passado, houve uma preocupação com um potencial surto de encefalite japonesa. Agora, a preocupação é muito maior. “Como as Olimpíadas vão ser um evento muito grande, estão achando que o risco é muito maior de espalhar [o coronavírus] aqui no Japão se não encontrarem logo uma cura ou uma vacina”.

Edição: Fernando Fraga
 
Por Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil
Página 12 de 409
Topo